Com sistema de saúde no limite, Rondônia pede transferência de pacientes com covid-19

Espalhar a Notícia
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Rondônia hoje tem fila de pacientes à espera de leitos de UTI

.

Em meio a uma disparada de infecções pelo novo coronavírus, o estado de Rondônia está com seu sistema de saúde à beira do colapso e vai transferir pacientes com covid-19 para outras unidades federativas.

O anúncio foi feito pelo governador do estado, Marcos Rocha (sem partido), ainda na noite do sábado (23), após um dia de tratativas com o Ministério da Saúde para articular a transferência dos pacientes para hospitais federais.

Rondônia hoje tem fila de pacientes à espera de leitos de UTI. Segundo afirmou o governador do estado, a medida de transferência busca salvar as vidas dessas pessoas. Além disso, o governo de Rondônia afirmou que o estado dispõe de poucos leitos de cuidado intensivo e também não tem médicos suficientes para garantir o atendimento nesses locais.

A Secretaria Estadual de Saúde de Rondônia informa que há pelo menos 12 hospitais no estado com 100% de taxa de ocupação de UTIs.

Já na capital Porto Velho, todos os hospitais de campanha estão lotados. O prefeito da cidade, Hildon Chaves (PSDB), já declarou que o sistema de saúde municipal entrou em colapso.

Na semana passada, o sistema de saúde do Amazonas também entrou em colapso e cenas de desespero tomaram conta das redes sociais mostrando a falta de oxigênio nos hospitais. Diante da situação, o estado anunciou medidas de restrições sociais como o fechamento do comércio e a limitação da circulação de pessoas.

Segundo os dados do consórcio de veículos de imprensa, Rondônia acumula um total de 117.101 casos de covid-19 e 2.111 mortes causadas pela doença. Nesse domingo (24), foram 958 casos e 14 óbitos. O estado, assim como todo o Brasil, registra atualmente um aumento dos casos, o que se intensificou ao longo de janeiro, após o período de festas.

Por JB (com agência Sputnik Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *