Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Economia  >  artigo atual

Brasil vai estudar negociação com EUA sobre taxação do aço

De   /  12/03/2018  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o Brasil vai analisar uma possível negociação com os Estados Unidos com relação ao aumento da tarifa sobre o aço importado, medida assinada nesta quinta-feira pelo presidente Donald Trump.

Negociações

“O governo assinou isso, vai valer daqui a 15 dias, mas eles estão dizendo que estão abertos a negociações. É preciso saber que negociação é essa, o que eles estão querendo negociar. Isso tudo será analisado do ponto de vista do que o Brasil tem a ganhar ou perder”, disse Meirelles, em Nova York, onde participa de um evento para promover investimentos estrangeiros no Brasil.

Negativa

Para o ministro, a medida do governo americano é negativa para todos os envolvidos. “Beneficia a produção de aço e preserva os empregos de um grupo de trabalhadores das empresas que produzem aço. Mas prejudica, custa emprego para empresas industriais que usam aço ou alumínio e que diminuem a sua competitividade internacional por terem um insumo mais caro”.

Nota

O governo brasileiro divulgou nota nesta quinta-feira afirmando que a medida do governo americano vai causar “graves prejuízos” ao Brasil e terá impactos “nas relações comerciais e de investimentos entre os dois países”.

Boeing

O ministro participou nesta quinta de uma reunião com executivos da norte-americana Boeing, que negocia uma união com a brasileira Embraer. Segundo o ministro, a companhia fez uma apresentação sobre a proposta atual que eles estão fazendo à Embraer e ao governo brasileiro. “É uma proposta que tem que ser analisada pelo Ministério da Defesa, mas é uma decisão empresarial, em última análise. Mas, do ponto de vista do interesse nacional, é importante ouvir”, disse Meirelles.

Mão de obra

Segundo o ministro, a empresa manifestou interesse em usar a mão de obra brasileira, em uma possível fusão. “Eles dizem que têm interesse muito grande de usar mão-de-obra brasileira, por uma questão de custo e da mão de obra de alta qualidade da Embraer. Isso é uma questão que será devidamente analisada”. A proposta da Boeing é a separação de empresa em uma companhia de Defesa e outra empresa de jatos comerciais.

– Agência Brasil / Paraná Cooperativo

    Imprimir       Email
  • Publicado: 2 meses atrás, em 12/03/2018
  • De:
  • Última modificação: Março 12, 2018 @ 9:28 am
  • Arquivado em: Economia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *