Ibovespa salta quase 2% e recupera os 100 mil pontos

Índice de referência do mercado acionário brasileiro subiu 1,9% e alcançou os 100.539,83 pontos, maior patamar desde setembro

O Ibovespa voltou a fechar acima dos 100 mil pontos nesta terça-feira (20), o que não acontecia desde setembro, com Wall Street endossando a alta em meio a esperanças de um acordo no Congresso norte-americano para mais estímulos fiscais.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,91%, a 100.539,83 pontos, na máxima da sessão, de acordo com dados preliminares. O volume financeiro somava R$ 19,1 bilhões.

Ao longo do dia, a cena corporativa doméstica ocupou os holofotes, com bancos respondendo pela maior contribuição positiva, apoiados em apostas para os resultados trimestrais. A CSN também chamou a atenção com IPO de unidade de mineração no radar.

Nos Estados Unidos, prevaleceu o otimismo de que as conversas entre parlamentares norte-americanos estão progredindo nas negociações para um novo pacote de estímulo para ajudar a economia afetada pela pandemia de covid-19.

A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, disse estar otimista quando a um acordo entre democratas e a Casa Branca. Ela acrescentou que deve haver uma indicação de um possível acordo ainda nesta terça-feira.

Destaques

– BRADESCO PN subiu 4,32% e ITAÚ UNIBANCO PN avançou 3,98%, em meio a otimismo para os resultados do setor no terceiro trimestre, que começam na próxima semana, bem como percepções de que os preços estão atrativos. BANCO DO BRASIL ganhou 4,61% e SANTANDER BRASIL avançou 2,42%. O Goldman Sachs elevou os preços-alvo de Bradesco e BB. BTG PACTUAL saltou 5,53%.

– CSN ON evoluiu 5,19%, um dia após pedido de registro para oferta inicial de ações de sua unidade de minério de ferro, CSN Mineração, que promete ser uma das maiores feitas por empresas brasileiras em 2020. Também no radar, dados do Inda mostraram que os distribuidores de aço plano elevaram compras e vendas em setembro.

– EZTEC ON ganhou 5,63%, com o índice do setor imobiliário avançando 2,34%, entre as melhores performances setoriais do pregão. MRV ON avançou 4,25%, entre as maiores altas do Ibovespa.

– PETROBRAS PN e PETROBRAS ON subiram 3,38% e 3,43%, respectivamente, fortalecidas pela melhora dos preços do petróleo no exterior – o Brent fechou em alta de 1,27% – antes da divulgação de dados de produção, previstos para esta terça-feira ainda, após o fechamento do mercado.

– VALE ON recuou 0,18%, um dia após divulgar que sua produção de minério de ferro atingiu 88,7 milhões de toneladas no terceiro trimestre, alta de 2,3% na comparação com mesmo período de 2019, enquanto as vendas de minério de ferro atingiram 65,8 milhões de toneladas, queda de 11,2%.

– EMBRAER ON avançou 2,97%, após divulgar entregas de 28 jatos no terceiro trimestre, que fechou com carteira de pedidos firmes de US$ 15,1 bilhões. O Bradesco BBI avaliou que os dados foram fracos, mas em linha com a previsão, e que os clientes da Embraer podem continuar a adiar recebimentos de aeronaves programados para até 2021.

– GOL PN fechou em baixa de 0,95%, após notícia de que acionistas da controlada Smiles abriram processo arbitral contra a companhia aérea relativas operações de adiantamento de recursos durante a pandemia. SMILES subiu 2,25%. No setor, AZUL PN recuou 0,94%.

– CVC BRASIL ON recuou 0,32%, após reportar prejuízo de R$ 252,1 milhões no segundo trimestre, ante lucro de R$ 98,5 milhões de um ano antes. A operadora de turismo atrasou a divulgação de seu números após encontrar distorções contábeis. A companhia espera apresentar em 16 de novembro os números do terceiro trimestre, que, segundo ela, já mostrarão sinais de retomada dos negócios.

– WEG ON subiu 1,82%, para 83,55 reais, nova máxima de fechamento, antes da divulgação do balanço do segundo trimestre, na quarta-feira, antes da abertura do mercado.

Fonte: R7

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *