Devido à farra na Caerd, deputados aprovam repasse para compra de insumos

Diretores da companhia chegaram a receber R$ 80 mil em um mês, por isso agora falta dinheiro para pagar salários

O Plenário da Assembleia Legislativa autorizou nesta quinta-feira, 16, o repasse de aproximadamente R$ 7,5 milhões para a Caerd comprar insumos, materiais e equipamentos. Após o projeto receber emenda substitutiva do deputado Ezequiel Neiva (PTB), subscrita pelo deputado Anderson Pereira (Pros), em decorrência da farra dos Diretores, foi retirada a parte financeira que seria destinada a pagamentos de salários e benefícios de servidores.  

Inicialmente estava previsto um aporte financeiro de R$ 12,4 milhões do Governo para a Caerd, que ficou sem dinheiro depois de uma gastança desenfreada, onde diretores chegaram a receber até R$ 80 mil em um mês.

Praticamente falida, a Companhia de águas e esgotos do estado não precisava comprar férias de funcionários, mas em um único caso o gasto foi de R$ 70 mil com compra de férias e demais indenizações. Diretores e funcionários graduados foram beneficiados, e depois disso correram para os braços do Governo, pedindo mais dinheiro.

Os deputados consideraram que os cofres estaduais não devem bancar a gastança desenfreada dos diretores da Caerd. Eles lembraram que a companhia está na atual situação devido à gestão compartilhada, quando servidores passaram a administrar a companhia.

Descontrole

Os servidores resolveram a própria situação, passando a ganhar altos salários, provavelmente tenha contribuído para quebrar a companhia que já vinha mal das pernas. Com a Pandemia, a arrecadação caiu, devido ao isolamento social e muita gente sem trabalho, o Governo proibiu os cortes no fornecimento de água. Mesmo assim, não impediu que os diretores pagassem para si diversos benefícios que tinham sido suspensos por recomendação do Tribunal de Contas do Estado.

Depois disso, funcionários graduados da Caerd passaram a dizer que faltariam insumos para tratar a água em Porto Velho, caso não fosse aprovado o repasse para a companhia. A tentativa de pressão não deu certo, por isso a farra terá que ser pelo menos suspensa até a empresa se capitalizar novamente.

Obviamente, o que deve ser levado em consideração é exatamente o egoísmo dos diretores, dispostos a receber tanto, mesmo que a empresa corra o risco de quebrar. Isso, é o que chamo de princípio de interesse próprio, não importa as condições. É muito engraçado como funciona a “teoria da ganância”.

Fonte: Correio de Notícia

Spread the love

0 thoughts on “Devido à farra na Caerd, deputados aprovam repasse para compra de insumos

  • 11 de agosto de 2020 em 2:28 am
    Permalink

    Você realmente faz parecer tão fácil junto com sua apresentação, mas eu acho que este assunto é realmente algo que eu sinto que nunca entenderia. Parece muito complicado e extremamente vasto para mim. Estou ansioso para sua próxima investida, vou tentar me agarrar a ela!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *