Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

Artigos do Puggina – MARXISMO E ÁGUA BENTA

De   /  12/03/2018  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

 

Quem condena a riqueza, dissemina a pobreza. Sem riqueza não há poupança e sem poupança não há investimento. Sem investimento, consomem-se os capitais produtivos preexistentes, surge uma economia de subsistência, vive-se da mão para a boca, aumenta o número de bocas e diminui o numero de mãos. Quem defende o socialismo sustenta que a idéia é exatamente essa e que assim não há competição ou meritocracia, nem desigualdade.

Quando o Leste Europeu estava na primeira fase, consumindo os bens produtivos preexistentes, nasceu a teologia da libertação (TL), preparada pelos comunistas para seduzir os cristãos. A receita – uma solução instável, como diriam os químicos, de marxismo e água benta – se preserva ainda hoje. Vendeu mais livros do que Paulo Coelho. Em muitos seminários, teve mais leitores do que as Sagradas Escrituras. Aninhou-se, como cusco em pelego, nos gabinetes da CNBB. Resumidamente: perante a questão da pobreza, a TL realiza o terrível malabarismo de apresentar o problema como solução e a solução como problema. Assustador? Pois é. Deus nos proteja desse mal. Amém.

A estratégia é bem simples. A TL vê o “pobre” do Evangelho, cumprimenta-o, deseja-lhe boa sorte, saúde e vida longa, e passa a tratá-lo como “oprimido”. Alguns não percebem, mas a palavra “oprimido” designa o sujeito passivo da ação de opressão. O mesmo se passa quando o vocábulo empregado na metamorfose é “excluído”, sujeito passivo da exclusão. E fica sutilmente introduzida a assertiva de que o carente foi posto para fora porque quem está dentro não o quer por perto.

A TL proporciona a mais bem sucedida aula de marxismo em ambiente cristão. Aula matreira, que, mediante a substituição de vocábulos acima descrita, introduz a luta de classes como conteúdo evangélico, produzindo o inconfundível e insuperável fanatismo dos cristãos comunistas. Fé religiosa fusionada com militância política! Dentro da Igreja, resulta em alquimia explosiva e corrosiva; vira uma espécie de 11º mandamento temporão, dever moral perante a história e farol para a ordem econômica. Por fim, anula as possibilidades de superar o drama da pobreza. A TL substitui o amor ao pobre pelo ódio ao rico, e acrescenta a essa perversão o inevitável congelamento dos potenciais produtivos das sociedades.

Todos sabem que Frei Betto é um dos expoentes da teologia da libertação. Em O Paraíso Perdido (1993), ele discorre sobre suas muitas conversas com Fidel Castro. Num desses encontros, narrado à página 166, falava-se sobre a TL. Estavam presentes Fidel, o frei e o “comissário do povo”, D. Pedro Casaldáliga, espécie de Pablo Neruda em São Félix do Araguaia. Em dado momento, o bispo versejador comentou a resistência de João Paulo II à TL dizendo: “Para a direita, é mais importante ter o Papa contra a teologia da libertação do que Fidel a favor”. E Fidel respondeu: “A teologia da libertação é mais importante que o marxismo para a revolução latino-americana”.

Haverá maior e melhor evidência de que teologia da libertação e comunismo são a mesma coisa?

 

 

 

*Percival Puggina (73), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.

 

 

 

 

Comentários

DAGOBERTO . 11.03.2018

Excelente, Percival, como sempre. E, desta vez, os comentários acima também merecem aplausos.

Ismael de Oliveiira Façanha . 10.03.2018

Cristo pregou um judaísmo de confissão livre, aberto à todos, pobres ou ricos, habitantes do mundo romano. Destruída Jerusalém, com o Templo, no ano 70, os judeus perdendo sua referência histórica, forneceram muitos adeptos à nova religião embrionária. Passada a fase primitiva da espera escatológica do estabelecimento do reino milenar do Cristo triunfante, o Concílio de Niceia, em 325, estabeleceu o Dogma da Igreja como é até hoje conhecido, SINCRETICAMENTE agregando elementos da religião existente, como para a data do nascimento de Cristo, a mesma da festa do nascimento do SOL INVICTUS, celebrada pelos romanos: 25 de dezembro. O Marxismo, ao contrário, baseia-se na LUTA DE CLASSES, na intolerância.

cleiton . 10.03.2018

excelente o artigo. direto e esclarecedor. Parabéns.

 

Fernando Bandeira . 10.03.2018

ESTOU CADA VEZ MAIS IMPRESSIONADO com a lógica correta empregada pelo Conservadorismo, por sua honestidade na exposição de ideias, mostra-se infinitamente superior ao marxismo que, ao contrário, traz sempre segundas intenções imperceptíveis ao homem comum. A Teologia da Libertação, o marxismo cultural, o “politicamente correto” são todos lógicas perversas de uma dialética que vai levar toda uma civilização à autodestruição. É preciso reconhecer esta farsa urgente para separar o joio do trigo, do contrário, o caminho não terá mais volta e o resultado será o caos e a miséria que, com certeza, nenhum marxista será capaz de resolver, até porque nunca foram. Percival Puggina sempre trazendo clareza. Obrigado!

Dalton Catunda Rocha . 10.03.2018

Eu nasci aqui em Fortaleza-Ceará, em 1970. Quando criança, eu ainda peguei o Brasil estritamente católico, que estava morrendo, naquele exato momento. Era raro se ver uma igreja pentecostal, nos anos 1970. Hoje, há mais templos pentecostais, que todas as outras religiões juntas, no Brasil. Uma irmã minha virou crente, tendo já trocado várias vezes de $eita. Algumas pessoas de minha imensa família foram, para $eita$. E sabes por que? Foi que a Igreja Católica, se fez numa mera filial da CUT. A Igreja Católica trocou Cristo, por Karl Marx. Foi desta Igreja Católica, que surgiram coisas como o PT e o MST. Eu vi com os meus olhos, padrecos petistas, marxistas, etc. que nunca falavam de Deus, de Santa Maria ou dos santos, em missa alguma. Eles só falavam de marxismo e gramscismo, para corromper os fiéis. O resultado? Dezenas de milhões de pessoas deixaram o catolicismo de vez, graças a estes padres de passeata e estas freiras de minissaia; royalties para Nelson Rodrigues(1912- 1980). Quatro décadas seguidas de crise econômica levam, como todas as crises que a história já mostrou, uma larga percentagem de pessoas a acreditar, em coisas absurdas. Nos últimos 38 anos, subiram tanto a taxa de criminalidade, quanto a percentagem de brasileiros que seguem as $eita$. A desesperança no mundo real, manda as pessoas a buscarem conforto no absurdo, que é o que as $eita$ de fato podem oferecer. Sai o patuá e entra o óleo santo de Israel. Sai o feitiço e entra a teologia da prosperidade. Sai o umbandismo e entra o pentecostalismo. Em suma. Sai o seis e entra o meia-dúzia. Fundado pelo gay, racista, picareta, etc. Charles Fox Parham (1873-1929), o pentecostalismo é um sucesso na América Latina, pelo fato de ser uma macumba, com uma fachada bíblica. Templo é dinheiro. E mentiras. Sobre as “curas” dos pa$tores, veja o site: https://www.youtube.com/watch?v=fwoc6z6ymcY Se Jesus é o caminho, o Bi$po Macedo é dono do pedágio. Se o Bi$po Macedo é seu pa$tor, um dia, tudo te faltará.

 

Rodrigo . 10.03.2018

Só deixo um comentário ao pessoal da esquerda: é melhor JAIR se acostumando, que o Brasil vai mudar, não perdem por esperar!

Isac . 10.03.2018

A esquerdista TL(PT) é uma farsa das milhares de réplicas dos apóstatas L Boff, Betto, Gutiérrez, D Casaldáliga e doutros mais prelados vermelhos atuantes, até na CNBB ao lado das esquerdas, caso PT, traidores da fé católica e capachos do comunismo internacional! A TL foi obra prima da KGB para disseminar marxismo sob forma de doutrina católica reformulada em seus experientes laboratorios de engenharia social, transmutados muito sutilmente para o socialismo, ancorando-se sempre nos “pobres, oprimidos, excluídos etc.” – mas que por trás, eram considerados por eles como seus milicianos, massa-de-manobra para esses patifes vermelhos chegarem ao poder! Porém, para as esquerdas, os pobres e marginalizados eram as grandes vítimas por obra dos capitalistas, embora sem mostrarem que eram os maiores capitalistas e burgueses, apenas as garras desses mafiosos vermelhos seriam mostradas quando estivessem no poder! CHAME OS OUTROS DO QUE V É E ACUSE OS OUTROS DO QUE V FAZ – Lênin, sendo esse o lema usado pelas chantagistas esquerdas a cada instante e, nos momentos de estarem acuados, passarem de VÍTIMAS INOCENTES dos que não querem promover os pobres! Haja quem caia nas conversas desses contrabandistas de ilusões, vendedores de pacotes para fins de semana em Marte e de lotes na lua, sumamente escravagistas, como em Cuba, os dirigentes da mafia nos resorts, os filhos estudando em Miami e capachos como milhares de médicos(?) e outros alugados mundo afora ajudando a pagar as contas… Temos também como demonstrativo a vitrine do comunismo a famélica, misérrima e violentíssima Venezuela, modelo que os estúpidos muares Lula e Dilma queriam implantar a ferro e fogo no Brasil!

 

Alvaro Echagüe . 10.03.2018

Excelente, sua análise é precisa, inteligente e esclarecedora.

    Imprimir       Email
  • Publicado: 3 meses atrás, em 12/03/2018
  • De:
  • Última modificação: março 12, 2018 @ 10:26 am
  • Arquivado em: Colunas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *