Polícia Federal conclui que não há indícios de crime no famigerado inquérito dos atos antidemocráticos

Espalhar a Notícia
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
E agora Xande?

A Polícia Federal enviou relatório ao STF no final do tal inquérito instaurado para apuração de “atos antidemocráticos”, e concluiu que não existem indícios de crimes.

E agora?

O que Cabeça de Lâmpada vai fazer?

Mandar prender quem assinou o relatório da PF?

Deixar preso quem já lá está, com base no tal inquérito, com um documento oficial da polícia reconhecendo que não há crime?

O Nosferatu tem que ser denunciado ao Tribunal de Haia pela violação de direitos humanos que vem cometendo.

Espero que ele pague – em vida – pelo mal que faz ao Brasil.

Foto de Guillermo Federico Piacesi Ramos

Fonte: Folha de S.Paulo
Por Guillermo Federico

One thought on “Polícia Federal conclui que não há indícios de crime no famigerado inquérito dos atos antidemocráticos

  • 26 de janeiro de 2021 em 2:43 pm
    Permalink

    [02/12/2020 05:19] Antônio Magalhães: REITERO AO DEPUTADO FEDERAL JOÃO CHRISÓSTOMO/RO, SEJA LEVADO AO PRESIDENTE BOLSONARO A PROPOSTA DE LEI PARA REDUÇÃO DO👇
    TETO MÁXIMO DE SALÁRIOS PARA (DEZ MIL REAIS) R$10.000,00 NOS TRÊS PODERES JÁ.
    Sr. Deputado, respeitosos cumprimentos. NÃO OUVÍ NAS SUAS “LIVES”, VOSSA EXCELÊNCIA FALAR DESSA NOSSA PROPOSTA DE PL MP AO PRESIDENTE BOLSONARO PARA Estabelecer de IMEDIATO UM TETO MÁXIMO DE SALÁRIOS E R$10.000,00 COMO O TETO MÁXIMO DE SALÁRIOS PARA CARGOS PÚBLICOS NOS TRÊS PODERES JÁ.
    Peço-lhe Resposta sobre sua atuação no congresso em defesa dos Cidadãos Contribuintes, Eleitores que lhe outorgaram um Mandato de Deputado federal para representar e defender os interesses da sociedade brasileira coletivamente.
    O PRESIDENTE BOLSONARO DEVERÁ RESOLVER OS PROBLEMAS DA SAÚDE, Sobre a PANDEMIA da Covid19, EVITAR O DESEMPREGO EM MASSA, A QUEBRA DA ECONOMIA E DAS RESERVAS DO BRASIL, EDITANDO, COMO PROPOMOS A SEGUIR, defender por Projeto de Lei, de Medida Provisória, URGENTE, via Presidente Bolsonaro. Estabelecer de IMEDIATO COMO TETO MÁXIMO DE SALÁRIOS DE R$10.000,00 NOS TRÊS PODERES JÁ. GARANTIR ESTABILIDADE ECONÔMICA FINANCEIRA AO BRASIL JÁ! POIS, AGORA MESMO O MINISTRO PAULO GUEDES DECLARA A NECESSIDADE IMEDIATA DE REDUZIR OS GASTOS PÚBLICOS EM GERAL MANTER OS SALÁRIOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS SEM REAJUSTES EM TODO TERRITÓRIO NACIONAL EM TODOS OS NÍVEIS DE GOVERNO.
    Os resultados daí gerados na economia nacional brasileira, serão aplicados e realizados em investimentos na infraestrutura e moradias populares verticais organizadas para erradicar as DOENÇAS ENDÊMICAS e a pobreza extrema e favelas em todo Brasil.
    Dignidade da pessoa humana JÁ. Aguardo sua resposta pelo ENCAMINHAMENTO DA NOSSA PROPOSTA PARA VENCER A CRISE DA SAÚDE E NOS ATENCIPARMOS À CRISE ECONÔMICA MUNDIAL QUE SE APROXIMA DO BRASIL. COM A REDUÇÃO DO TETO MÁXIMO DE SALÁRIOS PARA R$10.000,00 JÁ, SE VERIFICARÁ QUE NO SETOR PRIVADO É REALIDADE DIFERENTE DO QUE SE VÊ NO SERVIÇO PÚBLICO EM TODOS OS PODERES DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, E A INICIATIVA SE FARÁ, IMEDIATAMENTE, COMEÇANDO PELO STF-SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, E, SEGUIDO PELO PODER EXECUTIVO, EM DECISÃO EXCLUSIVAMENTE FUNDAMENTADA E JUSTIFICADA, DO PODER EXECUTIVO, CONSTITUCIONALMENTE AMPARADO PELOS ARTIGOS ABAIXO:
    Art. 37. CF/88: A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte:
    X – a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices;
    XI – a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, autárquica e fundacional, dos membros de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos e os proventos, pensões ou outra espécie remuneratória, percebidos cumulativamente ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, aplicando-se como limite, nos Municípios, o subsídio do Prefeito, e nos Estados e no Distrito Federal, o subsídio mensal do Governador no âmbito do Poder Executivo, o subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais no âmbito do Poder Legislativo e o subsídio dos Desembargadores do Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, no âmbito do Poder Judiciário, aplicável este limite aos membros do Ministério Público, aos Procuradores e aos Defensores Públicos; XII – os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo e do Poder Judiciário não poderão ser superiores aos pagos pelo Poder Executivo;
    XV – o subsídio e os vencimentos dos ocupantes de cargos e empregos públicos são irredutíveis, ressalvado o disposto nos incisos XI e XIV deste artigo e nos artigos 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I
    Art. 39. CF/88: A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão, no âmbito de sua competência, regime jurídico único e planos de carreira para os servidores da administração pública direta, das autarquias e das fundações públicas. Art. 39. CF/88: A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão conselho de política de administração e remuneração de pessoal, integrado por servidores designados pelos respectivos Poderes.
    § 4º O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, X e XI
    § 5º Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios poderá estabelecer a relação entre a maior e a menor remuneração dos servidores públicos, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, XI.
    Art. 150. CF/88: Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
    “II – instituir tratamento desigual entre contribuintes que se encontrem em situação equivalente, proibida qualquer distinção em razão de ocupação profissional ou função por eles exercida, independentemente da denominação jurídica dos rendimentos, títulos ou direitos;” OBS: situação vigente em relação aos empregos e salários da iniciativa PRIVADA frente e comparados aos salários e vantagens no serviço PÚBLICO EM TODOS OS PÓDERES.
    AGUARDANDO BREVE PROVIDÊNCIA PARLAMENTAR DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA FRENTE A GRAVE CRISE DA SAÚDE E ECONOMIA NACIONAL PELA PANDEMIA DA COVID 19, QUE APRESENTA GRAVE CRISE COLAPSO NA SAÚDE HOSPITALAR. MAS, AINDA PIOR, PREOCUPA O SETOR PRODUTIVO NO BRASIL.
    ANTECIPEMOS POIS AOS MALEFÍCIOS DO CORONA VIRUS e da INSTABILIDADE E CONFIANÇA NO GOVERNO DO PRESIDENTE BOLSONARO.
    ABS, GRATO.
    Antonio José Magalhães

    [02/12/2020 05:36] Antônio Magalhães: O BRASIL TEM JEITO: FALTA PULSO FIRME E FORTE DA GOVERNABILIDADE, PARLAMENTO PATRIOTA ATUANTE, ATENTO AOS ANSEIOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA. ” *REDUÇÃO DO TETO SALARIAL PARA R$ 10.000,00 JÁ* EM TODOS OS TRÊS PODERES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. REITERO.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *