Ação ‘Previna-se’ distribui máscaras para comunidades de Guajará-Mirim

1.400 máscaras de tecido reutilizáveis foram distribuídas para as famílias mais vulneráveis no estado.

Além das famílias indígenas, foram beneficiadas também as famílias ribeirinhas, agroextrativistas, produtores rurais e moradores da zona urbana

A Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas), em parceria com a Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RO), distribuíram para mais de 80 etnias indígenas, 1.400 máscaras de tecido reutilizáveis na última semana, oriundas do Projeto Previna-se, criado pelo governo de Rondônia.

A iniciativa, segundo a primeira-dama e secretária da Seas, Luana Rocha, busca reforçar as ações de proteção à Covid-19, que tem assolado o mundo, além de dar cumprimento ao papel da Secretaria, quanto política de assistência que busca alcançar toda a população vulnerável de Rondônia.

Nessa primeira remessa, foram entregues 344 máscaras às famílias indígenas. Segundo o cacique, Valdito Oro, a atenção à comunidade é redobrada, devido à dificuldade de acesso e à atuação do poder público, que é fundamental nesse momento.

Além das famílias indígenas, foram beneficiadas também as famílias ribeirinhas, agroextrativistas, produtores rurais e moradores da zona urbana. Nem mesmo a dificuldade de acesso às regiões impediu que as entregas continuassem.

Na reserva extrativista do rio Ouro Preto, por exemplo, distante 50 quilômetros de Porto Velho, as equipes tiveram que fazer o trajeto no Barco Hospital, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). As famílias ribeirinhas e extrativistas que vivem na região foram beneficiadas com a entrega das máscaras de tecido, que foi possível através da parceria com a Associação de Seringueiros e Agroextrativistas de Ouro Preto (Asaex) e Associação de Seringueiros do Rio Preto (ASROP) para auxiliar na distribuição.

Os moradores da Comunidade Nova Esperança, localizada na estrada do Palheta, também foram beneficiados com a entrega das máscaras., bem como os produtores da Associação dos Criadores do Vale do Mamoré (Acrivale), Ramal Cachoeirinha (Asprorc) e regiões.

As distribuições das máscaras estão sendo entregues para famílias mais vulneráveis no combate à pandemia.

Fonte: Seas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *