Justiça pede que Consórcio SIM retorne com transporte coletivo na capital

Na última quarta-feira (23), os últimos dez ônibus que estavam operando em Porto Velho foram retirados das ruas pela empresa.

A Justiça do Estado determinou a retomada das atividades do Consórcio SIM em Porto Velho após a empresa retirar os últimos ônibus que ainda operavam no transporte coletivo na cidade.

A decisão foi assinada na última sexta-feira (25) pela juíza Luciane Sanches e ainda define que o serviço de transporte público seja prestado na capital até que a empresa vencedora da licitação municipal comece a operar em outubro.

O documento também prevê multa de R$ 20 mil por dia em caso de descumprimento. A empresa tem três dias para informar se a decisão foi cumprida e quantos ônibus estão disponíveis para continuar prestando serviço.

A prefeitura disse que não vai comentar o assunto. O Consórcio SIM informou que ainda não foi notificado.

Na última quarta-feira (23), os últimos dez ônibus que estavam operando em Porto Velho foram retirados das ruas pelo Consórcio. Segundo a Secretaria Municipal de Trânsito (Semtran), o SIM descumpriu o contrato com o município e entregou sua operação antes da data prevista.

Já o Consórcio disse que informou previamente a Semtran sobre a impossibilidade de manter o serviço sem que tivesse aporte financeiro e que esteve à disposição para seguir com os trabalhos até que a nova empresa assumisse, caso o município tivesse se interessado em subsidiar o pagamento dos trabalhadores.

Porém, segundo o SIM, a prefeitura apenas orientou que a população não comprasse vale transporte, fazendo com que as atividades não pudessem ser mantidas.

A nova empresa de ônibus JTP vai atuar no transporte da capital, já estão na cidade, porém o contrato com o município diz que sua operação deve começar a partir de 17 de outubro.

Fonte: G1/RO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *