Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

Chegamos ao fundo do fundo do poço

De   /  14/07/2017  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

O atual momento político do Brasil reforça a discussão sobre o papel moral e da ética. “Há um interesse coletivo sobre o tema. Mas, está faltando, além da crítica a pratica”.

A grande maioria das pessoas não sabe mais a diferença entre o errado e o certo, a verdade e a mentira.

A verdade

Algumas vezes a verdade não é tão fácil de ser aceita, ao mesmo tempo em que, não raramente, traz em si uma boa dose de subjetividade e relatividade. Principalmente em certas ocasiões ela pode acabar com nossas ilusões, e até mesmo ser desagradável ao nosso semelhante.

Ilusões e falsidades

Nesse quadro de escândalos e sujeira, vejo um povo desolado, deprimido porque os valores éticos e morais estão sendo colocados de lado. Infelizmente muitos, cidadãos continuam a negar a verdade. Há muito construída com base em ilusões e falsidades; para tantos, aceitar a verdade significaria o desmoronar de um castelo. Seria custoso demais, do ponto de vista emocional, reconhecer um erro e admitir equívocos.

Direitos

São tantas as manobras do errado que nossos direitos éticos como cidadãos ficam expostos em dúvida. Direitos humanos para criminosos, deveres humilhantes para cidadãos honestos e trabalhadores.

Ascensão social

Vivenciamos, atualmente, momentos de crise econômica, política, e, até, mesmo, judiciária. Mas será que a crise em que vivemos não tem origem nos valores da nossa sociedade? Uma sociedade que hipervaloriza a ascensão social e o poder, na qual, as pessoas só pensam em ganhar mais e mais.

– Qual será o futuro de um país onde o povo não confia nas autoridades e nem as autoridades respeitam a sociedade?

Corrupção

Atualmente, o sinônimo dos políticos é corrupção, todavia, eles são o reflexo de um povo que os elegeu para nos representar! Evidenciando o reflexo da sociedade. Roubo é roubo, fazer batota, ou dar o famoso jeitinho brasileiro é errado. Qual será mesmo a diferença entre um político que desvia milhões, ou de um cidadão que burla o IR? Não há diferença: o político desvia o dinheiro dos contribuintes, e que seria revertido em benefícios para a população, e o cidadão também faz o mesmo, só que em menor proporção. Imaginem, porém, milhares de cidadãos fazendo a mesma coisa: é como se diz, “de grão em grão é que a galinha enche o papo”. Essa crítica aos políticos é uma crítica à nossa própria reflexão: “quem não tem telhado de vidro que atire a primeira pedra”.

Mudar

Mudar o que ai está é nossa obrigação. Nós somos responsáveis por essa transformação, começando por si próprio – somos os atores dessa mudança, começando pelas pequenas coisas. Acho fantástico o ser humano que tem a vontade e a coragem de mudar de ser uma pessoa melhor, mais consciência. Só assim teremos um mundo melhor.

Fardo

Nós podemos e devemos lutar por um país melhor, pois a responsabilidade não está só com os políticos, está em nossas mãos. Nós somos a sociedade, nós, que seremos os políticos de amanhã, nós, que somos o espelho da nação, que tipo de reflexo veremos quando olharmos para nós mesmo?

Plebiscito

“Sabemos que, a participação das massas não garante a lisura nos processos. Principalmente se lembrarmos que o primeiro plebiscito da história foi quando a multidão teve que escolher entre Jesus e um ladrão e optaram pelo ladrão.

O pior de tudo isso é que pouca gente escuta e muita gente dá opinião, mas, para convencer alguém é preciso apresentar bons argumentos para defendê-la, e também a humildade suficiente para trocar de opinião quando o outro apresenta melhores argumentos. Não somos obrigados a morrer abraçados em nossas opiniões. Aliás, é sinal de inteligência evoluir e mudar quando necessário.

Fundo do poço

Chegamos ao fim! Três mulheres invadem a Mesa do Senado e impedem a realização dos trabalhos. O desespero daqueles que se dizem opositores é tão grande que descem todos os degraus possíveis e imaginários para, simplesmente, fazer barulho e aparecer na frente das câmeras.

– Chegamos ao fundo do fundo do poço.

Amante

Algo nunca visto na historia do Senado Brasileiro: a Mesa da presidência, no Plenário do Senado, ser tomada por parlamentares não credenciadas para dirigir os trabalhos. Muita tristeza é o que sentimos neste momento conturbado que vivemos politicamente – perderam a vergonha, o pudor, a ética e a moralidade, respeitadas as raras exceções. A senadora Fátima Bezerra descredenciada toma por assalto a cadeira do presidente da Mesa e abre a sessão para discussão da reforma trabalhista. Ao seu lado, Gleisi Hoffmann também conhecida pelo codinome de “Amante” atribuído a ela nas planilhas da Odebrecht e Regina Santos, também do PT, e Vanessa Grazziotin, do PCdoB.

Bolivarianos

Essas senadoras acham que violência é argumento, estão seguindo os passos dos bolivarianos chavistas que invadiram a Assembléia Nacional Venezuelana. Faz tempo que o PT faz incitação à violência, e a tomada da mesa diretora à base da força foi liderada pela presidente do PT.

Militar

Imaginem se fosse um deputado militar que tivesse liderado esse motim e estivesse sentado na cadeira para impedir os membros eleitos democraticamente de fazer o seu trabalho? Elas seriam as primeiras a gritar falando que eles não respeitam a democracia!

Presidente bundão

Diante da negativa da senadora comunista Fátima Bezerra devolver-lhe a cadeira, o presidente bundão Eunício Oliveira tomou-lhe o microfone e encerrou a sessão. Em seguida mandou desligar as luzes e o ar condicionado do plenário.

Perderam completamente a vergonha, o pudor, a ética e a moralidade, respeitadas as poucas exceções, de alguns políticos.

Vaca Louca

Parece, até, que esses petistas pegaram a doença da vaca louca. Aqueles que deveriam ser exemplo, não apenas por serem senadoras, mas também por ser mulher”, estão totalmente desequilibradas. Enfim, o tragicômico contorcionismo da trupe petista na tentativa de impedir a votação da reforma trabalhista, (o Senado aprovou, por 50 votos favoráveis contra 26 contrários, a reforma proposta pelo governo).

Salve-se quem puder

Fico imaginando o que as autoridades de outros países devem estar pensando desta republiqueta bolivariana diante de fatos como esse, envolvendo os representantes do povo. Como fica nossa imagem lá fora diante de episódios como esse. Esses petistas, há muito tempo vem quebrando o barraco em relação aos seus desafetos políticos. Ninguém respeita mais nada, é o salve-se quem puder.

Comportamento

Lamentavelmente, não tenho dúvida e nem receio de afirmar que o nosso Parlamento é composto de políticos mais sujos que pau de galinheiro. E são esses políticos que nos representam e compõem a Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ), para analisar os temas propostos, bem como no Conselho de Ética, para julgar, inclusive, o comportamento disciplinar de parlamentares como essas senadoras.

Indiciados

Pobre congresso Federal suspeitíssimo, o qual a cada delação premiada os seus inquilinos ficam todos completamente alvoroçados, nervosos. E não é por menos que hoje temos, vergonhosamente, a grande maioria da classe politica brasileira indiciada em irregularidades.

Condenação

Enfim, nesta quarta-feira (12), saiu a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A condenação é relativa ao processo que investigou a compra e a reforma de um apartamento tríplex em Guarujá, no litoral Paulista. A sentença prevê que Lula poderá recorrer da decisão em liberdade. Dizem que o Molusco foi condenado a nove anos de prisão para que ele pudesse contar nos dedos das mãos os anos de reclusão

Profecia

Vou deixar aqui registrado uma profecia: dentro de pouco tempo teremos novas delações premiadas, e nomes de políticos poderosos, inclusive os nomes dos presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados. Profetizo também que o presidente Michel Temer, que já não tem mais condições de permanecer no cargo diante das gravações. Temer perderá a proteção da imunidade presidencial diante da realidade de que cometeu um crime durante o seu mandato. Ele não pode ser investigado por crimes ocorridos antes de sua chegada à presidência da República, mas este encontro com o dono da JBS ocorreu dentro do Palácio. Dessa Michel não tem como escapar. Vamos esperar!

*(Edilson Neves, jornalista, Diretor e Editor do Jornal Correio de Notícias de Rondônia, Registro DRT/0001047/RO)

    Imprimir       Email
  • Publicado: 4 meses atrás, em 14/07/2017
  • De:
  • Última modificação: julho 14, 2017 @ 9:57 am
  • Arquivado em: Colunas, Edílson Neves

Sobre o autor

Mictmr1964

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também...

Uma frase óbvia que as redes sociais transformaram em puro besteirol

leia mais →