Arqueólogos encontram altar em perfeito estado de conservação em Pompeia

Roma, 5 out (EFE). Um larário, altar que era construído nas casas romanas para cultuar divindades, foi encontrado - com suas decorações que representam um jardim em perfeito estado de conservação - por arqueólogos que estão realizando escavações em Pompeia, no sul da Itália.

A chamada área "Régia V", uma região até agora inexplorada da cidade, soterrada pela erupção do vulcão Vesúvio em 79 d.C., proporcionou uma nova descoberta considerada "extraordinária" pelo diretor-geral do Parque Arqueológico de Pompeia, Massimo Osanna.

"Trata-se de um suntuoso larário decorado, de quatro por cinco metros, e que surgiu após a retirada da lava solidificada de uma das partes de uma casa que já tinha sido parcialmente escavada no início do século XX", disse Osanna.

"É um dos artefatos mais elegantes que foram descobertos na cidade, tendo em vista suas maravilhosas pinturas que representam paisagens idílicas com uma natureza exuberante", explicou uma nota divulgada nesta sexta-feira pelo Parque Arqueológico de Pompeia.

Em uma das paredes deste cômodo usado para o culto doméstico aos deuses o nicho onde ficavam as estatuetas está em perfeito estado.

Abaixo são observadas duas grandes serpentes, o símbolo com o qual eram representados os agatodemon (ou espíritos bons), que traziam "prosperidade e bons presságios".

As serpentes percorrem um jardim repleto de plantas e pássaros em volta de uma coluna pintada, sobre a qual repousa um ovo e um abacaxi, presentes para os deuses, e abaixo se vê um pavão que passeia entre as plantas.

Também foi encontrado perfeitamente conservado o altar em pedra onde ainda existem cinzas das oferendas que eram queimadas para que os deuses protegessem a família.

Na parede em frente se vê uma cena de caça a um javali que "pode se referir simbolicamente à vitória das forças do mal sobre o bem", segundo os arqueólogos de Pompeia.

Os pesquisadores se concentrarão agora em estudar o resto do cômodo, que apesar de parecer se tratar de uma sala para o culto, apresenta elementos insólitos, como uma banheira no centro.

"Estas extraordinárias descobertas continuam nos gerando emoções", explicou Osanna.

Nesta nova área de escavações, que compreende cerca de três quilômetros, já foram encontradas três novas casas com sacadas, novos esqueletos e utensílios que estão apresentando mais dados à apaixonante história da cidade.

Fonte: Agência EFE


Imprimir   Email

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar