Condenado por “calote” em campanha de Dilma, PT tem faturamento bloqueado

Não cabe mais recurso sobre o mérito do processo

A Justiça de São Paulo determinou a penhora de parte do faturamento mensal do Partido dos Trabalhadores (PT), diretório de SP, em função de uma dívida da campanha de reeleição da ex-presidente, Dilma Rousseff, em 2014. Naquela época, a empresa A.J.M. de Azevedo Eletrônicos, havia sido contratada para fazer a entrega e a retirada de cavaletes de propaganda eleitoral.

O acerto era de R$ 693 mil, mas o PT não pagou o equivalente a R$ 183 mil. Atualizados os valores representam um calote de R$ 233, 9 mil.

O PT apresentou recurso à justiça e, surpreendentemente, não negou a dívida. Mas, alegou que, como partido político, recebedor de fundo partidário, não poderia pagar juros, correção monetária e multa.

O Tribunal de Justiça, claro, não aceitou o engodo e condenou o partido a fazer o pagamento. Não cabe mais recurso sobre o mérito do processo.

A justiça de São Paulo teve que penhorar o faturamento do partido porque, mesmo após quase dois anos da condenação, o PT ainda não quitou o débito.

Sendo assim, o PT deverá apresentar, mensalmente, o seu balanço financeiro à Justiça para que seja efetuado o depósito judicial de 10%, até quitar, integralmente, a dívida.

Esta não é a primeira vez que o Partido das Trevas é argolado por credores na justiça para honrar seus compromissos. Em outra ocasião, o PT já havia sido condenado a pagar R$ 75,4 mil a uma empresa que forneceu 41.500 bandeiras eleitorais também para a campanha de Dilma, em 2014.

Fonte: JCO

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *