Empresa de ônibus suprime itinerários em Porto Velho

Empresa de ônibus suprime itinerários em Porto Velho

A concessionária, mesmo a pós ser instada pela Reportagem, não quis se manifestar sobre a desativação das linhas,..  

Porto Velho, RO – Moradores da periferia Leste da Capital voltam a reclamar nesta quarta-feira, 17, contra a extinção de algumas linhas de ônibus, ‘supressão’ de vários percursos por parte do Sistema Integral Municipal (SIM).

Segundo os moradores, usuários do residencial Crystal da Calama Via Sete, dos bairros Ipanema e Jardim Santana, desde outubro de 2019 e março deste ano não são mais servidos pelas empresas de transportes. A concessionária, mesmo a pós ser instada pela Reportagem, não quis se manifestar sobre a desativação das linhas.  

As linhas que cobriam a Avenida Amazonas, no eixo Avenida Setembro e Raimundo Cantuária, ao menos durante a vigência do Estado de Calamidade por conta da pandemia do novo coronavírus deixaram de existir. Sobre o assunto, igualmente, ninguém na secretaria Municipal de Transporte, Mobilidade e Trânsito (SEMTRAN), não deu nenhum esclarecimento.

Além das linhas Crystal Via Sete, Jardim Santana e Jardim Esperança Via Ipanema, também sofreram mudança de itinerário, pegando de surpresa usuários que,  anteriormente, não enfrentava nenhum tipo de dificuldade para chegar ao trabalho e levar os filhos à escola.

Por causa da supressão de vários itinerários cobertos, anteriormente, pelo Sistema Integrado Municipal (SIM), trabalhadores que dependem de chegar cedo ao trabalho ou deixar os filhos na escola, agora, precisa fazer um esforço gigantesco e se virar nos 30, além de pagar mais caro nas chamadas aos Aplicativos ou taxi-compartilhado, o desabafo é da doméstica Maria José, 51 anos.

Vale lembrar que – outro problema enfrentado pelos usuários que vivem e moram  nos bairros mais afastados da cidade, é com relação ao fim da antiga grade de horários (tidos como os mais facilitados). Para a presidente da Associação de Ação Popular Integrada dos Hortifrutigranjeiros da União (AAPIGHU), Gabriela Camargo, 46, ‘antes, a linha Jardim Santana beneficiava o setor chacareiro’.

– Com a supressão, hoje, não atende mais aquela comunidade que tanto precisa do transporte público, arrematou a líder dos chacareiros do Setor Jardim Santana.

Da Redação/CN | Por Xico Nery

Faça seu Comentário