Ações da JBS beneficia municípios em Rondônia

A JBS é uma das maiores líderes globais da indústria de alimentos e conta com uma plataforma global de produção diversificada por geografia e por tipos de proteína.

Através do programa “Fazer o Bem Faz Bem – Alimentando o Mundo com Solidariedade”, um dos maiores programa social no combate ao coronavírus no Brasil e no mundo, a JBS fará a doação de R$ 16,2 milhões para implementação de ações sociais e de saúde pública no enfrentamento ao Novo Coronavírus (Covid-19) em Rondônia. Sendo R$ 10 milhões para o Estado e R$ 6,2 milhões para seis municípios rondonienses, beneficiando cerca de 800 mil pessoas. 

A JBS é uma das maiores líderes globais da indústria de alimentos e conta com uma plataforma global de produção diversificada por geografia e por tipos de proteína. A Companhia conta com mais de 240 mil colaboradores, em unidades de produção ou escritórios em todos os continentes, em países como Brasil, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália, China, entre outros – no Brasil são mais de 130 mil colaboradores, sendo a empresa uma das maiores empregadoras privadas do país.

Fazer o Bém São-Miguel-do-Guaporé-

As doações da empresa faz parte do programa “Fazer o Bem Faz Bem – Alimentando o Mundo com Solidariedade”, da JBS para implementação de ações sociais e de saúde pública no enfrentamento ao Novo Coronavírus.

Com o confinamento, em consequência da pandemia e queda na demanda de produtos e serviços, a JBS decidiu adotar medidas para tentar diminuir os efeitos do novo coronavírus, principalmente na área da saúde. As iniciativas incluem doação em dinheiro para compra de respiradores e testes do covid-19, ambulância, álcool gel, máscaras cirúrgicas, viseiras faciais, etc.

No total, a JBS doará R$ 400 milhões contra a pandemia no Brasil, aplicados nas três frentes de atuação do programa – saúde, assistência social e ciência. A estimativa é que mais de 63 milhões de pessoas em mais de 200 municípios brasileiros sejam beneficiadas com as ações do programa.

Até o momento, a JBS empenhou R$ 30 milhões do total de R$ 50 milhões, no Brasil, destinados ao apoio de pesquisas científicas dentro do seu programa de doações. Outros R$ 330 milhões serão aplicados na saúde pública e R$ 20 milhões destinados a projetos sociais.

Saúde

Em Vilhena foi entregue dois respiradores à Prefeitura Municipal, além de mais de 232 mil equipamentos de proteção individual (EPIs) – aventais, luvas de procedimentos, máscaras cirúrgicas e N95, macacões impermeáveis, propés e toucas.

No município de São Miguel do Guaporé: foi entregue uma ambulância ao Fundo Municipal de Saúde, além de 19,5 mil equipamentos de proteção individual (EPIs) – aventais, macacões impermeáveis, máscaras cirúrgicas e N95, propés e viseiras faciais – ao Fundo Municipal de Saúde de São Miguel do Guaporé (RO).

Em Colorado do Oeste, foram destinados mais de 19 mil equipamentos de proteção individual (EPIs) – aventais, máscaras cirúrgicas e N95, viseiras faciais, toucas, propés, macacões impermeáveis e luvas cirúrgicas –, e 2 mil litros de álcool em gel ao Fundo Municipal de Saúde de Colorado do Oeste (RO).

No município de Cacoal, a JBS entregou mais de 37 mil equipamentos de proteção individual (EPIs) – aventais, máscaras cirúrgicas e N95, macacões impermeáveis e viseiras faciais – e 11 mil litros de álcool em gel à Prefeitura Municipal. 

Pimenta Bueno, foi contemplada com mais de 106 mil equipamentos de proteção individual (EPIs) – aventais, luvas cirúrgicas e de procedimentos, máscaras cirúrgicas e N95, macacões impermeáveis, toucas, viseiras faciais –, 9 mil litros de produtos de higiene e limpeza (álcool líquido e em gel, água sanitária e sabonete líquido) e 2,5 mil sacos de lixo à Prefeitura Municipal de Pimenta Bueno (RO)

Em Porto Velho, Capital de Rondônia, foram entregues milhares de itens de higiene e limpeza e mais de 75 mil equipamentos de proteção individual (EPIs) – aventais, luvas descartáveis, viseiras faciais, máscaras cirúrgicas e N95, macacões impermeáveis, propés e toucas – ao Fundo Municipal de Saúde de Porto Velho (RO).

Fazer o bem Porto-Velho

Entre as ações que vão receber apoio do programa da JBS, também vale destacar a oferta, via EAD (ensino a distância), de treinamentos aos profissionais da saúde para operação de equipamentos hospitalares, incluindo respiradores, administração de EPIs e precauções relacionadas à Covid, entre outros assuntos. O programa é gratuito e utiliza as ferramentas e a metodologia do Hospital Albert Einstein, Faculdade de Medicina da USP e Instituto Moinhos de Vento (RS). Com o foco nas cidades atendidas pelo programa, a estimativa é que mais de 30 mil profissionais sejam treinados. 
SOCIAL
Projetos sociais, capazes de beneficiar diretamente 500 mil pessoas em todo o país, também foram selecionados. Especificamente em Rondônia, a companhia confirmou recursos para duas iniciativas, que somam mais de R$ 550 mil.

Kanindé

Também na área de capacitação e proteção alimentar e mobilização de alimentos para povos indigenas, comunidades ribeirinhas, imigrantes e outras minorias.

Feder

Através da Federação dos Portadores de Deficiência de Rondônia que atua na defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência junto ao Ministério Público e demais Instituições, prestando atendimento e assessoramento a pessoa com deficiência em todo o estado de Rondônia, realizamos também entregas de kits de material higiene e cestas básicas.
Ciência

Instituições de pesquisa com estudos contra o coronavírus em todo o país também receberão as doações da JBS. Até o momento, a JBS empenhou R$ 30 milhões do total de R$ 50 milhões, no Brasil, destinados ao apoio de pesquisas científicas dentro do seu programa de doações. Para a pesquisa na região norte serão destinados mais de R$ 1,2 milhão.

Os recursos do programa são convertidos em bens e serviços de acordo com as necessidades definidas pelas autoridades públicas locais (estados e municípios) e validadas pelos comitês de especialistas nas três esferas atendidas pelo programa – saúde, social ou ciência – de acordo com a área de destino da doação. Os comitês são formados por médicos e representantes de instituições referência no país, tanto na área da saúde, como social e científica.  

O programa de doações da JBS é coordenado por Joanita MaestriKaroleski, ex-CEO da Seara, com um time de 30 colaboradores da JBS totalmente dedicado à iniciativa. A contribuição da Companhia também se estende pela utilização de sua estrutura pelo país. As consultorias Tyno, na área administrativa, e a Grant Thornton, na auditoria das doações, apoiam o projeto de forma pro bono.  

Fonte: Reação/CN | com informações da Assessoria

Faça seu Comentário