ARTIGOS DO PUGGINA - Esse caos tem responsáveis

Insegurança generalizada, permanentes riscos de lesão física e patrimonial, indisciplina nos colégios, baixíssimo rendimento escolar, desrespeito a pais e professores, promiscuidade, gravidez na adolescência, drogas, falta de referências morais e perda da noção de limites, corrupção em variados níveis e modos...

Como tudo isso pode acontecer em tão curto espaço de tempo, no espaço de tempo de uma geração, da minha geração? Quando nasci, o Brasil não era assim e pude observar a degradação da sociedade brasileira, saindo praticamente do ponto zero, chegar ao quadro atual. Cavalheiros e damas dos anos 30, 40, 50! Nós vimos o Brasil ir assumindo essa face sinistra.

Não se diga que é tudo fruto do acaso. De fatalidades e coincidências. O caos tem seus responsáveis! Exatamente porque a tudo assisti, sei como tudo começou, mediante a propagação de ideias erradas, perversas, desorientadoras! Muitas delas hoje quebram pratos revoltadas com a vitória de Jair Bolsonaro, consagrado nas urnas por afirmar enunciados conservadores.

Terrível audácia, a desse sujeito que ousa falar em Deus mais de uma vez no mesmo discurso! Tipo repulsivo esse que fala em autoridade, em respeito aos mais velhos, em responsabilidade, em combater a impunidade e prender bandidos. Em proteger a inocência infantil e a instituição familiar. Sujeito impertinente esse que quer estudante estudando e professor ensinando, que não vai legalizar drogas e não confunde liberdade com libertinagem.

É tudo relação de causa e efeito! O caos que se instalou na sociedade brasileira resulta de uma série de estratégias políticas revolucionárias que relativizam o bem e a verdade porque precisam disso para prosperar. São estratégias viabilizadas por professores que, enquanto nada ensinam, cultivam a rebeldia adolescente ao ponto de ruptura com as referências familiares e, de lambuja, promovem a imagem “missionária” de Che Guevara. São estratégias que, quanto mais criticas faziam à TV Globo, mais se valiam dos desarranjos morais promovidos em suas novelas para produzir uma geração de pais irresponsáveis, moderninhos, “progressistas”. São estratégias que precisam da CNBB, dos padres de passeata, da teologia da libertação e de suas más parcerias para a incrível esterilização voluntária da missão evangelizadora da Igreja e de tantos educandários católicos. Tudo isso é o avesso do que a sociedade precisa para seu desenvolvimento econômico, para a efetiva harmonia social, para o efetivo pluralismo e para a efetiva superação de preconceitos.

Sem dúvida, o melhor sinal no horizonte deste ano que já vai terminando foi o renascimento de um conservadorismo ainda embrionário, buscando modo, voz e expressão. Parcela significativa da sociedade percebeu, finalmente, as relações de causa e efeito entre ideias e estilos de vida propagados entre nós e o estrago que acabaram produzindo. A permissividade geral nos trouxe a este ponto. Os que criaram o caos social constrangendo toda divergência, agora se agitam para defendê-lo nos jornais, microfones e telinhas de sempre.

Comentários

Maria da Graça . 11.11.2018

Parabéns!Sempre lúcido e brilhante!

JOSEVAL CARNEIRO . 11.11.2018

Não apenas seu artigo pessoal, mas a rigorosa seleção de matérias que escoarecem, orientam, despertam mentes e consciência. É uma benção, Pugina, pessoas do seu calibre, para oxigenar essa psicosfera modorrente, miasmática do Planeta. Sim, porque aqui e acolá a matéria prima é a mesma, a exploração das "contradições do mundo burguês", como diz a Doutrina marxistaleninista. Precisamos, como diz Thomas Jefferson, ver além da cortina, enxergar as idiosincrasias humanas, ver e compreender o próximo, ajudando-o a erguer-se do lodaçal das viucissitudes que assolam as mentes, notadamente juvenis. JOSEVAL CARNEIRO, jornalista, advogado, escritor, autor de O BEM E O MAL, ed. EME, Capivari, SP.

Derli B C. Paim . 11.11.2018

Continuo acompanhando seus brilhantes textos. Parabéns pelo enfoque, especialmente no que se refere ao ENEM, cujo objetivo foi criminosamente desvirtuado, a partir de 2003. Abraço e felicidade. Saúde e paz. Que você possa continuar nos brindando com suas postagens.

Miguel Angelo Bernardi . 11.11.2018

Brilhante texto , professor.! O caos começou na escola e na escola tem de terminar.

João Eichbaum . 11.11.2018

Sensacional! Causas e efeitos bem delineados!

Beth . 11.11.2018

Sensacional...parabéns

João Jordão Sobrinho . 11.11.2018

Esplêndida esplanacao sobre a situação caótica que vivenciamos nestes últimos tempos. Meus PARABENS pelas significativas palavras.

João Carlos Biagini . 11.11.2018

Matou a pau! Parabéns! Compartilhei.

FERNANDO A O PRIETO . 11.11.2018

Excelente análise! Tudo vem das idéias - o desarranjo que está na sociedade brasileira tem origem no desprezo das normas de nossa tradição moral judaico/cristã, achando--se que os mesmos estão "ultrapassados" ou são "discriminatórios" contra um grupo social, e coisas assim... Que fazer? Em primeiro lugar, pedir a proteção de Deus, de quem procede todo o Bem, e portanto, também esses valores da tradição ; A seguir, apoiar com todos os nossos recursos, as pessoas de bem (como nosso mestre e articulista, a quem felicito), divulgando e deixando clara nossa inequívoca concordância com essas pessoas e principalmente com essas idéias! Claro que esse apoio, além de ser verbal, deve ser expresso, principalmente em nossas ações. Deixar de dar qualquer sustentação financeira e moral a órgãos (imprensa escrita, TV, blogs,...) que defendam idéias erradas -talvez, por desinformação nossa, estejamos apoiando, sem perceber, essas idéias! Termos bem claro que isso tudo é parte de um esquema MUNDIAL, e não apenas brasileiro (não, isso não é apenas uma teoria da conspiração!), analisando criticamente também o que vem de fora - parece que nós, brasileiros, temos um "talento" especial para adotar tudo o que vem do exterior que não presta (ideologia de gênero, linguajar politicamente correto, "gramscismo", por exemplo) e nada do que é bom (por exemplo, obediência irrestrita à lei).,, Enfim, são apenas sugestões para essa "guerra cultural" que estamos vivendo.

Olimpio Leme Cavalheiro Neto . 10.11.2018

Professor, brilhante e direto o teu comentário. Essa degradação toda começou justamente para formalizar e justificar o que aí de errado está. Em nome do amor se superou a ordem. A ordem para irromper o caos... e disto se criar algo novo... Porém de novo não há é nada... É a velha sombra tentando se apossar do mundo novamente o nos aprisionar nesta falsa liberdade.

Odilon Rocha . 10.11.2018

Caro Professor Caos e trevas se equivalem. Mas quando aparece um homem corajoso, simples, humano, humilde, bem intencionado, segurando uma vela na mão, é gritaria e mal -estar generalizado. Por que será?

- Por Percival Puggina

* Percival Puggina (73), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.


Imprimir   Email

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar