Número de doadores de Sangue registra queda de 30% este mês

Estoque da Fhemeron baixou e já acendeu um alerta, pois pode faltar sangue em hospitais públicos e privados

Porto Velho, RO – O número de doadores de sangue caiu 30% em Rondônia nas duas primeiras semanas de julho, de acordo com levantamento da Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron). A queda, já preocupante para a rede de hemocentro, é decorrente dos reflexos provocados pela pandemia da Covid-19.

A Fhemeron afirmou que julho sempre foi um mês com índice menor de doação de sangue, mas isso era provocado pelas férias escolares e viagens. Porém, em 2020, dezenas de doadores pararam de ir às unidades com receio de contaminação pelo novo coronavírus.

Com a queda de 30% no número de doadores em julho, o estoque da Fhemeron baixou e já acendeu um alerta, pois pode faltar sangue em hospitais públicos e privados de Rondônia.

“Essa questão da falta de sangue não é uma particularidade do estado, mas do Brasil inteiro. Isso tem refletido de forma preocupante em nosso estoque”, afirma Dimarães da Silva, assistente social da Fhemeron.

Todos os tipos de sangue estão com estoque baixo, principalmente A e O+, que corresponde a 70% da população.

Em entrevista, Dimarães pediu para que os doadores não deixem de ir à Fhemeron, pois todas medidas de segurança estão sendo adotadas no atendimento e coleta de sangue.

Para atender aos doadores, a Fhemeron funciona de segunda a sábado, das 7h15 às 12h, em esquema de agendamento. Os números são: (69) 3216-2234 ou 9 98464-0125 (WhatsApp).

Como ser um doador de sangue?

  • Tenha entre 16 e 69 anos;
  • Pese mais de 50 quilos;
  • Não esteja grávida;
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação);
  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);
  • Estar em boas condições de saúde;
  • Não seja Epilético;
  • Tenha doado sangue há mais de 60 dias (homem) ou 90 dias (mulher);
  • Tenha dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;
  • Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Quais são os exames de triagem?

  • AIDS;
  • Sífilis;
  • Hepatite;
  • Doença de Chagas;
  • HTLV I/II;
  • Formas raras de Hemoglobina (anemias);
  • Grupos sanguíneos e Fator Rh.

O que pode me impedir de doar temporariamente?

  • Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas;
  • Gravidez;
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana;
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses);
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
  • Tatuagem/maquiagem definitiva nos últimos 12 meses;
  • Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses;
  • Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc): aguardar 6 meses;
  • Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias;
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas;
  • Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses;
  • Vacina contra gripe: por 48 horas;
  • Vacina contra sarampo ou com a BCG: por 30 dias;
  • Vacina contra rubéola: 14 dias;
  • Herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões;
  • Herpes Zoster: apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster);
  • Febre Amarela: quem tomou a vacina deve aguardar 4 semanas; quem contraiu a doença deve aguardar 6 meses após recuperação completa (clínica e laboratorial); e quem esteve em região onde há surto da doença deve aguardar 30 dias após o retorno.

Fonte: G1/RO

Faça seu Comentário