Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

Quem disse que ser prefeito não cansa?

De   /  29/06/2017  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Iniciando o 1º mandato, o prefeito de Porto Velho – Hildon Chaves (PSDB) – encaminhou pedido de autorização à Câmara de Vereadores solicitando afastamento do cargo por trinta dias e sair de férias em uma viagem internacional com a família. Com apenas seis meses à frente da gestão municipal e sem dizer a que veio o tucano resolveu tirar férias com a família.

Tucano

A curiosa ave de bico longo – vôo errático que gosta de pular de galho em galho e voar sobre os rios da Amazônia, vai fazer uma longa viagem, sobrevoar o oceano. É o destino do prefeito cansado, vai visitar os Estados Unidos (Disney) e também Paris.

Apostemado

É isso mesmo! “Exausto” de não fazer nada a ave do bico grande resolveu tirar férias. Com apenas seis meses à frente do executivo municipal. Há quem diga que o prefeito está “apostemado” (linguagem popular), de tanto trabalhar.

Edis

Bom de bico… O tucano deverá ter o seu pedido de urgência de seu afastamento aprovado logo que chegar ao plenário da Casa de Leis. Ate porque os edis comprometidos pela indicação de cargos de quinto escalão e pequenos atendimentos, não vão se sentir em condições de dizer não ao prefeito tucano.

Cansado

Enquanto o Tucano cansado de não fazer nada descansa, o vice-prefeito Edgar do Boi (PSDC), suspeito de corrupção no depoimento do executivo da JBS-FRIBOI, deverá assumir interinamente o executivo municipal.

O Povo quer saber

Todo trabalhador e até os servidores públicos podem gozar de férias após um ano de trabalho. Por que o prefeito Hildon Chaves vai tirar 30 dias de férias, com apenas seis meses de trabalho?

Consolidação

Seria bom que os funcionários do município se mobilizassem para pedir que os vereadores contrariem a Consolidação das Leis do Trabalho e votem um projeto de Lei que a cada seis meses de trabalho os funcionários possam sair de férias.

Descanso

Férias é um direito constitucional de repouso temporário do trabalhador, com o fito de garantir-lhe um descanso relativamente prolongado proporcionando ao trabalhador a recuperação das forças físicas e mentais despendidas com o labor. Não é o caso do pássaro do bico grande.

Ministério Público

A prefeitura está, há muito tempo, à deriva, sua presença não faz a menor falta. Na verdade, nossa cidade está abandonada então, seria melhor ficar sem prefeito, só assim não teremos do que reclamar. O Ministério Público deveria, mesmo, assumir de vez a administração dos municípios, quem sabe melhora ou piora de vez. Parabéns a quem jogou nossa cidade nessa situação.

Esperança

Estamos vivendo momentos difíceis no país. Já não bastava a confiança que o povo rondoniense depositou no ex-promotor público, Hildon de Lima Chavese seus asseclas, agora colocam por terra o resquício de esperança de um povo. No entanto, a gente sabe que Rondônia é maior que tudo isso. Todos nós sabemos que o povo rondoniense é forte e lutador, vence barreiras todos os dias: da falta de emprego ao salário baixo, da dificuldade na assistência médica à escassez de vagas nas creches. Nem por isso desiste; nem por isso deixa de fazer desta cidade a alegria, da paz, da esperança. Esperança é o que devemos cultivar sempre.

Vôo do Tucano

“São os reflexos dessa política nefasta sobre nosso município que estão expostos nesse oportuno “Vôo do Tucano”. São as conseqüências danosas de um pássaro do bico grande. São os fatos e seus desdobramentos, como não poderia deixar de registrar, inúmeros desmandos, descasos, descompromissos e outras práticas que, infelizmente, se fazem presentes na memória desta cidade.”

*(Edilson Neves, jornalista, diretor e Editor do Jornal Correio de Notícias de Rondônia, Registro DRT/0001047/RO)

    Imprimir       Email
  • Publicado: 5 meses atrás, em 29/06/2017
  • De:
  • Última modificação: junho 30, 2017 @ 10:22 am
  • Arquivado em: Colunas, Edílson Neves

Sobre o autor

Mictmr1964

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também...

Uma frase óbvia que as redes sociais transformaram em puro besteirol

leia mais →