Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

CANDEIAS: Uma administração que vai ficar sob o fio da suspeita!

De   /  10 de maio de 2017  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Tomara que ele não tenha nada a ver, mesmo com as naturais suspeitas! Durante a entrevista que a delegada Kate Motta, de Candeias e o diretor geral da Polícia Civil, Delegado Elizeu Muller Siqueira concederam, nesta terça, nenhuma vez ambos citaram o nome do atual prefeito da cidade, Luiz Ikenohichi, como suspeito de envolvimento no assassinato do seu ex companheiro de chapa, Chico Pernambuco, fuzilado em 18 de março passado. O problema de Ikenohichi é a participação de  parentes seus no crime. Seu primo está foragido e é acusado de ter contratado os executores da morte de Pernambuco. O maior beneficiado com o crime foi quem ocupa, hoje, a cadeira do morto. São, claro, nada mais do que fatos, mas nenhum deles coloca, ao menos até agora,  o atual Prefeito de Candeias na cena do crime ou nos seus preparativos. Então, nada pode se falar além de suposições. Na coletiva à imprensa, sobre o crime, tanto o chefe de polícia quanto a delegada Kate só falaram sobre Ikenohichi, quando questionados por jornalistas. Foram claros: “até o momento, não há qualquer prova contra ele”. Mas também sublinharam que as investigações chegaram a apenas uma parte da busca por toda a verdade; que há centenas de documentos e vários celulares apreendidos, para serem também investigados e que, no decorrer do trabalho policial, novos fatos podem aparecer. Que não se seja então injusto com Ikenohichi. Até prova em contrário, ele nada teve a ver com o assassinato de Chico Pernambuco!

A questão legal está clara. Mas e a questão moral? Como se manterá no cargo, com tanta conversa na sua pequena cidade; com suspeitas; com tantos dedos apontados para a sua  administração? É uma questão extremamente complexa. Se deixar o cargo, para facilitar as investigações e demonstrar que nada teme, essa decisão poderia ser explorada, por seus adversários, como uma demonstração de fraqueza. Se não o fizer, Ikenohichi poderá governar sob o fio da suspeita. É um caso complexo, mas é bom que se diga: se há alguma dúvida, que não se atire a primeira pedra. O correto agora é esperar o andamento das investigações. Serão os quatro presos e o mandante, foragido, os únicos envolvidos no assassinato? Se forem, o caso está esclarecido. Se não, a coisa ainda vai muito longe. A  competente polícia rondoniense, que elucidou um crime político brutal em tão pouco tempo, é quem está com a palavra, a partir de agora.

IKENOCHICHI FALA NA CÂMARA

Sobre o crime e os inúmeros boatos que circulam, o prefeito Luiz Ikenohichi se pronunciou, na Câmara de Vereadores da cidade, na segunda à noite. Disse que “mais que ninguém, tenho interesse que tudo isso seja esclarecido”. Ameaçou ir aos tribunais, para processar todos os que, “direta ou indiretamente, falam a meu respeito. Todos serão responsabilizados pelo Poder Judiciário”, avisou. Disse também que “peço às autoridades policiais que concluam as investigações  o mais rápido possível, para que eu possa administrar Candeias”. Além disso, o jovem prefeito ainda foi mais longe, mostrando que a situação realmente é complexa: “o que mais quero nessa vida é que o inquérito termine, porque senão não terei paz; Candeias não terá governabilidade e consequentemente pessoas irão se aproveitar dessa fragilidade que nosso Município está enfrentando”. Depois do discurso, o Prefeito foi muito aplaudido pelo público, mais de uma centenas de pessoas, que lotou as dependências da Câmara Municipal.

GUEDES ANDA REFLETINDO

Não há nada concreto, ainda. Apenas observações sobre o quadro político e uma olhada para o futuro, com um passado cheio de história e realizações para contar. A verdade é que o ex prefeito, ex deputado e um dos mais respeitados políticos da história rondoniense, José Guedes está  pensando em 2018. Guedes foi um prefeito que marcou sua administração com muito trabalho e avanços para Porto Velho. Mas também foi extremamente perseguido, ao ponto de ter que passar anos a fio, respondendo a uma série de processos, todos eles que deram em nada. Guedes se formou em Direito, para poder se defender e acabou se transformando num advogado entre os mais respeitados. Agora, vendo todo o quadro político, ele tem feito comentários, via rede sociais, lembrando que em 1990 foi candidato ao Governo do Estado, o mais votado em Porto Velho. Por isso, anda avisando: “estou vivendo momentos de grandes reflexões!”. Ou seja, Guedes pode estar voltando à vida pública…

OUTRO DESTAQUE NACIONAL

O professor João Paulo Viana, da Unir, competente e respeitado cientista político, foi eleito para compor a primeira diretoria da Regional Centro Oeste e Norte da Associação Brasileira de Ciência Política. Junto com ele, foram eleitos Danusa Marques, da Universidade de Brasília, a UnB e Frank Tavares, da Universidade Federal de Minas Gerais. João Paulo comemorou a vitória da sua chapa, com 33 votos contra 9 do outro grupo concorrente, afirmando, pelas redes sociais, que “ficamos honrados em fazer parte deste processo, cientes da enorme responsabilidade que temos agora em representar os colegas de nossas regiões”.  Membros de instituições como a Unir, UnB, UFG, UFGD, UFMS, UFAC, Unifap, UFRR, Unemat, UFPA, Faculdade Católica de Rondônia, entre outras instituições, participaram ativamente da votação. João Paulo é mais um rondoniense a conseguir destaque nacional…

QUAL A SAÍDA DA CAERD?

Qual o futuro de uma empresa que fatura cerca de 11 milhões de reais por mês e que, apenas sua folha de pagamento, consome perto de 9 milhões? Fosse uma empresa privada, sua existência já estaria no sistema geral de quebradeiras, porque com 80 por cento da sua receita bruta destinada apenas à folha de pagamento, jamais sobreviveria. Então, como a Caerd ainda existe? Simples. É uma empresa pública, de economia mista e não quebra, porque tem milhares de rondonienses bancando todos os prejuízos. Não só isso: milhares que não têm acesso ao seu serviço, simplesmente porque não sobra praticamente nada na estatal, para investimentos. Afora essa desestruturação, ocorrida nos últimos anos, desde que virou uma espécie de cabide de empregos, quando introduziu a administração compartilhada (foi tomada por petistas e seus indicados), a Caerd ainda tem dividas na ordem de 1 bilhão de reais. A atual direção, com a presidente Iacira Azamor  e sua equipe, fazendo tudo o que pode para recuperar a empresa, não tem culpa dessa situação. Ela é histórica. Haverá saída para a Caerd, afora a privatização?

ESPERTEZA E MEDO

Olha só quem reapareceu!!! A esperta Marina Silva, que tem o poder de sumir nas crises e só aparecer, qual urubu, para usufruir dos restos, decidiu falar, finalmente, sobre o momento político brasileiro. E, claro, mostrou-se claramente preocupada com os novos nomes que têm surgido na política nacional e que podem tirá-la de vez do cenário em que ela, incrivelmente, ainda tem muitas intenções de voto país afora. A maior preocupação dela não foi com a crise do país; com a economia falida; com a necessidade de mudanças estruturais. Marina tratou de atacar o prefeito de São Paulo, João Dória, que tem aparecido como um possível candidato a Presidência com chances reais. Ela comparou João Dória a Dilma Rousseff, tentando, é claro, dizer que o novo mandatário paulista não tem nada de novo. Muita gente que vê Marina como uma alternativa, obviamente poderia mudar, caso surgisse qualquer um (seja quem for), que não viva nas sombras e participe das grandes discussões nacionais. Marina está ficando de fora. Daí, correu para falar. Será que não ressurgiu tarde demais?

JORGE TEIXEIRA É EXEMPLO

Tem esperança?  Tem sim. Nem tudo está perdido na vida pública brasileira. Eventualmente, aqui e ali, surgem bons exemplos, que deveriam ser seguidos em todo o país, mas, que, lamentavelmente, são apenas exceções. Aqui mesmo em Rondônia, os  nove vereadores da cidade de Jorge Teixeira, decidiram reduzir seus próprios salários.  Eles ganhavam 6 mil reais, o que era mesmo um alto salário para uma comunidade progressista, mas pobre. Com a redução, cada edil da cidade vai receber bem menos: 3.420 reais. Uma redução de aproximadamente 43 por cento.  Em um ano, a previsão é que perto de 255 mil  reais. Pode até parecer pouco, mas para uma comunidade pequena, é bastante dinheiro. A intenção dos nobres edis é que a grana que será economizada, possa ser utilizada pelo município para investimentos em áreas prioritárias como a saúde pública. Não é um exemplo merecedor de aplausos?

PERGUNTINHA

Como será o encontro, na tarde dessa quarta-feira, entre o ex Presidente Lula, que se diz tão honesto quanto Jesus Cristo e o juiz Sérgio Moro, que tem colocado tantos corruptos na cadeia?

* Sérgio Pires – BLOG: https://www.facebook.com/opiniaodeprimeira?fref=ts

    Imprimir       Email
  • Publicado: 4 meses atrás, em 10 de maio de 2017
  • De:
  • Última modificação: maio 10, 2017 @ 10:35 am
  • Arquivado em: Colunas, Sergio Pires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também...

Prefeito perde a paciência e troca secretários infrutíferos; tucano também corta relações com vice e dois vereadores

leia mais →