Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

A gestão compartilhada implantou o vírus que acabou destruindo a Caerd

De   /  10/11/2017  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

 

O sindicalismo de compadrio; da alimentação via cofres públicos; de sobrevivência às custas da destruição de empresas, se repete mais uma vez em Rondônia. Quem leu a nota oficial da diretoria da Caerd, denunciando que a estatal foi corroída até a morte, pelas ações do Sindur, o sindicato dos seus servidores, sabe muito bem do que se está falando. Desde que foi implantada a tal “Gestão Compartilhada”, quando petistas ligados ao Sindicato foram indicados para cargos dentro da Caerd, com a filosofia de ajudar a empresa a se desenvolver, mas que, na prática, colocou nela o vírus da destruição, típica do sindicalismo que existe hoje no país, a empresa entrou num processo de autofagia. A tal ponto que, atualmente, 90 por cento de todos os recursos que ela consegue ainda receber, são destinadas apenas para pagamento de salários, alguns nababescos, criados e alimentandos exatamente pela turma da Gestão Compartilhada, que deveria cuidar da galinha dos ovos de ouro, mas que, pela ignorância administrativa e pela ganância absurda, fizeram churrasco dela. “Por força de desmandos da Gestão Compartilhada”, diz nota assinada pela direção da Caerd, “a Companhia perdeu as concessões nos municípios de Pimenta Bueno, Rolim de Moura e Ariquemes”, caindo sua arrecadação de 12 milhões de reais para menos de 9 milhões de reais. Afora isso, ações do sindicato contra a própria empresa, exigindo cada vez mais benesses, cada vez mais avanços salariais, cada vez uma fatia maior do orçamento para seus apaniguados, acabaram de vez com o que restava de possibilidade da Caerd sobreviver. Uma nova greve dos funcionários, alegando atraso de três meses de salários (são dois meses, na verdade), é apenas mais uma pá de cal numa empresa estatal que era viável, mas que o sindicalismo destruiu. “Todos os recursos arrecadados pela Caerd, diariamente, são direcionados para pagar fornecedores e serviços, visando a manutenção dos sistemas e da folha de pagamento”, dia a empresa Para investimentos, zero.

O desastre da Gestão Compartilhada, criada com a melhor das intenções no governo de José Bianco e mantida depois por Ivo Cassol e durante algum tempo por Confúcio Moura, se mostrou uma sentença de morte, uma lenta agonia, de uma empresa estatal que poderia, sim, ser superavitária e cumprir seu papel perante a sociedade. Ao implantar a bactéria da demolição de dentro para fora, nela, o Sindur, seus dirigentes e associados que enxergaram apenas seus próprios interesses, não só a inviabilizaram para sempre, como ainda não terão a quem entregar essa quase massa falida. Mesmo que seja privatizada, quem será o otário que aceitará herdar essa herança maldita? No final das contas, como sempre, que pagará a conta, em todos os aspectos, será o pobre povão, esse que carrega nas costas tantos incompetentes e malandros, que se locupletam e tomam conta das coisas públicas, como se fossem suas. Lamentável!

THIAGO FEZ A SUA PARTE

Tem que se respeitar o esforço que faz o prefeito de Ariquemes, Thiago Flores, na batalha para tornar viável financeiramente sua administração. Em seu primeiro mandato e estreando na vida pública, Thiago tem se mostrado firme nos propósitos, mesmo tendo que enfrentar barras pesadíssimas. Ariquemes é uma das cidades mais violentas do Estado; sua infra estrutura é muito aquém das necessidades da população; há deficiências de toda a ordem e tem uma grande  população carente, exigindo sempre mais dos serviços públicos. Com os recursos municipais cada vez mais escassos, Thiago decidiu fazer o que qualquer bom administrador deveria fazer sempre, em tempos de crise: cortar na própria carne. Extinguiu secretarias, exonerou parceiros políticos, diminuiu a máquina da Prefeitura e busca, com a reestruturação, sobreviver num momento em que a grande maioria dos municípios brasileiros vive à míngua. Não tem sido fácil a vida do jovem prefeito de Ariquemes, desde que assumiu o cargo. Enfrentou o besteirol dos livros escolares que tentam empurrar goela abaixo das comunidades, ensinando sexo para as crianças e saiu aplaudido por sua comunidade. Agora, enfrenta novos e pesados obstáculos, para administrar. Precisará, de novo, do aval da população. A parte dele, Thiago já fez!

LUTANDO PELA ASSEMBLEIA

Nomes com grande chance de estarem na disputa por cadeiras na Assembleia Legislativa, no ano que vem e que são bastante conhecidos, não só por suas atividades públicas, como também por suas ações empresariais e profissionais: o ex Constituinte Chagas Neto, atual presidente do Conselho de Administração da Federação das Indústrias do Estado e bem sucedido empresário; Ezequiel Neiva, que já foi deputado e ficou fora duas vezes, por cociente eleitoral, atual diretor do DER; Willames Pimentel, secretário da saúde do Estado, considerado um dos maiores especialistas em administrar esse complexo setor do serviço público; Alex Testoni, ex prefeito de Ouro Preto e ex deputado estadual, empresário de sucesso; o historiador e radialista Anysio Gorayeb;  o jornalista Everaldo Fogaça, ex vereador de Porto Velho e dono do site O Observador; Ivonete Gomes, secretária de esportes da Prefeitura de Porto velho e diretora do site Rondoniagora;  Alan Queiroz, vereador do PSDB na Capital; Zequinha Araújo, vereador do PMDB; Padre Ton, ex prefeito de Alto Alegre dos Parecis e ex deputado federal pelo PT. São apenas alguns. Virão outras centenas…

A VERDADEIRA JUSTIÇA ESTÁ VOLTANDO?

Confúcio, aquele lá, o filósofo e não o daqui, já dizia que uma grande caminhada começa no primeiro passo. Pois deve-se comemorar: são apenas pequenos passos, mas ao menos são para a frente e não retrocesso. A aprovação, pela Câmara Federal, de algumas restrições a “prêmios” dados à bandidagem, pela atual legislação, é algo ainda modesto, mas uma luz no fim do túnel. O primeiro caso envolve assassinos, maiores de idade, mas com menos de 21 anos. Eles não terão mais penas reduzidas e benesses sem fim, quando praticarem um crime. Melhor ainda é a outra decisão: acabar com a famigerada e desgraçada progressão de pena para assassinos de policiais. O correto seria estender a nova decisão a todos os matadores, mas já é ao menos um pequeno avanço em direção à verdadeira Justiça e não a que se pratica hoje, onde o bandido é tratado como vítima e suas vítimas são ignoradas. Ainda falta passar pelo Senado e pela sanção presidencial, mas apenas essas duas medidas já ao menos sinalizam que pode acabar, mesmo que aos poucos, todos os benefícios dados aos criminosos. Obviamente que é muitíssimo pouco. Há um longo caminho ainda a percorrer, para que se trate bandido como bandido e vítima como vítima. Mas já é um começo!

CAMATA E AS SAÍDAS PARA O BRASIL

O Brasil tem cura, sim. Ela começa por cada cidadão, na sua casa e na sua cidade, fazendo seu papel, cumprindo suas obrigações, envolvendo-se com sua família e sua comunidade e fazendo as coisas certas. A opinião é do superintendente do Sebrae em Rondônia, Valdemar Camata Júnior, entrevistado do programa Direto ao Ponto, da Record News Rondônia (Canal 31 na TV aberta), neste sábado. Ele fala também das ações do Sebrae no Estado; explica o porquê de Rondônia ser diferenciada em relação ao restante do país e fala da importância dos pequenos e micros empreendedores na economia.  Você pode assistir a atração comandada por Sérgio Pires, simultaneamente, a partir das 10h30 da manhã, também na SKY TV (Canal 331) e na Claro TV (Canal 441.1). No domingo, o Direto ao Ponto, na íntegra, estará postado no site Gente de Opinião, para que quem não conseguiu acompanhar pelas emissoras de TV, possa fazê-lo pela internet. Vale a pena ouvir o que tem a dizer um dos economistas mais respeitados de Rondônia. Não perca!

PSDB DAQUI VAI COM TASSO

Tasso Jereissati deve ter o apoio dos tucanos rondonienses, em sua intenção de comandar o PSDB nacional a partir de dezembro e romper com o governo Temer. A posição foi anunciada oficialmente, tanto em declarações à mídia quanto com publicações nas redes sociais, pela deputada Mariana Carvalho. Como ela deve ser eleita presidente regional do partido, em convenção marcada para este sábado pela manhã, certamente levará a Jereissati o voto do diretório rondoniense, em sua grande maioria. Mariana está num bom momento na carreira política. Além de ser alvo positivo, constantemente,  da mídia nacional e aparecer horas a fio no vídeo, lendo os textos dos dois processos contra o Presidente Temer, ela tem marcado posição forte, exigindo que o ninho tucano se distancie totalmente do Planalto, embora mantenha o apoio no voto quando os temas forem as reformas, tão necessárias ao país. Tasso vai disputar o comando do partido com o governador de Goiás, Marconi Perillo, que lidera a ala que quer que o PSDB se mantenha aliado ao atual governo do PMDB. O atual presidente do partido é o semimorto Aécio Neves, uma espécie de cadáver político, que ainda se arrasta pelos corredores do Congresso, tal alma penada., defendendo aliança com Temer.

PAGANDO PARA ESTUDAR

Projeto inédito – e um teste, para  ver se dará mesmo certo e se o programa merece ser ampliado – começa a ser implantado em Rondônia e, certamente, causará muitos debates, com opiniões muito a favor ou muito contra. Basicamente, o Estado vai pagar 200 reais para que estudantes de nove escolas, onde há mais fugas de alunos; onde a frequência é muito abaixo da média; onde há, nas proximidades, mais problemas sociais, apenas para que o aluno…estude. Isso mesmo!  Para receber o auxílio, o adolescente terá que cumprir vários requisitos: idade mínima de 15 anos; renda familiar per capita de meio a três salários mínimos; ter vulnerabilidade social e econômica atestada por uma assistente social do Estado, entre outros. Para manter-se recebendo o “Auxílio Permanência no Ensino Médio”, uma ideia do governador Confúcio Moura, o jovem deverá ter frequência escolar com mínimo 75 por cento das aulas, no mês e atingir no mínimo 240 pontos em cada matéria. E não pode estar envolvido em qualquer ato ilícito ou de violência, tão comum nas escolas brasileiras. O investimento inicial será de 400 mil reais (200 reais para 2 mil estudantes) e o projeto já foi aprovado pela Assembleia Legislativa. Vai funcionar? Tomara que sim!

PERGUNTINHA

O que você acha da notícia de que o famigerado PCC, que espalha o terror no Brasil,  agora atua também em pequenas cidades, como Cabixi, interior de Rondônia, onde vários membros do grupo foram presos esta semana?

Sérgio Pires – BLOG: https://www.facebook.com/opiniaodeprimeira?fref=ts

    Imprimir       Email
  • Publicado: 1 semana atrás, em 10/11/2017
  • De:
  • Última modificação: novembro 10, 2017 @ 9:21 am
  • Arquivado em: Colunas, Sergio Pires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também...

Uma frase óbvia que as redes sociais transformaram em puro besteirol

leia mais →