Furacão Florence perde força ao se aproximar do litoral dos EUA

Foto cedida pela Nasa, tirada da Estação Espacial pelo astronauta Alexander Gerst, que mostra o Furacão Florence. 

 

O furacão Florence, de categoria 2 (de um máximo de 5) na escala Saffir-Simpson, já levou chuva e ventos ao litoral da Carolina do Norte, mas perdeu força nas últimas horas, enquanto se aproxima do sudeste dos Estados Unidos.

Florence apresenta ventos máximos sustentados de 165 quilômetros por hora e deve tocar o solo a partir da tarde de sexta-feira em algum ponto do litoral sudeste da Carolina do Norte, segundo informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) dos EUA em boletim divulgado ao meio-dia (horário de Brasília).

O relatório afirma que Florence se encontra 230 quilômetros a leste-sudeste da cidade de Wilmington, na Carolina do Norte, e 315 quilômetros a leste de Myrtle Beach, na Carolina do Sul.

O fenômeno meteorológico avança em direção noroeste com uma velocidade de translação de 17 km/h). Florence, que chegou a apresentar ventos máximos sustentados de 220 km/h como furacão de categoria 4, caiu para a categoria 2 e continuou a enfraquecer.

Apesar da perda de força, os especialistas alertam que o furacão ainda é grande, muito bem organizado e com potencial de destruição pelo risco de marés ciclônicas, inundações e chuvas intensas.

A Agência Federal para a Gestão de Emergências (FEMA, na sigla em inglês) informou que o maior perigo de Florence é "a tremenda quantidade de água" que deixará ao passar por Carolina do Norte, Carolina do Sul e Virgínia, no litoral leste do país.

Segundo um provável padrão de trajetória do NHC, o olho de Florence se aproximará nesta tarde do litoral das Carolinas e "nesta noite e na sexta-feira se moverá perto ou sobre o litoral do sul da Carolina do Norte e do leste da Carolina do Sul".

Com a aproximação de Florence, cujos ventos e chuvas começaram a ser sentidos hoje, o NHC emitiu um aviso de furacão de South Santee River (Carolina do Sul) até Duck, Albemarle e Pamlico Sound (Carolina do Norte), e uma vigilância de furacão de Edisto Beach (Carolina do Sul) até a Carolina do Norte e a fronteira com Virgínia.

O órgão mantém um aviso de maré ciclônica em toda a região, onde "existe a possibilidade de inundações que ameacem a vida" devido a um aumento do nível do mar "movimentando-se terra adentro".

A perigosa maré ciclônica fará com que áreas que são normalmente secas perto do litoral "se inundem por causa de um aumento do nível" do mar, que pode chegar a quatro metros de altura de Cabo Fear a Cabo Lookout, incluindo Neuse, Pamlico e Pungo, com possíveis "grandes e destruidoras ondas", ressaltaram os meteorologistas.

Além de Florence, também está em atividade no leste do Atlântico a tempestade tropical Helene, que deixou de ser furacão nas últimas horas.

Helene apresenta ventos máximos sustentados de 110 km/h e se move rumo ao norte do Atlântico com uma velocidade de 22 km/h, por isso não representa ameaça para zonas povoadas, segundo o NHC. Os especialistas afirmam que Helene continuará a enfraquecer nas próximas 72 horas.

- da Agência EFE


Imprimir   Email

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar