Deputados se reúnem com superintendente do Basa, que anuncia R$ 1,910 bi para investimentos no setor produtivo

Parlamentares também foram informados de entraves que dificultam o acesso ao crédito pelos produtores

O Banco da Amazônia disponibiliza neste ano para investimentos no setor produtivo em Rondônia R$ 1,910 bilhão, sendo R$ 1,730 bi recursos do FNO e mais R$ 180 milhões em recursos próprios. A informação foi repassada pelo superintendente regional do Basa, Wilson Evaristo, durante reunião com deputados estaduais, nesta sexta-feira (15).

Do encontro, participaram os deputados estaduais Chiquinho da Emater (PSB), Marcelo Cruz (PTB), Anderson Pereira (Pros) e José Lebrão (MDB), que se colocaram à disposição em trabalhar em parceria, para assegurar as condições necessárias para que os produtores possam acessar ao crédito bancário, impulsionando a economia de Rondônia.

“A grande aptidão do Estado é o setor produtivo e o crédito rural precisa ser aproveitado, pois garante o desenvolvimento da atividade primária, que tanto representa na economia, na geração de emprego e renda em Rondônia”, observou Chiquinho.

Evaristo reafirmou que a Superintendência do Basa em Rondônia sempre atinge metas de investimentos consideráveis, mas observou que o Governo, com o apoio da Assembleia Legislativa, precisa tomar medidas para dar mais celeridade nas ações ambientais e administrativas, para que o acesso ao crédito pelo produtor, especialmente os pequenos, seja facilitado.

“São entraves que precisam ser superados: a Sedam precisa ter mais celeridade na liberação das licenças ambientais e também a Agência Idaron precisa avançar. Se houver alguma medida legislativa que precise ser implantada, estamos à disposição para discutir e votar”, garantiu Anderson.

A possibilidade de se tomar medidas para destravar o setor produtivo, também foi defendida pelo deputado Marcelo Cruz. “Temos terras produtivas, temos gente trabalhadora e temos uma oferta de crédito. Não podemos perder a oportunidade de crescimento econômico, com entraves ambientais que possam ser superados”, completou.

José Lebrão observou que um ponto que precisa ser priorizado é a regularização fundiária. “Nesse sentido, a criação do Instituto de Terras é uma necessidade. Se não houver uma grande mobilização política para a documentação das áreas, Rondônia vai andar para trás e entrar em colapso. E isso ninguém quer”, acrescentou.

Basa em Rondônia

No ano passado, o Basa aplicou R$ 1,169 bilhão em Rondônia, sendo R$ 110 milhões para a agricultura familiar, de um volume de R$ 690 milhões para micro e pequenos produtores. Para este ano, dos R$ 1,730 bilhão do FNO, a meta é destinar R$ 330 milhões para a agricultura familiar, atendendo produtores individuais e também agroindústrias e cooperativas.

Evaristo anunciou que o presidente do Basa, Valdecir Tose, estará em Rondônia no próximo dia 28, quando deverá se reunir com os deputados estaduais e também o governador Marcos Rocha (PSL). Há uma possibilidade de expansão no número de agência do Basa em Rondônia, que hoje possui 14 unidades, sendo duas na capital.

 

 

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *