Funcionária do banco do Brasil é coagida por falsos explosivos em Porto Velho

Funcionária do banco do Brasil é coagida por falsos explosivos em Porto Velho

Segundo a Polícia Civil explosivos foram amarrados no corpo da vítima. O assalto foi interrompido pela polícia e as vítimas foram libertadas sem ferimentos.

Os explosivos amarrados no corpo de uma funcionária do Banco do Brasil eram falsos. Segundo informações da polícia civil. Na manhã desta quinta-feira (4), durante uma tentativa de roubo em uma agência de Porto Velho, uma funcionária ficou em casa e teve os falsos explosivos amarrados por baixo da roupa. O assalto foi interrompido pela polícia e as vítimas foram libertadas sem ferimentos.

Em entrevista coletiva durante a tarde, os delegados Marcelo Resem e Vinicius Lucena detalharam a ação e disseram que a família da funcionária foi rendida na noite de quarta-feira (3), quando o esposo dela chegava em casa, no bairro Lagoinha. No fim da madrugada, o homem e os três filhos de 3, 9 e 17 anos foram levados para um cativeiro fora da cidade.

A funcionária foi obrigada a se dirigir ao local de trabalho sob ameaças de acionamento da suposta bomba, caso não cumprisse as ordens de sacar de R$ 500 mil a R$ 1 milhão.

Conforme a polícia, no início da manhã, uma denúncia anônima de um vizinho da vítima fez a polícia tomar conhecimento do crime em andamento. A testemunha estranhou a vizinha sair de casa, com alguns homens desconhecidos.

A partir da denúncia, os policiais descobriram que se tratava de uma funcionária do Banco do Brasil da Avenida Mamoré, na Zona Leste. O banco foi avisado e confirmou que a mulher era responsável por abrir a agência.

Com as informações, delegados e agentes da Delegacia Especializada na Repressão a Crimes Contra o Patrimônio se dividiram em duas equipes. Uma foi para a agência e outra para a casa da vítima.

O grupo anti-bombas da Polícia Militar foi chamado para apoio. O material foi desarmado e houve a constatação de que não eram explosivos com acionamento remoto.

A ação terminou no fim da manhã com a funcionária, esposo e filhos libertos sem ferimentos, conforme a polícia.

A Polícia Civil já tem informações sobre os três suspeitos e segue com as investigações para a identificação e prisão do trio.

Fonte: G1/RO

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Faça seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: