Prática de compra de votos ainda faz parte da estratégia de candidatos corruptos

Prática de compra de votos ainda faz parte da estratégia de candidatos corruptos

Agora é com dinheiro vivo, cesta básica, bebida, gasolina e material de construção

Infelizmente, a prática de compra de votos, atravessa ‘anos a fio’ e continua em vigor até hoje no nosso país, apesar das leis e de uma fiscalização mais rigorosa por parte das autoridades e da sociedade civil. Assim como todas as cidades de Norte a Sul, Leste, Oeste do País, em Porto Velho, votos são comprados com uma extensa lista de benesses, em que hoje em dia, o dinheiro vivo prevalece para não deixar rasto.

A aquisição ilícita de votos, popularmente conhecida como compra de votos é uma prática eleitoral dolosa e ilícita. Adquirir votos em troca de bem ou vantagem de qualquer natureza, inclusive empregos, funções públicas, presentes e influências políticas. De acordo com o Art. 41-A, da Lei 9.504/1997, a conduta é punível com multa de mil a cinquenta mil Ufir (Unidade Fiscal de Referência), além da cassação do registro ou diploma. Também é uma conduta descrita como um dos crimes eleitorais, capitulado no artigo 299 do código eleitoral Brasileiro.

No entanto, nas eleições deste ano, o jornal ‘Correio de Notícia’ tem recebido várias denúncias da suposta prática de crimes eleitoral na capital de Rondônia. De acordo com os denunciantes que preferem não ser identificados, um suposto candidato que por enquanto não será revelado o nome, está reunindo colaboradores para divulgação de campanha e, em troca, dando combustível – o ato demonstra prática de abuso de poder econômico e possível compra de votos.

Como já disse o artista Marco Martino: “Está difícil ver uma luz no fim do túnel”… Ao contrário do que muitos acreditam as movimentações estão a todo vapor. E, se tudo der certo, o povo vai continuar “lascado”.

 Velhas táticas, com velhos ingredientes, tentam manter as velhas artimanhas são utilizadas para chegar nas administrações Municipais. Nossa cidade é governada, como a maioria das outras cidades do Brasil, através de um “jogo de cartas marcadas”. Antes mesmo da eleição tudo é acertado: Quem administra, quem obedece, quem fica, quem sai, quem ganha, quem perde… 

A ética e o respeito estão longe de serem regras nesse “jogo”. E nesta premissa, passa-se por cima do oponente seja de que jeito for. Calúnia, difamação e todo o tipo de manobras são aceitas, afinal, o importante é ganhar a eleição, mesmo que seja a qualquer preço. 

O curioso, é que existem muitos elementos disfarçados, que incorporam brilhantemente um discurso de renovação, mas, na verdade, continuam pelos bastidores tecendo e tramando algo a ser feito.

Ao meu ver estes são ainda mais perigosos. Afinal, são dotados de diplomas, cursos de especialização, tudo na arte da “trambicagem”, são verdadeiros Lobos em pele de cordeiros.

Sem querer desistir da luta, mas, num artigo um tanto pessimista, começo a acreditar naquilo que muitos vêm comentando ao longo dos anos: “Para mudar definitivamente o cenário político carecemos de “milhares de anos”. Ou quem sabe algumas décadas se a população aprendesse a votar, quem sabe a fórmula em que se transformou “Gotham City”, comece se transformar. E, por incrível que pareça, este é um grande desafio!

Já estou até prevendo os comentários!

Por Edilson Neves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *