Snipers terão ordem para matar criminosos que andam armados de fuzis nas ruas do Rio de Janeiro

“Sniper (pronuncia-se snaiper: em português chamado de atirador especial, atirador de elite ou franco-atirador . É um militar ou membro das Forças Armadas ou da força policial especializado em tiros de longa distância e precisão”, ensina o Google.  Várias equipes dessas, compostas por policiais treinados e especializados, serão a grande novidade que o Rio de Janeiro vai criar, para a guerra contra o tráfico e a bandidagem que assola suas ruas, praias e morros.

Eleito governador do Estado, depois de sair de 1 por cento nas intenções de voto, no primeiro turno, chegar no segundo e ganhar a disputa por larga vantagem, o Juiz de Direito Wilson Witzel, do PSC, avisou que, em seu governo, vai combater o crime com toda a força possível, cumprindo promessa de campanha. Ele anunciou que vai determinar um levantamento na polícia do Rio para detectar quem são e quantos são os snipers e criar grupos com autorização para matar. Isso mesmo. Todos os bandidos que foram encontrados, seja onde for, armados de fuzil, serão eliminados. É um discurso totalmente antagônico aos defensores dos direitos humanos dos bandidos, incluindo a Rede Globo, que criticou a polícia, em passado recente, quando um sniper matou o bandidão conhecido por Matemático, depois de uma perseguição pelas ruas de uma favela do Rio. O governador recém eleito disse que cenas como as registradas na manhã desta terça, na Cidade de Deus, um dos locais dominados pelo tráfico e pelo crime, quando foram detectados vários bandidos, todos armados de fuzis, atirando contra um blindado da Polícia Militar, não se repetirão. “Tinha cinco criminosos fortemente armados atirando na polícia. No meu governo, não vai se ver mais isso, porque quando esses bandidos aparecerem com tal armamento, todos serão abatidos pelos snipers”, avisou Wilson Wizel.

Claro que as declarações, dadas numa entrevista à própria Globonews, chocaram muita gente, principalmente aqueles que não foram vitimas da bandidagem e que adoram fazer belos discursos em defesa dos direitos dos assassinos, nunca de suas vítimas. Mas a maioria da população carioca, que votou em peso no programa de combate ao crime e que é refém do crime organizado e dos grupos traficantes, que dominam a cidade há pelo menos duas décadas, está ao lado do seu futuro governante. Toda essa gente está se lixando para belos discursos. Quer é ver bandido na cadeia ou morto, para que não mate mais inocentes. A partir do governo de Witzsel, se ele cumprir mesmo o que está dizendo, um bandidão vai pensar duas vezes antes de andar pelas ruas armado de fuzil. Poderá ser sua última volta pela cidade, que ele está ajudando a destruir. Tomara que a decisão seja estendida para todas as regiões do país, dominadas pelo crime!

ESTREIA NO RONDONIAGORA

Mais um espaço nobre se abre para a publicação da coluna OPINIÃO DE PRIMEIRA, a partir dessa quarta, 31 de outubro. Além de mais de 40 sites que o publicam diariamente, o texto mais reproduzido da mídia rondoniense passa a ser divulgado também no RONDONIAGORA, um dos mais importantes sites de notícias do Estado e de toda a região Norte. A parceria com os jornalistas Ivonete Gomes, Gerson Costa e Eliânio Nascimento, que extrapola a profissão e se encaixa no contexto de amizade de longos anos, une agora profissionais da área que dão duro para fazer o melhor do jornalismo. Além do RONDONIAGORA, a OPINIÃO DE PRIMEIRA é publicada ainda, entre muitos outros, nos seguintes sites, blogs e jornais (aqui  não estão registradas as várias emissoras de rádio do Estado que divulgam os textos da coluna, parcialmente ou na íntegra):  Gente de Opinião, Rondoniaovivo, Rondoniadinamica, Tudorondonia, Rondonoticias, Newsrondonia, Oobservador, Ocombatente, Blog do Chadad, Rondoniaemação, Rondoniavip, Portalrondonia, Portalespigão, Expressãorondonia, Antenahits, Maisrondonia, Correioderondonia, Noticianahora, Onortao, Radioparecisfm,  Folhanobre, Blog do Guerreiro, Correio de Noticias, Folhaderondonia, Maisrondonia, RO1 News, Rádio Boas Novas. 

O SUPREMO TERÁ CORAGEM?

Terá o STF a coragem de impedir a posse de um Presidente eleito com quase 58 milhões de votos? Essa é a pergunta que se ouve em todo o país. Bolsonaro é réu em ações que envolvem sua briga com a deputada Maria do Rosário, que o ofendeu e foi ofendida. Mas a Justiça recebeu apenas a denúncia contra ele. Maria do Rosário chamou Bolsonaro de estuprador, o que é um absurdo, mas apenas repercutiu na  mídia esquerdista a resposta dele, dizendo que ela não merecia ser estuprada, obviamente por ser muito feia. É uma ofensa grave. Tão grave como a ser chamado de estuprador. Mas, por isso, terão os ministros do STF a coragem de enfrentar o país e impedir a posse do eleito? A ministra Rosa Weber, presidente do TSE, disse que essas questões terão prioridade na pauta. O assunto passará pela Justiça Eleitoral e depois vai para o Supremo, porque a lei diz que um réu não pode assumir a Presidência da República. Enfim, é mais um capítulo dessa novela em que a esquerda, derrotada nas urnas, espera o apoio dos seus representantes em instituições aparelhadas,, para tentar impedir que o vencedor seja empossado. Vamos esperar para ver no que vai dar e que conseqüências isso trará ao país.

CADA VEZ MENOS VOOS

Tudo conversa. Ouve-se de autoridades de todos os naipes a necessidade de internacionalização do aeroporto Jorge Teixeira, de implantação do alfandegamento; de atração de novos voos; de avanços no sistema de ligação aérea da nossa Capital com outras grandes regiões do país. Esse é o papo furado que se ouve e lê seguidamente. Mas qual é mesmo a realidade? Essa não tem nada a ver com o discurso. A verdade é que as companhias aéreas continuam retirando seus voos do nosso aeroporto, alegando questões econômicas e ficamos cada vez mais distantes de outros Estados e de outras Capitais. Nessa semana, por exemplo, a GOL cancelou dois vôos de ligação entre Porto Velho e Rio Branco e Porto Velho e Brasília, diminuindo ainda mais as opções de saída e chegada de aeronaves no nosso aeroporto. Não adiantaram os protestos de entidades como a Fiero, a Fecomércio e até o Governo do Estado, já que o governador Daniel Pereira interferiu pessoalmente, tentando fazer com que a empresa mudasse de idéia. Os vôos estão cancelados e mais de uma centena de passageiros que já tinham comprado bilhetes, terão que remarcar suas viagens. Daqui para Rio Branco e de Rio Branco para cá, a partir de agora, só por via terrestre...

VAMOS ENTRAR NO GUINESS

Aliás, é sempre bom lembrar que nosso aeroporto de internacional só tem o nome. Sem alfândega e sem estrutura de um posto da Polícia Federal, não há como receber vôos de outros países e nem mandá-los para fora do Brasil. Pelo menos 7 milhões de reais teriam que ser investidos nesse projeto, além de uma estrutura nova para as equipes da PF. Na conversa, esse dinheiro já existiria. Na vida real, sabe-se que não há qualquer sinal dele. Afora isso, depois de quase quatro décadas de atraso, recebemos um sistema em que o passageiro, ao chegar ou sair, não toma mais banho de chuva e nem anda no sol, porque foi implantado o ELO, uma alternativa aos antigos Finger, já existentes no mundo desde os anos 80. Mas, na verdade, há algumas coisas que não se compreende no nosso aeroporto, que a Infraero não resolve e sequer explica. Além dos preços abusivos cobrados nas área de alimentação (como em todos os aeroportos do país), aqui temos algo incomum, provavelmente em todo o Planeta. Aqui, é o único aeroporto que se conhece em que o visitante não consegue enxergar os aviões que aterrissam e decolam. Provavelmente vamos entrar no Livro do Guiness, por esse absurda e inacreditável excrescência. Agora, além disso, podemos acabar sendo um aeroporto internacional sem vôos. Lamentável!

CORRIGINDO

O Sargento Eyder Brasil, deputado estadual eleito pelo PSL em Rondônia, será um personagem importante não só na própria Assembleia, como também no novo governo, pela grande amizade e proximidade com o governador eleito Marcos Rocha. Eyder é Sargento do Exército Brasileiro, companheiro de armas do presidente eleito Jair Bolsonaro e não membro da PM, como foi noticiado erroneamente nesta coluna. Pedimos desculpas pelo erro!

CONVERSAÇÕES APONTAM PARA LEBRÃO

A questão da escolha do novo presidente da Assembleia Legislativa, que substituirá Maurão de Carvalho, a partir de fevereiro próximo, está andando mais rapidamente do que se poderia imaginar. Claro que as questões da política nunca são definitivas e as coisas podem mudar de uma hora para outra. Supondo-se, contudo, que o novo Governador tenha alguma influência no futuro parlamento, com uma base sólida e forte e que as relações entre os dois poderes tendam a ser firmes e pacíficas, o deputado José Lebrão, o mais votado no último pleito, tem tudo para ser o novo comandante do parlamento rondoniense. Ele já teria, hoje, a maioria dos votos suficientes para almejar o posto, caso a eleição para a Mesa Diretora fosse agora. Tem também o aval e apoio do Coronel Marcos Rocha, governador eleito e que o considera como um político de passado ilibado, com longa ficha de serviços prestados à coletividade estadual e com todos os requisitos para comandar essa nova política que vai nortear o futuro da Assembleia. Claro que a questão ainda terá muitas idas e vindas, porque faltam pelo menos 90 dias para a escolha do novo presidente, mas pode-se dizer, com segurança, que o assunto está sendo debatido desde agora. E que, nesse momento, Lebrão é “o” cara, para comandar a futura Assembleia.

FAKE NEWS NO DETRAN

Mudança no comando do Detran. Saiu do comando geral do  órgão Acássio Figueira dos Santos e assumiu em seu lugar Paulo Francisco Motta, que veio da Seagesp para ocupar o posto. Acássio, na verdade, foi promovido. Convocado pelo governador Daniel Pereira, ele comanda, hoje, toda a estrutura de fechamento das contas do Estado, em vários setores, para passar tudo ao Governador eleito, antes da passagem de comando no Palácio Rio Madeira/CPA. Vítima de fake news e boatos, Acássio, na verdade, é um técnico respeitado, que teve uma passagem bastante positiva no comando do Detran. Claro que pode-se discordar que o órgão ainda é uma espécie de sanguessuga dos proprietários de veículos do Estado, o que é uma verdade, mas isso nada tem a ver com o período em que Figueira dos Santos esteve à frente dele. Aliás, sobre esse assunto, o Governador eleito Marcos Rocha já avisou que vai atender o clamor da população, da qual ouviu pesadas críticas à ganância tributária do Detran. Vem novidades por aí, em breve.

PERGUNTINHA

Você acha que o presidente Jair Bolsonaro conseguirá implantar mesmo todas as profundas mudanças que prometeu ao país ou o aparelhamento das instituições, feitas pelo PT, podem não permitir essas ações?

(Autor: Sérgio Pires/BLOG: https://www.facebook.com/opiniaodeprimeira?fref=ts)


Imprimir   Email

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar