Polícia prende acusado de estuprar menina de 10 anos no Espírito Santo

Polícia Civil de São Mateus confirma prisão de homem de 33 anos, suspeito de violentar garota de 10 anos. “Crime brutal e inaceitável”, diz governador

A Polícia Civil do Espírito Santo prendeu ontem (18) o homem acusado de estuprar a menina de 10 anos no interior do estado. Em depoimento à Justiça, a garota afirmou que era violentada pelo tio desde os seis anos. O Ministério Público apura o caso.

O governador do estado Renato Casagrande usou as redes sociais para confirmar a prisão e comentar o crime. “A nossa polícia efetuou nesta madrugada a prisão do estuprador da menina violentada no no interior do ES”, disse.

“Que sirva de lição para quem insiste em praticar um crime brutal, cruel e inaceitável dessa natureza. Detalhes da operação serão repassada pela equipe segurança ainda hoje.”

O caso

Uma menina de 10 anos engravidou após ter sido estuprada em São Mateus, município localizado no norte do Espírito Santo. O acusado pelo crime é o tio de 33 anos da criança. O caso se tornou público depois que ela deu entrada no Hospital Roberto Silvares, em São Mateus, se sentindo mal. Enfermeiros perceberam que a garota estava com a barriga estufada, pediram exames e detectaram que ela estava grávida de cerca de três meses.

Em conversa com médicos e com a tia que a acompanhava, a criança relatou que o tio a estuprava desde os 6 anos. Ela disse que não havia contado aos familiares porque tinha medo, uma vez que o parente a ameaçava.

A menina foi, então, transferida de São Mateus, no norte do Espírito Santo, para o Recife, capital de Pernambuco, após decisão do juiz Antonio Moreira Fernandes, da Vara da Infância e da Juventude do município onde ela mora.

Desde domingo, a criança está internada no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam-UPE). No hospital, ela teve a gestação interrompida. O procedimento foi feito no domingo e finalizado na segunda-feira.

No dia do aborto, o hospital foi alvo de atos de grupos religiosos, contrários ao aborto. Houve ainda manifestações de grupos de mulheres em defesa do procedimento.

Fonte: R7

Faça seu Comentário