O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, assinaram nesta terça-feira um acordo “detalhado” após a histórica cúpula em Singapura que “vai representar uma grande mudança para o mundo”.

Após mais de quatro horas de reuniões no hotel Capella, na Ilha de Sentosa, Kim e Trump protagonizaram uma cerimônia para assinar o documento conjunto, que será tornado público em breve e que marcou o fim da cúpula.

“Hoje nós tivemos uma reunião histórica, e estamos prontos para deixar o passado para trás. O mundo vai presenciar uma grande mudança”, disse Kim, durante a assinatura, onde também quis mostrar seu “agradecimento” a Trump pela sua disposição em realizar a reunião.

https://www.combomultinet.com/net-combo/

Por sua vez, Trump disse que o documento recém-assinado era “muito detalhado” e afirmou estar desenvolvendo “um vínculo muito especial” com Kim.

“Nós vamos lidar com um problema muito grande e muito perigoso para o mundo”, enfatizou Trump.

O presidente americano garantiu que o processo de desnuclearização da Coreia do Norte começará “em breve”.

EFE/ Kevin Lim / cedida por The Straits Times

EFE/ Kevin Lim / cedida por The Straits Times

 

Em declarações aos jornalistas quando se separou de Kim, Donald Trump descreveu o líder norte-coreano como um homem “com muito talento” que “ama muito seu país”, e acrescentou que os dois se reunirão “muitas vezes” a partir de agora.

Perguntado pelos jornalistas se convidaria Kim para visitar a Casa Branca, Trump respondeu: “Absolutamente, eu farei isso”.

Trump convocou uma entrevista coletiva às 16h (horário local, 5h de Brasília), na Ilha de Sentosa.

A cúpula de hoje, cujo objetivo é debater o possível fim do programa nuclear de Pyongyang, é a primeira entre governantes dos dois países após quase 70 anos de tensões por causa da Guerra da Coreia (1950-1953), incluindo 25 de negociações frustradas sobre o chamado processo de desnuclearização norte-coreano.

Da Agência EFE