Coronavírus: Boletim RO

Segundo os dados foram registrados 8 óbitos em Rondônia sendo 2 em Porto Velho.

A Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulga os dados referentes ao coronavírus (Covid-19) no Estado.

Na sexta-feira (31) foram consolidados os seguintes resultados para Covid-19 em Rondônia:

Casos confirmados – 38.992 
Pacientes recuperados – 30.600
Óbitos – 872
Pacientes internados na Rede Estadual de Saúde  265
Pacientes internados na Rede Privada – 80
Pacientes internados na Rede Municipal de Saúde – 60
Total de pacientes internados – 405
Testes Realizados – 124.495
Aguardando resultados do Lacen – 1.490

No Estado, os números de casos confirmados, recuperados e de óbitos, desde o primeiro registro em 20 de março até hoje (31 de julho), por Covid-19 são:

TOTAL DE CASOS EM RONDÔNIA – 31/07/2020
MUNICÍPIOSCASOS CONFIRMADOSRECUPERADOSÓBITOS
Porto Velho21.94617.404560
Ariquemes2.6272.00041
Guajará-Mirim2.2511.95668
Vilhena1.378103620
Jaru1.16492916
Ji-Paraná109493819
Candeias do Jamari92372918
São Miguel do Guaporé76873913
Rolim de Moura82847712
Cacoal75958812
Nova Mamoré5443646
Pimenta Bueno3623077
Ouro Preto do Oeste37823212
Machadinho D’Oeste3812134
Itapuã do Oeste2821983
Alta Floresta D’Oeste3041902
Buritis2702254
Espigão D’Oeste2582186
Cujubim1681375
Alto Paraíso1681414
Presidente Médici1771253
Pimenteiras do Oeste1111023
Monte Negro110872
Cerejeiras104815
São Francisco do Guaporé88842
Campo Novo de Rondônia83734
Alto Alegre dos Parecis98653
Seringueiras79700
Colorado do Oeste80690
Vale do Anari74651
Chupinguaia155411
Nova União73591
Nova Brasilândia D’Oeste103650
Theobroma74670
Mirante da Serra66572
Costa Marques82431
Rio Crespo65570
Santa Luzia D’Oeste66410
São Felipe D’Oeste57441
Governador Jorge Teixeira49460
Vale do Paraíso49291
Alvorada D’Oeste51313
Urupá45330
Cabixi44333
Novo Horizonte do Oeste31271
Castanheiras32190
Cacaulândia33200
Corumbiara19111
Parecis1181
Teixeirópolis11110
Primavera de Rondônia10100
Ministro Andreazza961
Rondônia38.99230.600872

ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES

Em Rondônia, nas últimas 24 horas, foram registrados os seguintes resultados para Covid-19:

24 HORAS
MUNICÍPIOSCASOS CONFIRMADOSÓBITOS
Porto Velho2672
Ariquemes650
Guajará-Mirim270
Vilhena551
Jaru71
Ji-Paraná361
Candeias do Jamari21
São Miguel do Guaporé00
Rolim de Moura31
Cacoal120
Nova Mamoré40
Pimenta Bueno00
Ouro Preto do Oeste180
Machadinho D’Oeste-10
Itapuã do Oeste00
Alta Floresta D’Oeste110
Buritis20
Espigão D’Oeste20
Cujubim-10
Alto Paraíso00
Presidente Médici70
Pimenteiras do Oeste-20
Monte Negro00
Cerejeiras40
São Francisco do Guaporé10
Campo Novo de Rondônia00
Alto Alegre dos Parecis11
Seringueiras40
Colorado do Oeste00
Vale do Anari00
Chupinguaia330
Nova União10
Nova Brasilândia D’Oeste110
Theobroma00
Mirante da Serra20
Costa Marques30
Rio Crespo20
Santa Luzia D’Oeste00
São Felipe D’Oeste20
Governador Jorge Teixeira00
Vale do Paraíso20
Alvorada D’Oeste00
Urupá40
Cabixi00
Novo Horizonte do Oeste00
Castanheiras00
Cacaulândia10
Corumbiara00
Parecis00
Teixeirópolis00
Primavera de Rondônia00
Ministro Andreazza00
Rondônia5858

Hoje (31) foram registrados oito óbitos por Covid-19 em Rondônia: dois em Porto Velho, sendo uma mulher de 74 anos e um homem de 60 anos; um homem de 56 anos em Candeias do Jamari; um homem de 81 anos em Alto Alegre dos Parecis; uma mulher de 75 anos em Jaru; uma mulher de 59 anos em Ji-Paraná; um homem de 51 anos em Vilhena; e um homem de 68 anos em Rolim de Moura.Conforme investigação epidemiológica, um caso confirmado em Machadinho do Oeste, outro em Cujubim e dois em Pimenteiras do Oeste foram lançados em duplicidade no sistema, e portanto, não constam mais nesta edição.

OBSERVAÇÕES

  1. Os dados diários podem sofrer alterações;
  2. Os casos e óbitos notificados/ocorridos após meio dia serão divulgados no boletim do dia seguinte.
  3. Os óbitos precisam ser investigados, ficando portanto, as informações, passíveis de alteração para mais ou para menos, bem como o provável local de infecção.

A Agevisa  reforça ainda que os dados são analisados diariamente pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), que acompanha também a investigação epidemiológica feitas pelas equipes de saúde nos municípios para checagem de dados.

Para informações sobre internados por unidades de saúde e municípios, assim como os demais detalhes, acesse o Painel Interativo da Covid-19 em Rondônia, através do endereço: covid19.sesau.ro.gov.br.

Fonte: Agevisa

CN

Facebook recorre de bloqueio de contas bolsonaristas no exterior

Depois do Twitter, mais uma rede social se indigna com silêncio imposto pelo ministro do STF no inquérito das fake news

O Facebook decidiu que vai recorrer da decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), que decretou o bloqueio internacional de perfis bolsonaristas investigados no inquérito das fake news.

Leia também: Mercado Cultural reabre as portas neste sábado

“Respeitamos as leis dos países em que atuamos. Estamos recorrendo ao STF contra a decisão de bloqueio global de contas, considerando que a lei brasileira reconhece limites à sua jurisdição e a legitimidade de outras jurisdições”, informou a empresa em nota divulgada nesta sexta (31).

Na noite de quinta (30), o Twitter já havia informado que seguiria o mesmo caminho para tentar reverter a ordem, classificada pela plataforma como ‘desproporcional sob a ótica do regime de liberdade de expressão vigente no Brasil’.

“O Twitter bloqueou as contas para atender a uma ordem judicial proveniente de inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF). Embora não caiba ao Twitter defender a legalidade do conteúdo postado ou a conduta das pessoas impactadas pela referida ordem, a empresa considera a determinação desproporcional sob a ótica do regime de liberdade de expressão vigente no Brasil e, por isso, irá recorrer da decisão de bloqueio”, disse a empresa em manifestação à imprensa.

O bloqueio temporário foi determinado pelo ministro no âmbito do inquérito das fake news, que apura notícias falsas, ofensas e ameaças contra autoridades. A medida foi justificada pela necessidade de ‘interromper discursos criminosos de ódio’ e solicitada ainda em maio, quando apoiadores do governo foram alvo de buscas em operação da Polícia Federal.

As plataformas, no entanto, demoraram dois meses para cumprir a ordem e o fizeram somente após intimação na última sexta (24). Como os bloqueios ficaram restritos a território nacional, o ministro voltou a cobrar as empresas pedindo a suspensão total, sob pena de multa diária de R$ 20 mil.

Entre os perfis suspensos estão o do ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), dos empresários Luciano Hang e Otávio Fakhoury, da extremista Sara Giromini, dos blogueiros Allan dos Santos, Bernardo Kuster e Winston Lima, do humorista Reynaldo Bianchi, do militante Marcelo Stachin, do assessor do deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia (sem partido) e pré-candidato a vereador pela capital Edson Pires Salomão e de outros aliados do presidente Jair Bolsonaro.

Fonte: R7

CN

Mercado Cultural reabre as portas neste sábado

Segundo a prefeitura todas as medidas serão tomadas, e somente estará funcionando atividades gastronômicas.

A reabertura do Mercado Cultural de Porto Velho está marcada para o próximo sábado (1º). O local teve as atividades suspensas no final de março devido a pandemia do novo coronavírus, e vai voltar a abrir com serviços gastronômicos.

Segundo a prefeitura da capital, as medidas necessárias estão sendo tomadas para garantir a segurança no local, como: distanciamento das mesas, disponibilização de álcool gel e aferição da temperatura na entrada com o uso de termômetro digital.

No sábado (1º), a atração será a “Feijoada com Samba”. E no domingo (2) o Mercado inicia com o “Café Nordestino”. Restaurantes e lanchonetes vão funcionar todos os dias da semana oferecendo café da manhã, almoço e jantar.

O Mercado, localizado na Avenida Presidente Dutra, 2816, na região central, ficará aberto das 6h30 às 22h. Shows e eventos ainda não têm prazo para voltarem a ser realizados.

CN

Ao vivo: comissão mista da reforma tributária volta a se reunir

É o primeiro encontro do grupo desde março, quando começou a pandemia do coronavírus.

A comissão mista da reforma tributária se reúne neste momento por videoconferência. É o primeiro encontro do grupo desde março, quando começou a pandemia do coronavírus. O debate é um evento simbólico para marcar a retomada das conversas do colegiado que pretende unir as proposta de emenda à Constituição (PEC) de reforma da Câmara, do Senado e as sugestões do governo.

Veja ao vivo:

O colegiado tem outra reunião marcada para a próxima quarta-feira (5), quando deve ser ouvido em audiência pública o ministro da Economia, Paulo Guedes, que entregou na semana passada o primeiro de uma série de projetos de lei.

Essa primeira parte trata da unificação de impostos federais sobre o consumo, PIS e Cofins, em uma única alíquota de 12%. O Executivo ainda vai enviar mais projetos de reforma no imposto sobre produtos industrializados (IPI), no Imposto de Renda sobre pessoas físicas e jurídicas e na desoneração da folha de pagamento.

Fonte: Congresso em Foco

CN

Banco Mundial apoia projeto para soja sustentável no Nordeste

Trabalho será nos estados do Maranhão, Piauí, Tocantins e da Bahia

O International Financing Corporation (IFC), do Banco Mundial, apoiará a subsidiária da Cofco International no Brasil na rastreabilidade da cadeia de suprimentos de soja do Matopiba, uma das regiões em que a produção agrícola brasileira mais cresce, de acordo com comunicado da empresa chinesa divulgado nesta sexta-feira (31).

O trabalho vai se concentrar na triagem das fazendas produtoras de soja na região composta pelos Estados do Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia, no Cerrado brasileiro, para garantir a conformidade com os principais critérios ambientais e sociais, garantindo que agricultores usem práticas agrícolas mais sustentáveis.

Embora a conversão de terras para o plantio de soja no Cerrado esteja diminuindo desde 2001, a região de Matopiba registrou taxas mais altas associadas à crescente demanda global por soja, principal commodity de exportação do Brasil, segundo comunicado.

A triagem utilizará imagens de satélite e outras informações geográficas e dados oficiais.

“O objetivo é garantir que as fazendas fornecedoras estejam livres de trabalho forçado, não estejam localizadas em terras indígenas, unidades de conservação ou áreas embargadas e estejam em conformidade com a Moratória da Soja Amazônica”, disse a nota.

O projeto também estabelecerá perfis de conversão de terras para fazendas individuais e avaliará a conformidade do fornecedor com o Cadastro Ambiental Rural (CAR), um registro eletrônico do governo que combina dados geoespaciais de propriedades rurais com suas informações ambientais, incluindo áreas protegidas legalmente.

A Cofco International e a IFC esperam que o projeto englobe 85% dos fornecedores diretos da empresa no Brasil na região de Matopiba até 2021, atingindo 100% da região até 2023.

A Agrosatélite, uma empresa brasileira especializada em imagens de satélite de sensoriamento remoto e inteligência geográfica, foi selecionada como parceira técnica do projeto.

Essa parceria segue o anúncio recente da Cofco de que espera alcançar a rastreabilidade total de toda a soja comprada diretamente dos agricultores brasileiros até 2023, disse o comunicado.

“Com este projeto, poderemos rastrear ainda mais os fornecedores não pré-financiados quanto aos principais critérios de sustentabilidade e identificar aqueles com quem queremos nos envolver mais de perto”, disse Wei Peng, chefe de sustentabilidade da Cofco International, em nota.

Fonte: Agência Brasil

CN

Saúde anuncia nova atualização para APP do Coronavírus SUS

Inovação do governo rastreará contatos de infectados com covid-19 e apenas quem quiser se declarar positivo

Smartphone

O Governo Federal por meio do ministério da Saúde lança hoje (31) uma atualização para o aplicativo Coronavírus SUS que poderá rastrear e alertar sobre a proximidade e o contato com pessoas infectadas pela covid-19.

A tecnologia, chamada API Exposure Notification, já é usada em outros países, como Alemanha, Itália e Uruguai, e só será ativada caso o usuário habilite a função “notificação de exposição” nas configurações do aplicativo.

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Saúde, pessoas que estiverem geolocalizadas em um perímetro próximo de outras pessoas que informaram estar infectadas pelo novo coronavírus receberão um alerta. O sistema não identifica o doente, apenas avisa da proximidade de alguém que, voluntariamente, informou estar com diagnóstico positivo para a doença nos últimos 14 dias.

Para se cadastrar como doente, o usuário deve validar o exame com o diagnóstico positivo. Segundo o boletim do ministério, “a técnica será uma parte essencial da transição para a vida cotidiana e, ao mesmo tempo, gerencia o risco de novos surtos.”

O Ministério da Saúde informa que cerca de 10 milhões de brasileiros possuem o aplicativo instalado nos celulares, e espera que haja um aumento no uso de 30% após a implementação da novidade.

O aplicativo Coronavírus – SUS está disponível para as plataformas Android – na Google Play e para iOS, na App Store.

Fonte: Valéria Aguiar A/B

CN

Estados e municípios são mais transparentes que a União no combate à covid-19

O levantamento foi feito pela Transparência Brasil nos portais dos 26 estados, do Distrito Federal, das capitais e da União.

Em um ranking que avalia como os portais de transparência trazem informações sobre contratações emergenciais para o combate à pandemia de covid-19, o governo federal aparece atrás de todas as capitais e em penúltimo lugar na comparação com os estados. O levantamento foi feito pela Transparência Brasil nos portais dos 26 estados, do Distrito Federal, das capitais e da União.

Com apenas 49,3 pontos – em uma escala que vai de 0 a 100 – o nível de transparência das contratações emergenciais do Poder Executivo Federal no enfrentamento da pandemia é considerado “regular” segundo a metodologia dessa avaliação. O dado também mostra que sua pontuação está significativamente abaixo da média obtida pelos municípios e estados avaliados (85 pontos).

Entre todos os governos avaliados apenas Roraima teve resultado pior que o do governo federal: 40,5 pontos e um nível de transparência considerado “regular”. O estado, aliás, ocupa a última posição desde o lançamento do ranking. Entre as capitais, São Luís é a única com resultado regular e pontuação de 50,6

Os problemas

Segundo a análise da Transparência Brasil, pesou para a avaliação ruim do governo federal o fato de as informações disponíveis acerca de suas contratações emergenciais não apresentarem detalhamento suficiente e estarem dispersas em vários portais com características diferentes.

De acordo com os parâmetros fixados pelas Recomendações para Transparência de Contratações Emergenciais em Resposta à covid-19 , da Transparência Internacional – Brasil e do Tribunal de Contas da União (TCU), e que embasaram a criação desse ranking, é preciso facilitar e agilizar ao máximo o controle social das compras emergenciais, e da mesma forma garantir a transparência por meio do provimento de informações claras, detalhadas e de fácil acesso, preferencialmente de forma centralizada.

O principal portal federal a detalhar informações sobre essas contratações é o Contratos Coronavírus do Ministério da Saúde – que é referenciado pela própria homepage da pasta na internet e pelo Portal de Transparência do governo federal. Nesta página, as informações sobre as contratações ainda são pouco detalhadas e não estão disponíveis em formato aberto – algo essencial para possibilitar o cruzamento de banco de dados e o controle social.

Há, segundo a Transparência Brasil, outros portais federais com dados, o que ajuda a dispersar a informação. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) possui, por exemplo, um site próprio e bem detalhado, mas que se restringe às suas próprias contratações. Outros sites trazem apenas números agregados que, embora possam ser úteis para fins estatísticos e de pesquisa, não facilitam o acompanhamento de contratações individuais pelas organizações da sociedade civil, jornalistas e órgãos de controle. São exemplos disso o Painel de Compras COVID-19 do Portal de Compras do governo federal e o Painel Contratações Relacionadas à COVID-19 da Controladoria-Geral da União (CGU).

Líderes

Um conjunto de estados e capitais se destaca pelas melhorias em seu nível de transparência empreendidas nos últimos dois meses. Foi assim que Ceará, Espírito Santo e Rondônia, entre os estados, e João Pessoa, Macapá e Vitória, entre os municípios avaliados, atingiram a nota máxima (100) nesta rodada do Ranking de Transparência. Eles ocupam assim a 1a posição em suas respectivas categorias.

Fonte: Congresso em Foco

CN

Servidores e familiares terão atendimento específico para covid em RO

O plano é para ajudar os servidores que atuam na linha frente no combate ao coronavírus, como da saúde, segurança pública, englobando policiais militares, bombeiros, policiais civis, policiais penitenciários, e todos seus respectivos familiares. 

O servidor público Charles da Cunha é gerente de enfermagem na Policlina Oswaldo Cruz (POC), em Porto Velho, e há algumas semanas testou positivo para a Covid-19. Com o resultado, a família do servidor, de imediato, seguiu a recomendação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) de que, após os servidores públicos que estão na linha de frente no combate à doença sentirem os sintomas, os familiares também devem fazer os exames. A intenção é de que o isolamento inicie o mais rápido possível para evitar a disseminação do coronavírus.

As dependências do setor são sanitizados diariamente para reduzir possibilidade de contágio da doença entre os servidores e pacientes

“Eu senti os sintomas da doença, como febre, dor no corpo, cefaleia, coriza durante dois dias, então por isso eu procurei o serviço para fazer o teste. Realizei o tratamento com os remédios indicados pelo médico e retornei as atividades após os 14 dias de isolamento. Desde então, não apresentei mais nenhum sintoma. Todos da minha residência adquiriram o vírus, minha esposa e meus dois filhos. O de três anos foi encaminhado para o Hospital Infantil Cosme e Damião”, conta Charles da Cunha.

Assim como ele, outros servidores e familiares com suspeita e sintomas passam por consultas e exames em uma ala específica dentro da Policlínica, no Laboratório Covid-19 do Servidor. A assistência médica acontece desde o dia 24 abril.

De acordo com dados internos do sistema de atendimento, foram coletados cerca de três mil testes rápidos para a Covid-19, e uma média de três mil consultas médicas.

“Esse plano é para ajudar os servidores que atuam na linha frente no combate ao coronavírus, como da saúde, segurança pública, englobando policiais militares, bombeiros, policiais civis, policiais penitenciários, e todos seus respectivos familiares. Mas, com certeza, acolhemos familiares de terceiros em determinadas ocasiões, mas isso foge um pouco do fluxo natural que foi organizado. Felizmente, por outro lado, nunca deixamos de atender aquele paciente que pede socorro”, disse o diretor técnico da Policlínica, Cristopher Teixeira Rosa.

ATENDIMENTO ISOLADO

Os testes e consultas para à Covid-19 acontecem em uma ala separada para evitar o contágio com os demais pacientes que são classificados como grupos de riscos e que também são atendidos na unidade de saúde. 

“Alguns serviços estão sendo mantidos, são chamados como serviços essenciais, mas é até difícil mensurar essa palavra porque todos são essenciais. Demos continuidade aos programas importantes para a população como: atendimentos aos portadores de hanseníase, tuberculose, pacientes soros positivos ou HIVs, hepatites C, transplantados dos programas renais, acolhimento de uma parte do ambulatório do Cemetron, pré-natal de alto risco, distribuição de bolsas de colostomia, consultas de leishmaniose, e parte dos serviços de oncologia do Hospital de Base e atendimento de urgências e emergências em otorrinolaringologia”, garante a diretora geral da Policlínica, Sinara Messias.

Diariamente as dependências do setor são sanitizados três vezes para que reduza a possibilidade do contágio da doença entre os servidores e pacientes. A enfermeira chefe, Aline de Brito, é a coordenadora do Laboratório. Mesmo estando todos os dias em contato com positivados para o coronavírus não contraiu a doença. 

Fonte: Sesau

CN

Sede do GAPE é inaugurada em Rolim de Moura

A sede fica anexo à Penitenciária Regional do município.

Com o objetivo de intervir em situações de motins e rebeliões dentro das unidades prisionais do Estado, mais uma sede oficial do Grupo de Ações Penitenciárias Especiais (Gape) é inaugurada no município de Rolim de moura nesta sexta-feira (31). A sede fica anexo à Penitenciária Regional.

 A obra teve o apoio e parceria da regional da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), do Departamento de Estradas de Rodagem e Transporte (DER) e da Coordenadoria Regional de Educação (CRE).

Governo de Rondônia inaugura sede do Gape

 A regional de Rolim de Moura possui 45 policiais penais das cidades de Rolim de Moura, Cacoal e Pimenta Bueno.

Segundo o chefe do Gape em Rolim de Moura, o policial penal Franciole Soares Ferreira, o grupo foi criado no município no ano de 2018, quando, na oportunidade, os policiais penais puderam participarem do primeiro curso do Gape. Em 2019 mais um curso foi oferecido para os policiais penais que tinham interesse em integrar o Grupo de Ações Penitenciárias Especiais.

O Gape é um grupo especial que merece total atenção e, desde o início, quando o policial penal Franciole assumiu o comando e cada vez que retornava de uma missão, alinhava e corrigia com o grupo os erros, percebi que o Gape iria dar certo e hoje é uma realidade em nossa regional”, pontuou.

O gerente Regional da Sejus – Polo 3, Leandro Nascimento Delgado, afirma que o Gape sempre está pronto para atender situações adversas nas unidades prisionais, garantindo a segurança dos reeducandos e dos policiais penais, restabelecendo a ordem na unidade prisional.

A solenidade contou com a presença do secretário-executivo do Governo de Rondônia, na Regional Rolim de Moura, Adeilso da Silva e o gerente Regional da Sejus – Polo 3 Rolim de Moura, policial penal Leandro Nascimento Delgado e entre outros.

Fonte: Sejus

CN

Rondônia ocupa 1º lugar no ranking de transparência em contratações da Covid-19

Avaliação é concluída em cada estado de cada País. Rondônia está entre os classificados em primeiro no mundo em todo tipo de prestação de contas de investimentos nessa área, constata a OKBR.

Contratações emergenciais transparentes em saúde pública no combate ao contágio da Covid-19 deram ao governo de Rondônia nota 100 e o primeiro lugar no ranking nacional e internacional no ranking da OKBR.

OKBR é a sigla da Open Knowledge Brasil (OKBR), também chamada de Rede pelo Conhecimento Livre. Ela é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos e apartidária, que atua desde outubro de 2013 em mais de cem países.

No ranking de transparência das contratações, os estados do Ceará, Espírito Santo e Rondônia ocupam o primeiro lugar, com nota 100, seguidos de Alagoas, Amapá e Distrito Federal e Goiás, que obtiveram 98,73, depois, Minas Gerais com 97,47, Pernambuco e Tocantins com 93,67.

Segundo o controlador geral do estado, Francisco Neto, esse trabalho vem sendo feito com dedicação e segurança, coroando o esforço do governo de Rondônia em boas práticas. Francisco Neto lembrou que a transparência internacional já havia situado Rondônia no grau “ótimo”, e agora o classifica em primeiro lugar.

Rondônia está entre os classificados em primeiro no mundo em todo tipo de prestação de contas de investimentos nessa área, constata a OKBR.

O que prejudicou os menos classificados nesse ranking foi a falta de detalhamento das contratações emergenciais e o fato de os dados estarem espalhados por vários portais diferentes. Portais de alguns órgãos federais seguem os padrões recomendados, embora divulguem informações sobre suas respectivas contratações e não do governo como um todo.

De acordo com a Controladoria Geral da União (CGU), outros sites trazem apenas números agregados que, embora possam ser úteis para fins estatísticos e de pesquisa, não facilitam o acompanhamento de contratações individuais pelas organizações da sociedade civil, jornalistas e órgãos de controle.

* A nota média dos estados aumentou de 59,5 pontos no primeiro levantamento, há dois meses, para 85,7 nesta edição. Entre as capitais, a média foi de 45,8 para 85,2 no mesmo período.

Fonte: Secom-RO

CN
1 2 3 76