Operação fiscaliza se comerciantes estão cumprindo fase 1 de distanciamento decretado em Rondônia

Agentes percorreram principais centros comerciais de Porto Velho. Nessa fase, segundo o governo, só podem funcionar os serviços considerados essenciais.

Operação é realizada para garantir o cumprimento do decreto estadual

A Polícia Militar (PM) e órgãos de fiscalização do estado e do município de Porto Velho estão realizando uma operação para fiscalizar o cumprimento do distanciamento social controlado, decretado pelo governo nesta semana. O objetivo da ação é fiscalizar se os comerciante estão seguindo a determinação.

A operação começou na quinta-feira (2) e vai seguir pelos próximos dias nos bairros da capital Porto Velho. No primeiro dia de fiscalização, segundo o governo estadual, os agentes se concentraram principalmente na região central, onde há várias lojas consideradas de serviço não essencial.

“E não havendo essa cooperação por parte da população, as instituições acabam prorrogando esse período [de distanciamento] e acaba não sendo bom para ninguém. A fiscalização vai se dar em cima do que o decreto diz: se tem condição [autorização] de estar aberto, poderá permanecer diante das condições decretadas. Se não serão lavrados os TCO’s necessários e os agentes”, diz Drayton da Silva, coronel da PM.

Além de comércio, os agentes fiscalizarão pedestres e vão atuar para que não ocorram aglomerações em locais públicos da cidade, como o Espaço Alternativo.

O que abre e fecha em cada fase 1?
  • açougues, panificadoras, supermercados e lojas de produtos naturais;
  • atacadistas e distribuidoras;
  • serviços funerários;
  • hospitais, clínicas de saúde, clínicas odontológicas, laboratórios de análises clínicas e farmácias;
  • consultórios veterinários e pet shops;
  • postos de combustíveis, borracharias e lava-jatos;
  • oficinas mecânicas, autopeças e serviços de manutenção em geral;
  • serviços bancários, contábeis, lotéricas e cartórios;
  • restaurantes e lanchonetes localizadas em rodovias;
  • restaurantes e lanchonetes em geral, para retirada (drive-thru e take away) ou entrega em domicílio (delivery);
  • lojas de materiais de construção, obras e serviços de engenharia;
  • lojas de tecidos, armarinhos e aviamento;
  • distribuidores e comércios de insumos na área da saúde, de aparelhos auditivos e óticas;
  • hotéis e hospedarias;
  • segurança privada e de valores, transportes, logística e indústrias;
  • comércio de produtos agropecuários e atividades agropecuárias;
  • lavanderias, controle de pragas e sanitização; e
  • outras atividades varejistas com sistema de retirada ( drive-thru e take away) e entrega em domicílio (delivery).

Por Rede Amazônica

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *