Milhares de pessoas são presas na Rússia

Espalhar a Notícia
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Os cidadãos russos protestaram contra a prisão de Alexei Navalni, opositor do atual presidente Vladimir Putin

Os atos ocorreram em várias cidades do país, neste sábado (23), e nem mesmo as temperaturas congelantes de até 30 graus negativos, evitaram que as pessoas saíssem de casa. Os cidadãos russos protestaram contra a prisão de Alexei Navalni, que é um líder de oposição do atual presidente Vladimir Putin.

De acordo com estimativas da organização, mais de 40 mil manifestantes participaram do ato, que não tinha autorização para ser realizado. Aproximadamente, 1.900 pessoas foram presas.

Em Moscou, a capital do país, o prefeito, Serguei Sobianin, qualificou o evento como “inaceitável”, visto que a Rússia ainda sofre com as consequências da pandemia da Covid-19.

Vídeos compartilhados na internet mostraram agentes policiais da Omon, uma espécie de tropa de choque russa, prendendo até mesmo um garoto de 14 anos que concedia entrevista a uma emissora de televisão. A noiva de Navalni, Iulia, também foi detida, em Moscou.

A Rússia tem onze fusos horários diferentes no país. Por isso, a população começou a notar que havia uma “onda de protestos” por várias cidades, até na Khabarovsk (Sibéria), localidade que luta contra o Kremlin desde 2020.

Alexei Navalni foi envenenado, em setembro de 2020, com um agente nervoso do grupo do novichok. Ele foi encaminhado para hospital de Berlim, capital da Alemanha, em estado grave, permanecendo em coma.

De volta ao país no domingo (17), exatamente, 150 dias após ter sofrido atentado na cidade siberiana de Tomsk. Naquela época, ele ajudava a elaborar dossiês contra o líder local do partido do Kremlin que, por sinal, disputaria as eleições de setembro.

Navalni acusou, diretamente, Vladimir Putin em vídeo publicado nas redes sociais no qual “passa” trote em um dos agentes do FSB (Serviço Federal de Segurança), apontado como um dos autores do ataque. Na ligação, ele admite ter colocado veneno na cueca do ativista no quarto de hotel. Mas, o Kremlin nega qualquer envolvimento. Putin chegou até mesmo a ironizar o adversário, afirmando que, se a Rússia quisesse mata-lo, já o teria feito.

Voltando da Alemanha, Navalni teve o voo desviado para outro aeroporto; a fim de não encontrar com apoiadores e, tão logo chegou ao controle de passaporte, em Moscou, foi preso. As autoridades russas justificaram que o opositor é acusado pelo Serviço Penitenciário Federal da Rússia de não ter cumprido as condições de uma pena de prisão de 3,5 anos, em 2014 e, agora, será executada.

Fonte: JCO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *