Ações e operações da PM em conjunto com a PF, Ibama e Icm-bio serão retomadas

Cel. PM Alexandre Luís de Freitas Almeida, voltou atrás na decisão e anunciou em rede nacional a retomada das ações e operações em conjunto.  

Porto Velho, RO – Em menos de onze dias da suspensão da parceria entre forças estaduais e federais de combate a crimes ambientais, o novo Comandante-Geral da Polícia Militar de Rondônia, Cel. PM Alexandre Luís de Freitas Almeida, voltou atrás na decisão e anunciou em rede nacional a retomada das ações e operações em conjunto.  

De acordo com o ofício de número 0011934224 e Código CRC 92CFE8SE, em 10/06/20, que havia suspendido as atividades, segundo ele, ‘temporariamente as operações conjuntas com o IBAMA e ICM-Bio’. No documento, alegou ‘que a Instrução Normativa Nº 19, de 19/12/2014, não vinha sendo cumprida devidamente’. Outro ponto apontado é o de que, após receber relatórios de Inteligência, as guarnições de policiais militares que atuavam nas ações e operações com as forças federais, no pós-queima de maquinários e equipamentos apreendidos, ‘corriam riscos desnecessários. 

Segundo Almeida, ao propor o fim das ações e operações realizadas pelo IBAMA e ICM-Bio de combate aos crimes ambientais, sobretudo contra alvos envolvendo madeireiros, grileiros e fazendeiros implicados em ocupações de terras públicas, que, ‘a exposição das guarnições poderia vir a culminar a denegrir a imagem do Governo do Estado, diante da revolta decorrente da inutilização daqueles que veem seus bens destruídos’ – uma prática prevista em Lei Federal.

Cel. PM Alexandre Luís de Freitas Almeida

No documento enviado às Superintendências Regionais da Policia Federal (DPF-RO), IBAMA e ICM-Bio, o militar rondoniense afirmou, ainda, que, ‘com isso, fica, evidente, a determinação de suspensão das operações de apoio tão somente expressa o cuidado com o futuro efetivo, e com as pessoas de modo geral, além das políticas de Governo’.

De acordo ainda com o documento – que não chegou a ser enviado ao Comando da 17ª Brigada de Infantaria de Selva (17ª Brigada) – Alexandre Luís, afirmou, que, ‘cita, como exemplo o risco desnecessário a utilização de combustível sem o devido cuidado para incineração de bens alheios’. Outro aspecto descumprido por esses órgãos, segundo o entendimento do militar, ‘é o local das incinerações que ocorrem fora das áreas de preservação, em estradas com possibilidade de acesso próximo a pessoas da região, e não em local adequado destinado para isso’.

Enfim, o Comandante-Geral eximiu-se de questionar a regulamentação federal ‘permissiva’, o que ele próprio parece discordar da efetividade. Porém, deixou patenteado, no entanto, que, ‘não cabe a ele questioná-la, mas, ‘decido que até que haja um ajuste procedimental entre os órgãos federais e a instituição (Comando Geral da Polícia Militar) está suspenso, temporariamente, o apoio policial militar às ações e operações desenvolvidas pelos parceiros IBAMA e ICM-Bio’.

Porém, ao completar dez dias da decisão que tomara, na noite do último sábado (20), em entrevista ao Jornal Nacional, o Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de Rondônia, Cel. PM, Alexandre Almeida, votou atrás e anunciou a retomada das ações e operações conjuntas com as forças federais, o IBAMA e o ICM-Bio.

Da Redação/CN | Por Xico Nery   

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *