Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

Ponte do Abunã, quatro vezes maior do que a da balsa, custará 50 milhões a menos

De   /  09/11/2017  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Antes de terminar 2018, a nova ponte sobre o Madeira, ligando finalmente por terra Rondônia e Acre, ficará pronta. Será uma obra imensa, com quase 4 quilômetros de extensão e com um custo muito menor do que, por exemplo, custou a ponte no bairro da Balsa, perto do centro de Porto Velho. O site istoerondonia publicou , nessa semana, informação acerca das obras da ponte s em Abunã, dando detalhes atualizados sobre a situação dos trabalhos. Uma comitiva de empresários acrianos que esteve no local, foi recebida por representantes do Dnit e informada que a obra chegará, no final deste ano, a 70 por cento da conclusão. Todo o pacote da obra,  incluindo as cabeceiras, terá um total de mais de 3.850 metros, dos quais 1.100 metros  sobre o leito do Madeirão. Uma série de obras de engenharia especiais precisam ser feitas, para dar a segurança necessária a uma das mais grandiosas  construções já feitas nessa região, afora as hidrelétricas, até pela importância estratégica de ligação não só de dois importantes estados do norte, mas também com a Rodovia do Pacífico e com nossos vizinhos sul americanos. No encontro com o grupo que esteve acompanhando o andamento da obra durante algumas horas, lhes foi informado de que os 30 por cento restantes só ficarão prontos durante 2018. A intenção do DNIT é entregar a ponte, para inauguração, no início de dezembro do ano que vem. Durante a  visita, os empresários do Acre, acompanhados do senador Gladson Cameli, do PP, foram informados de que não faltarão recursos para a obra, que custará, no final, algo em torno de 148 milhões de reais, dois quais 86 milhões já foram gastos.

Há um número estranho, para os leigos, uma conta que ao menos confusa, para quem não é do meio. Comparando-se com a ponte sobre o Madeira na Balsa, em Porto Velho, com pouco mais de um quilômetro, a obra de Abunã será muito mais barata. A da Capital, que levou pouco mais de quatro anos para ficar pronta, tem excelente qualidade, duas pistas e até hoje sequer foi iluminada, custou 52 milhões a mais do que sua equivalente, de Abunã. Pronta há alguns anos, muito menor, pela Ponte do Escuro, que liga a Balsa à BR 319, no outro lado do rio Madeira, foram pagos nada menos do que 200 milhões de reais. Claro que há enormes diferenças, pelas características técnicas de cada obra, que podem fazer uma obra menor custar mais do que uma maior. Parece que foi o caso. Mas, para quem não conhece os meandros da engenharia, os detalhes técnicos e as formas de construção, fica difícil entender uma diferença tão grande. Tomara que tudo, no final, esteja correto e não pairem dúvidas nem sobre uma e nem sobre outra obra, dessas duas, vitais para todos nós…

TUCANOS VÃO SE ACERTAR?

O ninho tucano vai tremer, neste sábado? A convenção do partido, que será realizada em Porto Velho, vai escolher o novo comando regional. Há dois grupos fortes e distintos prontos para assumir o comando do PSDB rondoniense. De um lado, a deputada federal Mariana Carvalho, representando um grupo importante do tucanato. No outro lado do ringue, o deputado de Ji-Paraná, Laerte Gomes, nome indicado pelo grupo liderado pelo ex senador e um dos mais fortes nomes do partido no Estado, Expedito Júnior. É disputa  de gente grande e poderosa. Mariana hoje é o principal nome rondoniense em termos nacionais. Do alto dos seus mais de 60 mil votos para a Câmara Federal, é inclusive uma possibilidade do PSDB para a disputa do Governo do Estado. No lado de lá, Expedito Júnior, aquele mesmo que aparece liderando praticamente todas as pesquisas para ocupar uma vaga ao Senado e um nome fortíssimo à sucessão de Confúcio Moura. O cenário poderia se encaminhar para  uma provável guerra política? Não mesmo. Nada disso deve acontecer. Expedito é especialista em diálogo e conciliação, como dizem todos os que o conhecem. E ele diz que tudo ocorrerá em paz. Mariana deve ser o nome de consenso. O resto é apenas intriga da oposição, dizem os tucanos que falam em paz…A convenção acontece na sede do PSDB, na Capital, das 8 ao meio dia.

CIRO E ACIR NO DOMINGO

Já o domingo agora, dia 12, não por acaso escolhido por ser o 12 do PDT, vai representar mais um passo importante em direção à consolidação do nome do empresário e senador Acir Gurgacz, ao Governo do Estado, no ano que vem. O partido comandado por Acir no Estado realizará sua convenção estadual em Porto Velho, na Ellis Eventos/Clube Forasteiro), na avenida Guaporé, bairro da Lagoa. Os pedetistas pretendem lotar o local, até porque haverá ainda uma atração muito especial: o pré candidato do partido à Presidência, Ciro Gomes, confirmou sua presença no evento. A turma do PDT anda animada para a disputa de 18 e o nome de Acir está consolidado como o representante do partido para entrar na corrida pela cadeira do peemedebista (por enquanto!) Confúcio Moura. A convenção, com Ciro Gomes e Acir como atrações principais, vai também apontar pré candidaturas ao Congresso e à Assembleia Legislativa. Um ano antes da eleição, a turma do PDT começa a batalhar. Agora, só falta combinar com o eleitor, porque todo o resto já está definido.

TEMPOS DE MUDANÇAS

Mudanças a vista, no governo Confúcio Moura. A primeira delas será bem mais simples, apenas uma reestruturação, criando uma nova secretaria, extinguindo outra, criando superintendências,  algumas coordenadorias e organismos que já existem, que serão atrelados aos setores que realmente se enquadram. A Secretaria do Desenvolvimento, por exemplo, ficará responsável pela área da Emater e outros órgãos de pesquisa e desenvolvimento. Haverá o mesmo novo enquadramento em setores que hoje estão na assistência social e passarão à área da saúde, como o que cuida do tratamento de dependentes químicos. Toda a nova reestruturação vai levar o Estado à modernidade e ao aperfeiçoamento da administração pública. E melhor: tudo com custo zero.  Nada demais e a reestruturação deve passar logo pela Assembleia Legislativa, onde está sendo analisada. A mudança mais complexa, contudo, deve ficar para o final do ano e o primeiro trimestre de 2018. Pelo menos uma dezena de nomes de ponta do Governo, deverão cair fora, para poderem disputar a eleição do ano que vem. A grande dúvida ainda, é sobre o décimo primeiro nome (ou o primeiro, dependendo de que forma se analise): o próprio Confúcio Moura ainda não anunciou se sai para concorrer.

PUNIÇÕES A JUÍZES

Uma mancha para a competente e sempre tão elogiada Justiça de Rondônia. E veio da Justiça do Trabalho, um órgão anômalo, que certamente, quando o Brasil amadurecer, será extinta. Em pouco mais de um ano, três magistrados do TRT do Estado foram compulsoriamente aposentados pelo Conselho Nacional de Justiça (a pena mais pesada que o Conselho pode aplicar a um magistrado) por denúncias de uma série de irregularidades praticadas, enquanto exerciam suas funções. Primeiro foi a juíza Isabel Carla de Mello Moura Piacentini, do TRT14, por pagamentos irregulares de precatórios. Agora, as decisões atingiram o desembargador Vulmar de Araújo Coêlho Júnior e o juiz trabalhista Domingos Sávio Gomes dos Santos, ambos do TRT da 14ª Região (TRT14), de Porto Velho. Denúncias contra eles numa ação do Sintero, de quase 5 milhões de reais e até ameaças contra outros magistrados e uma servidora, pesaram na decisão. Ambos ainda podem recorrer, mas certamente, o simples fato de serem punidos pelo CNJ já é questão das mais graves. Lamentável!

TORNOZELEIRA DÁ CARTA BRANCA

Vagabundos que andam com tornozeleira eletrônica, imaginam que ela serve como salvo conduto para voltar a roubar. Toda a semana, algum desses bandidos que deveriam é estar cumprindo pena nos presídios, são pegos tentando praticar algum tipo de crime. Na cara de pau eles atacam, como se pelo fato de já estarem condenados, nada mais pode afetá-los. Nessa semana, mais um foi pego quando roubava a bolsa de uma mulher na zona leste, armado com um trêsoitão, daqueles que assustam qualquer um, principalmente mulheres indefesas. Um agente penitenciário, que flagrou a ação, pegou o safado, depois que várias pessoas pediram por socorro. Enquanto a lei continua soltando esses criminosos, suas vítimas não sabem mais a quem recorrer, porque mesmo devendo estar atrás das grades, os malandros saem às ruas,  devidamente “tornozeleados” , para continuar cometendo os mesmos crimes que cometiam antes da condenação. Enquanto se fazem leis desse tipo, protegendo e babando sobre a bandidagem, como se só ela tivesse direitos, a pobre população fica à mercê do crime. Uma vergonha, que só poderemos mudar pelo voto, elegendo políticos que não concordam com essa canalhice. Afora isso, não há salvação.

FALTA MUITO POUCO

Em 1995, a História aponta que a internet, a rede mundial de computadores, começava a entrar de vez na vida dos brasileiros. Fernando Henrique Cardoso abria seu primeiro mandato, quase santificado pelo sucesso do Plano Real, que ele criara quando ministro da Fazenda de Itamar Franco. Em Rondônia, Valdir Raupp e sua indefectível barba chegavam ao Palácio Presidente Vargas, para um mandato de quatro anos. Ainda naquele ano, começou a surgir o projeto de um Anel Viário para Ji-Paraná, para desafogar o trânsito na BR 364, que atravessa a cidade e se tornara cada vez mais perigosa. Um ano depois, o projeto passou à realidade, com as primeiras ações. Mas foi em 1997 que a obra parecia que ia se tornar realidade em pouco tempo. Só parecia. Mais de 20 anos depois, enfim, o Anel Viário será entregue. Parece mentira, mas não é. Prestes a entrar para o Guiness (o livro dos recordes), como uma das obras mais demoradas da história, perderia apenas, em Rondônia,  para os viadutos de Pimenta Bueno, que demoraram 23 anos para ficarem prontos. Falta agora apenas concluir alguns acessos e duas rótulas intermediária e os 13 quilômetros e meio do Anel estarão todos concluídos.  O prefeito Jesualdo Pires considera esta a maior obra da administração de Confúcio Moura. Inauguração em meados de dezembro ou, no máximo, janeiro de 2018.

PERGUNTINHA

Você achou justa ou exagerada a decisão da Quarta Turma da Justiça Federal, que aumentou de 10 anos para 24 anos, quase dois vezes e meia, a pena imposta ao ex tesoureiro do PT, Vacari Neto, pelo juiz Sérgio Moro?

Sergio Pires – BLOG: https://www.facebook.com/opiniaodeprimeira?fref=ts

    Imprimir       Email
  • Publicado: 1 semana atrás, em 09/11/2017
  • De:
  • Última modificação: novembro 9, 2017 @ 8:51 am
  • Arquivado em: Colunas, Sergio Pires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também...

Uma frase óbvia que as redes sociais transformaram em puro besteirol

leia mais →