Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

No país do jeitinho e da malandragem, podemos estar pagando 20 bilhões de reais em benefícios irregulares

De   /  30/04/2018  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Sergio Pires

A intenção do Bolsa Família em tirar da pobreza extrema e da miséria milhões de brasileiros, merece todos os aplausos. É um dos mais nobres programas sociais que o Brasil já criou. Começou como Bolsa Escola, criado pela então primeira dama do país, Ruth Cardoso, esposa de Fernando Henrique Cardoso e foi muito ampliada, diga-se, com toda a justiça, pelo Presidente Lula. O que ocorreu é que houve um claro desvirtuamento do programa, que passou a ser um mote eleitoreiro, mas, pior que isso, abriu brechas, por falta de fiscalização, para que milhares de vagabundos e canalhas dele usufruíssem, sem ter esse direito. A ponto de que, numa das últimas pesquisas nacionais em 60 municípios escolhidos aleatoriamente, para serem fiscalizados, foram encontradas irregularidades em 59 deles. A verdade é que a boa intenção de vários programas e direitos do brasileiro, acabam envolvidos em corrupção e escândalo, impedindo que os benefícios cheguem somente a quem realmente precisa. Outro exemplo disso é mais um programa social importante, que tem sido ampliado com o passar dos anos, o Seguro Defeso. Ele ajuda famílias de pescadores pobres, que não têm outra renda, a enfrentarem o período em que a pesca é proibida, por ser época de reprodução dos peixes. Mas até essa ideia extremamente positiva, no Brasil, acaba virando motivo de corrupção e sacanagem. Prova concreta? Sete mil “pescadores” recebem o Seguro Defeso numa cidade da serra gaúcha, Caxias do Sul, onde jamais houve registro de pescadores profissionais. O Ministério Público está investigando…

Tem muito mais! Diversos benefícios de programas sociais estão sendo revisados pelo governo federal, para verificar se os beneficiários ainda cumprem os requisitos apresentados para a concessão do auxílio. Segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, o objetivo é revisar 1 milhão e 800 mil benefícios, entre auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, por exemplo. Após o pente fino, a expectativa do governo é chegar a 1 milhão e 100 mil benefícios mensais. A economia total com as medidas pode chegar a 20 bilhões de reais. Ou seja, o Brasil está pagando, teoricamente, 20 bilhões em benefícios irregulares. Só nesses dois quesitos. Não é de assustar? Em vários outros atendimentos à população, todos os dias são detectados golpes, malandragens, tentativas de receber algum valor imerecido. Quem não viu, dias atrás, em noticiário de TV nacional, um beneficiário do INSS com o braço engessado e, pouco depois de sair do consultório médico, arrancando o gesso e jogando fora? Infelizmente, essa cena lamentável não é exceção. Temos ainda um longo caminho a trilhar, até nos tornarmos um país sério, em que todos só aceitem benefícios quando tiverem direito. Porque pela cultura nacional de hoje, isso parece ser apenas um sonho distante…

DETRAN TEM APENAS 1.391 SERVIDORES

O Detran contesta, com números reais, de que tenha mais de 2 mil servidores. O resultado correto, demonstra, é muito menor. Neste mês de abril, por exemplo, o órgão tinha  apenas 895 servidores efetivos na Capital e interior, além de 61 contratados pelo regime da CLT; apenas 303 comissionados (muito longe e bem abaixo dos mais de mil informados erroneamente por essa coluna, a partir de dados que recebeu de outras fontes) e 132 cedidos por outros órgãos. Ou seja, ao invés dos mais de 2 mil servidores que se noticiou nesta espaço, o Detran informa que, na verdade, somando-se todos os cargos, tem apenas 1.391 funcionários, atuando em Porto Velho e nas 73 Ciretrans do interior do Estado, já que o órgão está presente em dezenas de municípios e também nos distritos. Os números divulgados nesse espaço foram somados erroneamente pelos informantes, embora a responsabilidade pelo erro seja do responsável pela publicação. Por isso, pedimos desculpas ao Detran e aos leitores, pelo erro cometido. Não se repetirá!

PREFEITO E MÉDICOS: CRÍTICAS E REPÚDIO

Na área da saúde, ao menos por enquanto, as coisa vão de mal a pior. Além de tudo o que está sofrendo a população, agora ocorreu uma ruptura pública nas relações entre o prefeito Hildon Chaves e os médicos, representados pelo Conselho Regional de Medicina, o Cremero e o Sindicato dos Médicos do Estado, o Sismero. Na quarta-feira, em entrevista a Augusto José, no programa Balanço Geral, da SICTV/Record, o Prefeito fez duras críticas a profissionais que atuam na saúde municipal. Dois dias depois, as duas entidades divulgaram uma pesada nota de repúdio às declarações de Hildon e, ainda, o acusaram de estar sucateando a saúde, para entregá-la à terceirização. Texto pesado, que bem demostra a que ponto chegou o relacionamento entre o Prefeito e os profissionais da área. O secretário da Semusa, o também médico Orlando Ramires, contestou os termos da nota e afirmou que jamais aceitaria participar de ações que visassem sucatear a saúde. A verdade é que a crise é muito séria e que há necessidade urgente da volta do diálogo entre as duas partes, para o bem da população. Tem que sentar e conversar. Já!

A BATALHA DOS 180 DIAS

Ao que tudo indica e se São Pedro não mudar o quadro, a longa temporada de chuvas está chegando ao fim, em Rondônia. Na Capital, o prefeito Hildon Chaves e sua turma andam contando os dias, porque a pretensão é dar uma melhorada significativa na cidade, durante os meses secos. E precisa mesmo! Numa  Capital com infraestrutura extremamente deficiente; com dezenas e dezenas de suas ruas totalmente esburacadas; com áreas que, se não forem corrigidas agora, voltarão a causar enormes alagações no próximo inverno, os próximos seis meses precisam ser muito bem aproveitados. A Prefeitura ainda está com alguma dificuldade de realizar licitações, com projetos em fase de conclusão, mas há esperança de que muita coisa possa ser feita até meados de outubro, quando as chuvas recomeçarem. Será o segundo verão da administração de Hildon Chaves e, certamente, a estrutura que ele tem a disposição, está mais preparada do que estava no ano passado. Torçamos, enfim, que ao menos em termos de obras, Porto Velho dê um salto nestes próximos 180 dias…

VEM MUITA SUJEIRA POR AÍ!

Que ninguém seja ingênuo a ponto de imaginar que teremos uma campanha de alto nível na disputa pelo Governo. Embora ainda sequer  as candidaturas tenham sido postas, já há equipes tratando de buscar tudo o que possam usar contra seus possíveis adversários de outubro. Os sistemas de transparência, utilizados para que os órgãos públicos divulguem todas as informações que devem ser de conhecimento público, vêm sendo devassados por gente que já está trabalhando – e recebendo para isso – na busca de qualquer coisa errada que possa servir, na hora certa, para desacreditar os adversários que seus aliados terão pela frente. Como a coluna já teve acesso a algumas dessas questões – que são públicas – já  foi possível ter uma ideia do que vai vir por aí. Afora isso, o uso de Fake News, as mentiras, invenções, calúnias e difamações vão ser abundantes nesta próxima campanha, mesmo com a ameaça das autoridades de combaterem esses crimes com dureza. Preparemo-nos para ver, ler e ouvir muita sujeira!

QUEM MANDA MESMO NESTE BRASIL?

Pré candidato à Presidente pelo Solidariedade, depois de uma vida inteira na política dedicada aos partidos de esquerda e principalmente ao PC do B, o ex deputado e ex ministro Aldo Rebelo disse,  na Folha de São Paulo, que não se sabe hoje quem verdadeiramente manda no país. “No Brasil, o poder está pulverizado. Não sabemos mais quem manda no país: se um juiz de primeiro grau, um deputado líder no Congresso ou um ministro do Supremo, onde há 11 autoridades diferenciadas”. Foi mais longe. Afirmou que “o Presidente da República precisa ser muito forte, ter capacidade e autoridade. É um paradoxo, mas o Brasil vai precisar de um Presidente forte, não autoritário, mas com autoridade. Quando olhamos para os Brics e podemos ter todas as divergências com o presidente dos EUA, mas, quando olhamos, há um chefe no Executivo. Na China, na Índia, na Rússia ou na França há autoridade”, comparou. Ele reafirma que no nosso país não se sabe exatamente quem é que decide. Claro que garante que, se for eleito, vai mandar sim! Não disse como, nessa baderna em que se transformaram algumas coisas neste Brasil de hoje, onde por exemplo o Supremo, guardião da Constituição, aceita mudanças que vão frontalmente contra ela. Mas isso  já é outro assunto…

VINTE POR CENTO BEBEM  E DIRIGEM

Muitas mudanças estão sendo programadas para o trânsito da Capital, incluindo a implantação de um sistema de vigilância por câmeras. Há necessidade sim de mais fiscalização e mais controle. Mas nada vai resolver ou amenizar o problema, se os motoristas continuarem cometendo as mesmas loucuras, os mesmos devaneios, as mesmas maluquices que se vê todos os dias. E nada adianta o esforço para conter os acidentes, feridos e mortos nas ruas, caso muitos condutores continuem, por exemplo, dirigindo depois de encher a cara de pinga. Na sexta à noite, por exemplo, em 108 carros abordados pela Operação Lei Seca, 23 motoristas foram flagrados pelo bafômetro. Todos tinham bebida, alguns mais, outros menos. Dezessete motoristas que se negaram a cumprir as exigências legais do teste, foram presos em flagrante e levados para a Delegacia. Ora, se com a dureza da lei, com as multas pesadas e, agora, com risco de prisão para quem participar de acidente após ter bebido, mesmo que não o tenha causado, nada disso amedronta os motoristas, o que vai mudar? No trânsito, se não se mudar a cabeça dos condutores de veículos, nada, absolutamente nada, vai mesmo funcionar!

SÃO 117 MILHÕES LIGADOS NA NET

Nas Universidades brasileiras, ela já existia desde meados da segunda parte dos anos 80. Mas foi apenas em 1995 que a Internet começou mesmo a funcionar no Brasil, inicialmente por um sistema de discagem. Foi num maio, apenas há 22 anos atrás, que o sistema que hoje não só faz parte da vida da grande maioria dos brasileiros, como de bilhões de terráqueos, começou mesmo a se desenvolver em nosso país. Hoje, o Brasil tem quase 117 milhões de usuários da internet, segundo números oficiais do IBGE. Os números se referem a um levantamento feito no final de 2016, ou seja, há mais de um ano e meio atrás, significando que podem estar desatualizados, em relação à realidade local. Os dados também confirmam tendências mundiais, como a onipresença dos celulares, como dispositivo preferido para acesso à rede, sendo citado por 94,6 por cento  dos entrevistados. Segundo o IBGE, 64,7 por cento  da população brasileira acima dos 10 anos de idade, com uma prevalência dos jovens adultos – 85 por cento de pessoas entre 18 e 24 anos – têm acesso à internet. Mulheres acessam mais à rede mundial do que homens: elas são 65,5 por cento e eles 63,8 por cento.

PERGUNTINHA

Na sua opinião, de quem é a principal culpa pela má qualidade do serviço municipal de saúde, em Porto velho, que nunca esteve tão deficiente como agora?

– Por Sergio Pires

    Imprimir       Email
  • Publicado: 4 semanas atrás, em 30/04/2018
  • De:
  • Última modificação: Abril 30, 2018 @ 3:49 pm
  • Arquivado em: Colunas, Sergio Pires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *