Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Cotidiano  >  artigo atual

Programa Gênesis organiza recursos humanos e combate evasão escolar

De   /  14/03/2018  /  Sem comentários

    Imprimir       Email


Técnicos e gerentes da Seduc participaram da exposição feita sobre o Genesis.

Um relato preliminar das atividades do Grupo Técnico de Trabalho  instituído por decreto (nº 22176) do governador Confúcio Moura para promover mediante o projeto Gênesis a organização dos sistemas de patrimônio predial, recursos humanos e gestão escolar foi apresentado ao vice-governador Daniel Pereira em reunião na Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

“Essa é uma ferramenta importante; com ela o estado de Rondônia consegue combater em cem por cento a evasão escolar em suas escolas. E possível saber mês a mês a media de desempenho das turmas de matemática, física, química e português. E poderemos disponibilizar para as prefeituras”, declarou o vice-governador Daniel Pereira a respeito do projeto.

Com o Genesis, explicou, será possível saber todos os dias quantos alunos faltam em cada uma das nossas escolas, e com isso adotar com maior efetividade políticas de combate à evasão. “Lembro que o Brasil e Rondônia são parceiros do Selo Unicef, e um dos indicadores é combater a evasão escolar. O governo de Goiás cedeu essa tecnologia ao nosso governo. Tem custo zero para Rondônia”, disse.

O grupo de trabalho, sob a coordenação de Bernard Gonçalves Nagel, já realizou o cadastramento de todos os profissionais das escolas em pelo menos metade do Estado, segundo o vice-governador. “Já trabalharam até Ji-Paraná, faltam os municípios da BR-429 e região Sul. Em termos populacionais, já fizeram mais da metade do Estado, porque somente em Porto Velho são 94 escolas, o que representa 25% de todos os estabelecimentos. Praticamente 60% foi feito”, disse.

O Gênesis é um conjunto de sistemas integrados que visa a reestruturação sistêmica da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), a maior pasta da administração direta, com 22 mil funcionários, dos quais aproximadamente 14 mil são professores. O trabalho que sendo feito, entre outros, é identificar onde eles estão, se a lotação é adequada para a escola em que estão, onde está faltando professores etc.

“São múltiplas as possibilidades de uso da tecnologia do Gênesis. Uma delas, conhecendo-se a tipologia das escolas (tamanho, quantidade de salas de aula etc), se saberá a necessidade de material e de pessoal. Como não temos nada hoje que controle efetivamente isso, há escolas em que faltam gente e outras em que sobram profissionais. Então, preciso ter um equilíbrio disso, precisamos ter pessoas distribuídas no local certo para exercer a função certa”, declarou Daniel Pereira.

O vice-governador disse que os Estados que avançaram ainda mais que Rondônia na educação, a exemplo do Maranhão – “cantado em verso e prosa como um dos melhores salários para professores” -, o próprio Goiás, Acre e o Ceará, reorganizaram seus sistemas de pessoal e gestão escolar.

“Estes Estados fizeram a otimização de seu recursos. O governador Flávio Dino, do Maranhão, logo investiu no gerenciamento de pessoal, o que está permitindo melhorar os salários. Quando faço a lotação adequada de profissionais, isso evitará contratação de forma desnecessária, sobrando recursos para melhorar a remuneração dos que efetivamente estão trabalhando em salas de aula”, declarou Daniel Pereira.

A Secretaria de Estado da Educação não tem um número preciso, mas estima-se que quase 50% dos professore estejam fora de sala de aula. Isso não quer dizer, segundo disse o secretário Valdo Alves a um site da capital, que todos sejam um problema. Existem profissionais com problemas de saúde, que precisam de avaliação de junta médica, tem quase 3 mil em condições de se aposentar e tem pessoas afastadas da função.  O projeto Genesis está identificando caso a caso todas as situações.

“Existem ações que podem ser adotadas para otimizar o quadro de pessoal e os recursos a fim de que possamos investir mais na remuneração de nossos professores”, disse o vice-governador. A previsão é de que todo o cadastramento seja concluído em abril.

Texto: Mara Paraguassu

    Imprimir       Email
  • Publicado: 3 meses atrás, em 14/03/2018
  • De:
  • Última modificação: março 14, 2018 @ 11:20 am
  • Arquivado em: Cotidiano, Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *