Equipes técnicas fiscalizam obras de saneamento em Ji-Paraná

Recursos das obras fazem parte do programa de Aceleração (Pac).

Uma equipe de engenheiros do Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) realizou vistorias de fiscalização nas obras de construção da rede de esgoto, que está sendo executada em Ji-Paraná. Com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), desde 2019 o Governo do Estado vem conseguindo destravar os problemas burocráticos que impediam o início dos trabalhos.

Saneamento básico é mais qualidade de vida

O coordenador de fiscalização de obras vinculadas ao PAC pelo DER, engenheiro Gilson Castro de Moraes, explica que o projeto prevê o atendimento de até 80% da população da cidade, com uma rede de 400 quilômetros de tubulação de esgoto, além de toda a infraestrutura necessária para o tratamento dos resíduos coletados, em um investimento em torno de R$ 150 milhões. Até o fim deste ano, a previsão é de 50 quilômetros de tubulação assentados.

Atualmente, a empresa contratada está trabalhando com três frentes de assentamento da rede e uma quarta frente fazendo as ligações domiciliares. De acordo com o engenheiro Gilson Castro, “o trabalho está sendo feito para que, quando estiver tudo pronto, a Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd) só precise fazer a conexão domiciliar”.

Conjuntamente, com o avanço da obra em Ji-Paraná, uma equipe socioambiental do DER também está em contato com a população diretamente afetada. Segundo a responsável técnica social do DER para os projetos do PAC, assistente social Janair Trindade, “o objetivo é fazer a conscientização das pessoas sobre o uso da benfeitoria, no caso aqui é a rede de esgoto tratado, manutenção e sustentabilidade da obra, por exemplo, sobre não jogar lixo nos vasos sanitários, entre outras tantas informações”.

O diretor-geral do DER, Elias Rezende, destaca que a grande importância desta obra em Ji-Paraná é a melhoria na saúde pública, a diminuição de doenças evitáveis ligadas ao saneamento básico.

Ainda segundo dados do IBGE, apenas 53% da população brasileira tem acesso à coleta de esgoto e 38% desse esgoto coletado não é tratado. “Com base nessa realidade insustentável, o governador Marcos Rocha não só determinou, como vem acompanhando, por meio da nossa fiscalização, o andamento das obras em Ji-Paraná”, finaliza o diretor-geral do DER.

Fonte: DER

Faça seu Comentário