Sesau conta com apoio do Exército para transferência de pacientes com covid para hospitais do sul

Espalhar a Notícia
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A ação do Exército é uma determinação do Comando Militar da Amazônia (CMA).

O Exército Brasileiro está atuando em apoio a Sesau (Secretaria de Estado da Saúde) para dar suporte logístico ao traslado de pacientes de Covid-19 de Rondônia para outros estados. O Paraná disponibilizou seis leitos e o Rio Grande do Sul disponibilizou 50 leitos hospitalares. Tanto em Porto Velho, capital rondoniense, e nos municípios do interior, as unidades hospitalares não tem mais leitos disponíveis para internação. O Ministério da Saúde anunciou que enviará força-tarefa de médicos para ajudar nos tratamentos, devido ao elevado número de pacientes.

A ação do Exército é uma determinação do Comando Militar da Amazônia (CMA), e em consonância com a Portaria Nº 1.232/GM-MD, de 18 de março de 2020, a 17ª Brigada de Infantaria de Selva (17ª Bda Inf Sl), no contexto do enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus. Está sendo empregada no apoio à Secretaria Estadual de Saúde (SESAU) de Rondônia, no translado de 100 (cem) pacientes acometidos por Covid-19, da Rede de Saúde Pública para outras Unidades Federadas.

O apoio ocorrerá no período de 25 a 28 de janeiro de 2021 e visa desafogar a rede de saúde estadual, em virtude do aumento exponencial do número de casos ativos e internações nos municípios. A 17ª Bda Inf Sl está apoiando com viaturas militares, ambulâncias, profissionais de saúde, dentre médicos e enfermeiros, que totalizam mais de 50 (cinquenta) militares empregados direta e indiretamente na atividade.

Também estará sendo realizada a segurança e balizamento durante o translado dos pacientes internados no Hospital de Campanha de Rondônia, no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA). Aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), farão a evacuação dos pacientes para outros Estados.

Fonte: Diário da Amazônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *