Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Colunas  >  artigo atual

A violência no Brasil e as fake analysis

De   /  11/06/2018  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Os principais sites de notícias divulgaram dados do Atlas da Violência 2018. O foco das informações centrou-se no aumento da letalidade intencional de negros e pardos e na redução dela entre a população branca. O maior índice de crescimento se deu entre as mulheres negras.

Os comentários correram todos para o leito habitual das fake analysis nacionais: é tudo causado pelo racismo e pelo machismo, donde se conclui, sem precisar afirmar, que a culpa cabe à população masculina de pele branca… As duas palavras, principalmente a primeira – o racismo – deram tom aos comentários jornalísticos e às opiniões das personalidades ouvidas. Fake analysis são muito mais frequentes e enganosas do que fake news.

Tenho certeza de que o leitor destas linhas – inteligente que é – já deve estar se interrogando sobre quem mata quem nesse intolerável e vergonhoso genocídio. A resposta seria bem esclarecedora se o Brasil conseguisse melhores resultados na investigação criminal. Em novembro do ano passado, o Estadão informou que o Instituto Sou da Paz consultara os governos de todas as unidades da Federação sobre o índice de solução de homicídios que vinham alcançando nas respectivas investigações. A resposta viera apenas do Pará (4%), Rio (11%), Espírito Santo (20%), Rondônia (24%), São Paulo (38%) e Mato Grosso do Sul (55,2%). Mesmo assim, a amostra que daí se colhesse, referida a homicídios esclarecidos e informando o perfil de criminosos e vítimas, seria estatisticamente suficiente para identificar quem está matando quem nessa guerra. Sabe-se lá por quais razões, ninguém se interessa em buscar esse dado. Não parece difícil, porém, intuir que o genocídio brasileiro tem quase nada a ver com racismo e machismo, e quase tudo a ver com opção pela vida criminosa, com consumo e tráfico de drogas, e com guerra entre facções.

Se quisermos curar o mal, é nas zonas em que esses conflitos se originam ou se desenrolam, independentemente de cor da pele, que se impõem as ações. Não é digno nem bom que seres humanos vivam sob condições tão vulneráveis.

A criminalidade “explicada” pelo racismo e pelo machismo produzia, ainda há poucos minutos, frêmitos de indignação nos comentaristas da Globo News. É uma sociologia que não convence no armazém da vila, mas comove, Brasil afora, habitantes do mundo das fake analysis. Elas servem para suscitar emoções e reações políticas, na versão atualizada da desacreditada luta de classes. É uma tosca mistificação que nos permitiria, pelo mesmo raciocínio que a constrói, olhando a desigual distribuição da criminalidade nas várias regiões de uma cidade, deduzir que há bairros que matam e bairros que morrem. Arre!

*Autor-Fonte: Percival Puggina (73), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil, integrante do grupo Pensar+.

Comentários

Alberto . 10.06.2018

Primeiramente ao Professor Puggina, sempre claro, lúcido, com texto de alto nível. Parabéns. Em segundo lugar, uma frase ótima que ouvi essa semana do Sr Arnaldo Jabor: “A ignorância do povo não é consequência, é projeto”.

Afonso Pires Faria . 10.06.2018

Perfeita analise professor. Diria até que fostes “politicamente correto”, e bem parcimonioso nas colocações. O correto mesmo seria dizer que são uns canalhas, estes que fazem estas divulgações. Se são 70% os mortos de pele negra ou parda, são também 95% com esta mesma característica, os que matam. Mas isto é proibido divulgar sob pena de se ser classificado de racista. O pior de tudo é que estes são os “formadores de opinião” de 99% dos brasileiros. Pior ainda é que uma grande porcentagem desta gente possui curso superior, moldada pelos ensinos do grande patrono da nossa educação. Parabéns pela coragem de esclarecer uma parcela da nossa população.

Geraldo . 09.06.2018

Por qie eles nunca olham a cor da pele de quem tá matando, só de quem tá morrendo:?

CLAUDIO SILVA RUFINO . 09.06.2018

Dr. Puggina. Estou pessimista quando a situação da violência. Acredito irá aumentar. Meu tio avô, João Gonçalves Vianna, pai do poeta homônimo, natural de Uruguaiana, nascido em 1834, dizia sempre afirmarem as pessoa estarem vivendo os tempos mais dificéis na sua atualidade. Em todo o caso opiniões abalizadas como a sua sempre enriquecem nosso conhecimento e lançam alguma luz para o futuro. Continue, assim podemos até sonhar com tempos realmente melhores.Claudio Silva Rufino.

José Nei de Lima . 09.06.2018

É total descaso dos gestores do Brasil, uma principal questão é a Educação, Povo sem cultura será facilmente manipulado, mas o êxodo das escolas vai crescer mais porque qualquer pessoa que tem um nível mais elevado, o que ele quer ser Político vai resolver os problemas da Nação, tudo interesse próprio.

 

Lindoberto Ramos Lima . 09.06.2018

Artigo perfeito professor Puggina. O Brasil é de longe o país mais violento do mundo, aqui mata-se mais do que países que estão em guerra e a imensa maioria dos assassinatos/homicídios estão diretamente ligados às drogas, jamais ao racismo, machismo ou qualquer outro ISMO, essa esquerda canalha que impera nas redações e nos ditos formadores de opinião pensam que somos trouxas!!!

Renato Padula . 07.06.2018

A cada 100 pessoas assassinadas 92 são homens. Onde está o machismo segundo a Globonews ? A cada 100 pessoas assassinadas 71 são negras. Quem matou essas pessoas ? Foram os brancos segundo a imprensa ? É tudo Fake.

Isac . 07.06.2018

COMO AS ESQUERDAS SABEM IMPOR O PROJETO QUE O DIABO ESCREVEU COM SUAS PATAS… Os anarquistas ideologistas das esquerdas pertencentes ao trio comuno/nazi/fascistas são antes de mais nada uns potenciais CRISTIANÓFOBOS, visando a manipulação social e usam demasiado a conotação de “racista, homófobo, islamofóbico” e outros mais similares no projeto de discriminação para gerar o caos por meio das infernais Lutas de Classes, como disse Lênin, “SEM LUTAS DE CLASSES NÃO HÁ COMUNISMO”! Esses revolucionarios e conspiradores vermelhos têm essa mania de assim agirem, bastando apenas que alguém seja contrario aos projetos deles e recebe todos tipos de censuras e de “disseminadores de odios”. Só que essa velha jogada está muito manjada pois no tempo da chamada por eles de “Ditadura Militar” haviam cerca de 05 000 morto/ano e depois de entrada dos revolucionarios comunistas apoiadores de narcotraficantes e da bandidagem geral passou para mais de 60 000 mortos/ano! “SOMOS A FAVOR DO TERRORISMO ORGANIZADO E ISSO DEVE SER ADMITIDO FRANCAMENTE” – Stálin. Não é isso que as esquerdas são, como por ex., esforçando por qualquer meio para livrarem seus mais que comprovados bandidos das prisões para tentarem implantar a DITADURA COMUNISTA? Praticamente todas as mortes hoje em dia envolvem o sub mundo de venda, uso e tráfico de drogas, e o Rio com seus tiroteios são o inquestionável exemplo de apoio dos comunistas ao narcotráfico, pois eles no poder são desses mesmos de colarinho na Câmara e Senado e mesmo no Judiciario, bastando nos diversos segmentos a infiltrações de varios deles, até no STF, advogando causas desses incorrigiveis delinquentes e sociopsicopatas! Eles agem bem semelhantemente à histérica Gleise Hoffmann: se não puderem ganhar a parada, partem para todos tipos gritarias, agressões verbais, calunias, falsas acusações para calarem os adversarios, típico de esquerdistas de todo o mundo! As mercenarias femininazistas “defendendo o direito das mulheres” – mas que jamais vão a Cuba, menos aos países árabes, nesses então são tidas como de lacaias dos homens, e essas mercenarias são associadas às esquerdas no projeto da DITADURA COMUNISTA-baderna geral de uns x todos e todos x uns, vendo em que estágio agora se debate a misérrima e violentíssima Venezuela que foi provar o veneno da facção martelo e foice e está se ferrando, comendo o pão que o diabo amassou com as patas! Todos os partidos comunistas e socialistas estão por detrás desse tipo de comportamentos delituosos, sao incorrigiveis, como o stalinista PT, PSDB, PSOL, PSTU, PDT, Rede, PSB, PC do B etc., e quem APOIAR OU VOTAR nesses contribui para o caos total!...

André Carvalho . 06.06.2018

Sua análise coincidiu em muitos pontos com a minha, sr. Puggina. Também vem me chamando a atenção essa tentativa de vincular os homicídios entre a população negra simplesmente ao racismo. Haveria racismo se o crime fosse cometido exatamente em função da cor da pele do sujeito., o que, cá entre nós, deve ser raríssimo ou mesmo inexistente (ao contrário do que acontece nos casos de homofobia, mais delimitáveis, na minha opinião). E quantos desses…

    Imprimir       Email
  • Publicado: 1 semana atrás, em 11/06/2018
  • De:
  • Última modificação: junho 11, 2018 @ 9:30 am
  • Arquivado em: Colunas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *