Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

Falta dinheiro até para o caixão e para  o jazigo perpétuo da Caerd

De   /  10/05/2018  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Como a Caerd continua ainda de pé, mesmo cambaleando, depois de tudo o que aconteceu em sua história, incluindo as fases mais recentes, onde ela foi espoliada e tratada como propriedade privada por alguns poucos? Claro que a divida de mais de 1 bilhão de reais não veio do dia para a noite. Levou ao menos duas décadas e meia para que ela se tornasse esse assombro que é. Nesse período todo, ela foi explorada de todas as formas. O que não se compreende é onde estavam as autoridades responsáveis e os órgãos de fiscalização, como o Governo, seu maior acionista, o Tribunal de Contas e o Ministério Público, que não agiram lá atrás, quando ainda havia jeito? Por que entraram na história só agora, quando não há mais salvação? Ora, quando um ex diretor usou a própria caneta para se autopremiar com um aumento de salário em 8 mil reais, não havia uma só voz para berrar contra essa excrescência? E ninguém fiscalizou quando pelo menos duas dezenas de servidores conseguiram entrar na empresa usando documentação falsa e falsos diplomas? Onde estavam o Tribunal de Contas e os demais órgãos fiscalizadores, que não detectaram que a Caerd deixava de cobrar dividas de pelo menos 30 milhões de reais dos municípios onde atuava? Alguém com responsabilidade, incluindo todas as diretorias do passado e a atual, não deveria ter chamado a polícia, quando a folha de pagamento da empresa chegou a 90 por cento da arrecadação? E por que não foi feito o mesmo quando a atual direção encheu a empresa, totalmente quebrada, de cargos de confiança, todos com altos salários?

Ora, uma Caerd não quebra de uma hora para a outra! A implosão se deu pela inércia, ineficácia, irresponsabilidade, falta de respeito ao Estado e à sua população, de parte de quem deveria dirigi-la e cuidá-la, durante pelo menos os últimos 25 anos, incluindo os dois últimos, quando se começou uma desesperada tentativa de salvar o que fosse possível. Quando já havia praticamente apenas escombros. Agora, com 1 bilhão de dívidas, sem futuro, com quatro meses de salários atrasados e mais o 13º do ano passado; com uma arrecadação muito inferior a seu custo, a Caerd  vai ser jogada no lixo. Nem o aumento do faturamento de pífios 8 milhões mensais para ainda fracos 12 milhões, na gestão da atual presidente, Iacira Azamor, ajudou em alguma coisa. A  estatal não tem mais cura. Enlameada, enrolada até o pescoço, dividida numa guerra diária entre servidores e diretoria, a Caerd não tem dinheiro nem para seu caixão, nem para seu jazigo perpétuo. Jamais descansará em paz, pelos danos que causou à população e por sua ineficácia e falta de respeito para com o rondoniense. Não só ela, mas todos os que lavaram suas mãos e a deixaram chegar onde chegou. Uma vergonha!

É UM GOVERNO NOVO!

O trio que formava a base mais forte do governo do Estado está desfeito. Wagner Garcia de Freitas (Fazenda), George Braga (Planejamento) e Emerson Castro (Casa Civil), que formaram um triângulo sólido para que o governo Confúcio Moura tivesse os bons resultados que teve, estão fora da administração. O quarto nome, Waldo Alves, que mexeu profundamente e para muito melhor na Educação, também caiu fora. Ou seja, terminou o governo Confúcio Moura. Começou o governo Daniel Pereira. Não é uma sucessão, é um novo governo, com novo plano de ação, com novas metas e novos nomes compondo a equipe principal, assim como em muitos cargos do segundo escalão e outros escalões menores. A desvantagem de Daniel é que ele terá apenas mais sete meses para mostrar o que mudou e se mudou para melhor. Não é fácil, em tão pouco tempo e com a equipe principal toda renovada, conseguir dar uma cara nova ao governo que sucedeu Confúcio. Nos setores mais importantes, saiu a turma confunciana e entrou a turma pereirana. Vamos ver qual das duas se sairá com resultados melhores, até o final deste mandato.

MEXIDA NO TIME DA SEGURANÇA

Daniel mexeu na segurança pública, colocando o coronel Mauro Ronaldo Flores Correa comandando a PM, em substituição a Ênedy Dias, que voltou a assumir funções na área da segurança militar na Assembleia Legislativa. Já no comando da Sesdec, a secretaria que cuida da segurança no Estado, saiu o coronel bombeiro Elioberto Caetano e entrou em seu lugar outro PM, o coronel Ronimar Vargas Jobim, nome da confiança pessoal do  Governador. Ambos receberam a ordem direta do chefe de apresentarem números muito melhores no setor que tem tido poucos avanços. Tudo porque o que temos é insegurança, até pelos números crescentes que andam assustando a população. Daniel mexeu também em outras estruturas, como a que cuida dos presídios, porque nos últimos tempos o setor estava vivendo numa extrema deficiência, com os presos, em algumas cadeias, as transformando em hotéis de alta rotatividade. O novo secretário da Sejus, que cuida dessa área, o agente penitenciário Adriano de Castro, também precisa apresentar resultados rápidos, pondo fim a essa bagunça no sistema, principalmente na região da Capital e de Ariquemes. O problema deste novo governo é esse: tudo tem que ser feito com rapidez muito maior, pelo tempo muito curto. Se conseguir avanços nesta área, Daniel já terá conquistado, certamente, um espaço importante, como chefe de governo, entre os rondonienses…

BOMBA DE 1 MILHÃO DE TONELADAS

A quinta-feira é o prazo final para que o governador Daniel Pereira sancione ou vete o projeto, aprovado pela Assembleia, de criação de um Conselho de proteção aos gays e outras minorias, assunto que balançou as relações entre políticos nas últimas semanas. Caso não faça nem uma coisa, nem outra, que é o que se ouve que o Governador decidirá, o projeto volta para o Parlamento, para ser promulgado. Cairá no colo dos parlamentares que não querem nem ouvir falar nele, como o evangélico Maurão de Carvalho, voto vencido na votação original. Caso isso ocorra, certamente o projeto não passará, porque embora favoreça uma minoria sempre barulhenta, que pode causar estragos em candidaturas de outubro, tem a ojeriza de uma grande maioria de evangélicos, que, mesmo menos barulhentos, eles sim, decidem eleição em Rondônia. Os pastores estão mobilizados contra a criação do Conselho e até a Igreja Católica, que teria emitido uma nota de apoio, conforme publicado nas redes sociais, estaria recuando no assunto. É bomba atômica de 1 megaton. Um megaton equivale a 1 milhão de toneladas de TNT…. Espera-se que não exploda!!!

ROUBANDO CRIANÇAS FAMINTAS

Quando políticos formam quadrilhas para roubar dinheiro da merenda escolar das crianças pobres, o que pensar de gente assim e de um país em que a população elege gente assim? Rouba-se o dinheiro dos pobres, rouba-se dinheiro de medicamentos, rouba-se dinheiro de obras, rouba-se dinheiro de escolas. E isso ocorre hoje, mesmo com todo o combate à corrupção e as prisões de dezenas de criminosos que se travestem de políticos para, ao assumir o poder, começarem a praticar toda a série de crimes. Essa gente canalha não se envergonha e nem tem medo de nada. Nesta quarta, só para ilustrar o que está acontecendo neste país putrefato de tanto ladrão, a Polícia Federal desarticulou nada menos do que cinco grupos criminosos, que se especializaram em desviar recursos da União que eram destinados à merenda escolar de milhares de crianças. Os crimes eram praticados em São Paulo, Paraná, Bahia e Distrito Federal. Pelo menos 13 prefeitos atuais e quatro ex prefeitos estão envolvidos. Pior que esses bandidos vão levar anos até irem para a cadeia e, muitos deles, enquanto isso, ainda se elegerão para outros cargos. Temos que pensar em medidas urgentes, práticas, de profilaxia, para impedir que esse tipo de criminoso continue tendo aval das leis eleitorais, para continuarem participando de eleições e ganhando votos do povo incauto. Avançamos um pouco nisso, mas ainda estamos longe de resolver em definitivo…

DOIS RETORNOS DE LUXO

Notícias boas: depois de algum tempo de internação, já está de volta o empresário Chagas Neto, que retorna às lides políticas, na condição de pré candidato do PSB à Assembleia. Se tinha dúvidas ainda da sua popularidade, Chagas não tem mais:  recebeu centenas e centenas de mensagens de solidariedade e de pedidos para que voltasse logo ao convívio da família e amigos; recebeu centenas de orações; foi saudado por onde passou, logo após sair do hospital. É um personagem arraigado à história de Rondônia que, felizmente, está preparado para enfrentar não só uma campanha, mas também todas as dificuldades que surjam pela frente. O PSB, seu partido, anda comemorando também, porque considera Chagas um puxador de votos. A outra boa nova também envolve figura que há muitos anos milita na política de Porto Velho e que estava afastado, há algum tempo. Trata-se do ex prefeito Carlinhos Camurça, agora no partido PODEMOS, que retoma sua carreira, disputando uma vaga na Assembleia. Nos últimos dias, Camurça tem sido uma atração em vários programas de rádio e TV, além de estar fazendo sucesso na mídia, falando sobre seu retorno. Chagas e Camurça são nomes dos mais quentes (ambos com longa ficha de serviços prestados a Rondônia), para a eleição de outubro.

A VOLTA DE NAZIF

O ex prefeito Mauro Nazif está de volta. Ainda de forma não acintosa, atuando mais da porta para dentro, mas já organizando sua pré campanha a deputado federal. Mauro andava pra baixo, desde que não conseguiu nem ir ao segundo turno para buscar sua reeleição. Mas com todos os problemas que seu sucessor, Hildon Chaves, tem enfrentado, a administração que foi considerada muito fraca, comandada por Nazif, já não parece tão horrível assim! Além disso, como hábil político, Nazif conseguiu costurar acordos que, mesclados com uma boa dose de sorte, colocaram seu companheiro de partido e nome que ele, Mauro, indicou para compor a chapa com Confúcio Moura, como vice governador. O agora governador Daniel Pereira é extremamente  grato a Nazif e já avisou que vai colocar todo o seu prestígio para apoiá-lo à Câmara Federal. Daniel tem dito que tem plena certeza de que Mauro Nazif será o candidato mais votado para a Câmara, em outubro. Certamente está cometendo algum exagero, mas não se duvida de que o ex prefeito de Porto Velho tem sim cacife eleitoral, para se tornar um dos com grande votação, entre todos os pretendentes. Esperemos para ver!

PERGUNTINHA

O que você acha da atuação de representantes de partidos políticos e movimentos sociais que comandam as invasões a prédios em São Paulo e depois exploram os moradores, cobrando aluguéis e outras taxas?

Sérgio Pires – BLOG: https://www.facebook.com/opiniaodeprimeira?fref=ts

    Imprimir       Email
  • Publicado: 2 semanas atrás, em 10/05/2018
  • De:
  • Última modificação: Maio 10, 2018 @ 8:19 am
  • Arquivado em: Colunas, Sergio Pires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *