Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

Sem que eu pudesse me despedir

De   /  22 de janeiro de 2017  /  3 Comments

    Imprimir       Email

830EE357-CC7E-444A-B566-5C21CC325AEAHoje venho escrever algo muito difícil, sobre alguém que gosto muito, e, que se foi sem que eu pudesse me despedir. Recebi a notícia de sua morte por volta das 8h e 30min desta quarta-feira. Saiu do nosso convívio material o nosso querido irmão e amigo, Raimundo Carneiro Braga, nosso professor, “M. Braga”.

Primeiro momento

Quando recebi a noticia, minhas pernas tremeram, meu coração disparou, fiquei paralisado, foi como se por um instante o mundo tivesse parado, percebi que haviam ido embora muitas outras coisas das quais somente me dei conta alguns minutos depois. No primeiro momento senti uma tristeza profunda.

Sua voz

Paulatinamente, percebi que ele não estava mais neste plano, e, comecei a chorar. Todas as lembranças voltaram, lembrei-me de muitos momentos que passamos juntos, sabendo que não seria mais possível ouvir sua voz. Pensei na sua família, esposa, filhos, irmãos e na União.

Bons momentos

Durante todo o dia que velamos seu corpo, dando apoio à sua família, em alguns momentos me sentia paralisado, como quem assistia a um filme; hora vinham as lembranças dos bons momentos que juntos vivenciamos, hora me perguntava, e agora, como vai ser? Um sentimento profundo de orfandade me assola…

Deixa marcas

Foi embora um grande amigo, um Mestre que “não fazia reféns”, não gostava de meias palavras e não tinha pejo em dizer o que pensava, se bem que, por algumas vezes, era necessário um esforço para descodificar os seus fragmentos discursivos e suas tiradas desconcertantes…

Há poucos mestres assim; aliás, há poucas pessoas como ele. Mas, uma personalidade dessas não aparece do nada, é forjada num contexto histórico e cultural que deixa marcas.

Lembranças

Durante esses 34 anos na União, conheci grandes pessoas; algumas também se foram, outros continuam por aqui. Mestre Braga, com a sua imbatível tenacidade argumentativa não era uma mera repetição das práticas do nosso grande Mestre Gabriel, e sim um discípulo obediente que se habituou a não esperar “indulgência” – figura singular que se destacava e deixou gravados seus ensinamentos em nossos corações.

Professor

Foi meu professor, e continuará a fazer-me a aprender sempre. Sua tenacidade, e determinação foram cativantes. Esteve sempre presente nos momentos decisivos do meu caminhar. Sua maneira de administrar nos auxiliou muito, com sua doutrina implacável e sua forma especial de ensinar. Um grande professor, aquele que nos deixa a aprender. Guardarei boas memórias!

Esteio

Um dos maiores esteios da União do Vegetal – de personalidade inesquecível, autêntico, verdadeiro, pessoa forte e surpreendente, de grande sabedoria em tudo que ensinava. Embora temido, por ser tão incisivo, tinha a admiração e o respeito de todos. Sinto-me extremamente honrado em poder dizer, ele foi um amigo que acreditou em mim.

Meus sinceros sentimentos

Sentiremos saudades, assim como ele sentia do Mestre Gabriel. Sou grato a Deus pela oportunidade de ter conhecido este grande Homem. Mestre Braga, meu mestre, meu amigo. Um dia nos encontraremos, novamente!

“Difícil não é lutar por aquilo que se quer, e sim desistir daquilo que se ama. Ele desistiu. Mas não pense que foi por não ter coragem de lutar, e sim por não ter mais condições de sofrer”. (Bob Marley)

*(Edilson Neves, jornalista, diretor e Editor do Jornal Correio de Notícias de Rondônia, Registro FENAJ- DRT/0001047/RO)

    Imprimir       Email
  • Publicado: 4 meses atrás, em 22 de janeiro de 2017
  • De:
  • Última modificação: janeiro 23, 2017 @ 8:02 am
  • Arquivado em: Colunas, Edílson Neves

3 Comments

  1. Francisco Antônio Cavalcanti Campos disse:

    Senti a mesma coisa quando soube da sua passagem, amigo. Foi-se um dos pilares da União.

  2. Adriana Gonçalves disse:

    Amigo Edilson, suas palavras traduzem um pouco do que estou sentindo pela partida desse grande homem e mestre admirável. Cearense firme, de pulso forte! Cumpriu sua missão com louvor, sendo fiel aos ensinos do Mestre Gabriel e distribuindo-os com todos irmãos. Luz, paz e amor ao coração de todos os familiares e irmãos da UDV.

  3. Francisco Bezerra da Silva disse:

    “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé… Desde agora a coroa dá justiça me está está guardada a qual o Sr, reto Juiz me dará um dia, não somente a mim, mas também a todos que amam a sua vinda.” Apóstolo Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também...

E os bandidos saíram ilesos, depois de ajudarem a limpar o país!

leia mais →