A continuarem tantos erros, é bom se acostumar com a morte

A continuarem tantos erros, é bom se acostumar com a morte

Ela está chegando cada vez mais perto

Está chegando a hora da morte! Para milhares ela já chegou! Nos finais de semana tem festança em dezenas de locais diferentes. Tudo escondido, como se isso impedisse que o vírus ataque e fulmine muita gente. No Skate Park, lotação, quase nenhum cuidado por muitas pessoas, que aglomeram e colocam suas vidas e as de muitos outros em perigo. O Espaço Alternativo, todos os dias, tem muito mais gente do que deveria. Grupos em bares, gente nas ruas sem máscara, mães e pais levando crianças aos supermercados, contrariando o básico do decreto do governo para tentar conter a doença, tudo isso, somado, têm um ponto terminal: cova de cemitério. O Santo Antônio, aliás, não tem mais como sepultar mais cadáveres de vítimas da doença assassina. Estamos caminhando para os 3.300 mortos, desde o início da pandemia. Apenas em uma semana, da sexta passada até esta sexta, foram nada menos do que 230 óbitos. Média de 28 vidas perdidas todos os dias. Algo inacreditável, enquanto no entorno de cada um, há gente levando a tragédia na brincadeira e deixando de cumprir todos os protocolos de segurança. E há, ainda, os que não aceitam, mesmo que com provas concretas, que o tratamento precoce é uma opção importante, num contexto em que essa questão se tornou uma guerra ideológica. Coloca-se a questão da vida humana em segundo plano.

Está chegando a hora da morte, por irresponsabilidades de milhões de brasileiros e milhares de rondonienses; pelo racha entre a classe médica, cada profissional preocupado com suas crenças; pela inércia de muitas autoridades, que, mesmo recebendo caminhões de dinheiro federais, pouco fizeram, até agora, para ao menos diminuir toda essa tragédia; pela irresponsabilidade de governantes, país afora, que construíram hospitais de campanha a custos absurdos e pouco depois os desativaram, enquanto a segunda onda do vírus explodia. Isso tudo sem falar na corrupção que correu solta e que um dia será mostrada ao país. Está na hora de se colocar a vida de milhões de pessoas à frente de qualquer outra preocupação. E que a classe política esqueça que tem eleição daqui a pouco mais de um ano e meio. Se isso tudo não mudar e os mesmos erros continuarem sendo repetidos, não há solução: a hora da morte vai chegar e levar embora cada vez mais gente!

A LUZ FORTE DA ESPERANÇA: HILDON ANUNCIA 400 MIL VACINAS

Neste mar de más notícias diárias, de tantas vidas perdidas, de pessoas amadas agonizando nas UTIs em todo o Estado e no país inteiro, enfim, uma notícia que se assemelha a uma luz forte se um farol, no meio da escuridão. O prefeito Hildon Chaves anunciou (e deve ter sido o primeiro prefeito do país a fazê-lo), a compra de 400 mil doses da vacina Oxford/AstraZeneca. Já depositou o dinheiro. O custo médio da dose está na faixa de 10 dólares, com o dólar hoje, em média, valendo 5,50 reais, o investimento total seria de 22 milhões, com 4 milhões de emendas parlamentares e o restante dos cofres do município. Hildon afirma, convicto, que as vacinas chegam em 30 dias (ou seja, na primeira quinzena de abril) e, a partir da chegada, em no máximo mais 40 dias (entre o final de maio e início de junho), pelo menos 200 mil porto velhenses, representando praticamente 40 por cento da população da Capital, seriam imunizados. Todo o negócio já foi fechado e o dinheiro depositado, com o pagamento sendo feito apenas quando as vacinas forem entregues. Agora vamos torcer para que tudo dê certo e que nos próximos 70 dias, Porto Velho comece, mesmo que lentamente, a se livrar dessa praga.

MARCELO THOMÉ TEVE PARTICIPAÇÃO VITAL NO NEGÓCIO

Durante a solenidade, o prefeito Hildon Chaves destacou o importante papel de seu secretário de Desenvolvimento e presidente da Federação das Indústrias de Rondônia, Marcelo Thomé, no sucesso da negociação. Segundo Hildon, o jovem empresário, um dos nomes que tem se destacado no contexto da economia do Estado, com uma performance muito elogiada, tanto na sua ação em contatos internacionais como secretário municipal quanto à frente da mais importante entidade representativa do setor produtivo do Estado, participou ativamente das negociações, até que o martelo fosse batido. É sempre bom lembrar o grande projeto Amazônia + 21, promovido pelo município e com vários parceiros, que abriu novos rumos, com debates importantes sobre questões da Amazônia e que colocaram Porto Velho no mapa mundial. Thomé tem feito várias ações que merecem elogios. Sua participação vital para que as vacinas fossem compradas é apenas mais uma, entre tantas outras ações importantes.

O BOM SENSO PREVALECEU. AO MENOS ATÉ DAQUI A NOVE DIAS

Respeita-se, claro, mas discordar pode, não é? O pedido do Ministério Público estadual, tentando derrubar decretos do Governo e da Prefeitura que autorizaram a reabertura parcial do comércio e exigindo a implantação de um Lockdown, poderia ser uma espécie de pá de cal na economia, decretando uma quebradeira geral e um desemprego em massa. É daquelas ações que não trariam qualquer resultado prático, a não ser apavorar ainda mais a população, porque outros Lockdowns já se comprovaram inúteis, para reduzir drasticamente o número de contaminados e mortos pela Covid 19. Embora o MP não tenha oferecido outra alternativa viável, a não ser um fechamento total com resultados que se poderia imaginar, o bom senso prevaleceu, depois de uma longa audiência pública, realizada na 2ª Vara da Fazenda Pública e comandada pelo juiz Edenir Sebastião da Rosa. Pelo menos até o próximo dia 23 (uma terça-feira, daqui a nove dias), os decretos atuais serão mantidos. Dia 23, nova audiência será realizada. Vai depender muito da população, se vamos continuar tendo portas abertas nas empresas ou se, por falta de respeito e apoio, a Justiça terá que concordar com o MP.

HOSPITAIS AINDA LOTADOS E OS RESULTADOS DOS TESTES RÁPIDOS

A situação não está boa e não há, ao menos no curto prazo, perspectiva de que ela melhore. Os números da Covid nesta semana que se encerra foram terríveis, com milhares de novos contaminados e os óbitos batendo nos 3.300, até este sábado. Todas as UTIs continuam superlotadas, todos os leitos comuns também. A fila de espera por vaga nas UTIs já bate nos 50 por cento do total de leitos ocupados. Ou seja, temos 332 leitos e mais de 150 na fila de espera, todos correndo risco de morte. O sábado chegou com mais 701 contaminados e 33 mortos, finalizando um período em que o luto, como nunca, tomou conta dos lares de Porto Velho. Temos quase 165 mil casos de Covid registrados (ou seja, 9,5 da população rondoniense já tiveram o vírus) e temos, agora 146 mil recuperados. Há ainda 15.558 casos ativos e 808 pacientes internados. A doença se espalha, com suas novas cepas, ainda mais mortais. Na sexta-feira, em mutirões realizados pelo Governo do Estado, com testes rápidos em Porto Velho e Guajará Mirim, os resultados foram preocupantes, principalmente na Capital. Dos 881 testes realizados em Porto Velho, 221 deram positivo ou seja, quase 27 por cento. Em Guajará o resultado, ao menos, foi menos agressivo. De 387 testes, 21 atendidos tinham o vírus, 5,5 por cento dos casos.

MOSQUINI CONTA DRAMAS QUE VIVEU E TRATAMENTO PRECOCE

Coordenador da bancada federal, o deputado Lúcio Mosquini diz que será porta voz, junto aos prefeitos, para que se busque alternativas no combate ao vírus, como, especialmente, a estratégica de tratamento do doente quando ele sinta os primeiros sintomas, ou seja, o tratamento precoce, talvez com outro nome que não envolva questões que politizem a ação. O próprio Mosquini relatou questões pessoais, envolvendo a doença. No caso dele, que foi infectado, ao chegar no hospital de Brasília, foi dito a ele, pela médica que o atendeu, que se ele não tivesse procurado atendimento imediato e sido medicado, corria o risco de ser entubado e ir para a UTI. Salvou-o o tratamento precoce e rápido, desde que sentiu os primeiros sintomas. Ele relatou, com imensa tristeza, que seu sogro faleceu, porque não acreditou neste tipo de tratamento, ficou tomando chás e, lamentavelmente, foi levado pelo vírus.

GONÇALVES NÃO QUER, MAS O MDB NÃO DESISTIU DELE

O jovem prefeito de Jaru, João Gonçalves Filho, pode ter até divulgado um vídeo afirmando que não está nos seus planos disputar o Governo de Rondônia e aparentemente desistido da ideia. Mas o MDB não desistiu dele. O comando regional do partido – leia-se Lúcio Mosquini, presidente regional e Confúcio Moura, ainda um dos nomes mais fortes da sigla – vão continuar insistindo para que Gonçalves Filho repense no assunto. O jovem político, um sucesso na administração da sua cidade, reeleito com mais de 70 por cento dos votos, seria um nome fortíssimo. Além, de jogo de cintura, diálogo e bom senso, ele é considerado um administrador de primeira, dizem os que o admiram. Uma prova: quando ele assumiu, Jaru tinha a 12ª arrecadação do Estado. Hoje, crescendo como nunca, tem a quinta. O problema não é só convencer o filho, mas também o pai. João Gonçalves quer ver o filho como seu sucessor, no comando da rede de supermercados da família, líder do setor no Estado.    

VIOLÊNCIA E BRUTALIDADE: QUATRO ASSASSINATOS NUM DIA

A violência está a solta em Porto Velho, no meio da pandemia. Depois de alguma calmaria, a explosão de crimes, principalmente na zona leste, praticada por membros de facções, deixou claro que a situação tende a piorar. Ou as autoridades combatem agora e acabam com essas organizações que decidem sobre a vida e a morte das pessoas ou elas vão acabar, como nas favelas cariocas, dominando tudo. No Orgulho do Madeira, já estão prestes a fazer isso. Nesta semana, somente em um dia e apenas na Capital, foram quatro assassinatos, quatro execuções. Três dos matadores foram presos, mas o número de assassinos à solta é impressionante. A Polícia tem agido dentro das suas possibilidades e nos limites da lei, que se mantém como protetora de bandidos, no geral, combate a essas organizações, criadas dentro dos presídios e que mandam no crime aqui fora. Dos mortos nessa semana, todos fuzilados, covardemente, três eram jovens, dois deles com apenas 17 anos. Quando isso vai acabar?

CABRAL, CUNHA E MAIS 150 QUEREM TRATAMENTO IGUALITÁRIO

A porteira foi arrombada! Condenado a 400 anos de cadeia, o ex governador do Rio, Sérgio Cabral, vai recorrer ao STF, colocando sob suspeita suas condenações pela Lava Jato. Se Lula pode, porque ele não? O mesmo já estão fazendo os advogados do ex presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, que cumpre 15 anos prisão apenas em uma condenação de segundo grau. No total, já são mais de 15 condenados, entre políticos, assessores, petistas de todos os tamanhos também envolvidos em rolos e empresários, que estão ou já entrando ou se preparando para entrar na Justiça, pedindo que tenham o mesmo tratamento que Lula. A decisão do ministro, indicado pelo PT, Edson Fachin, protegendo um amigo, representou mais uma ruptura jurídica que pode causar sérios danos ao país. E até agora só apareceu a ponta do iceberg. O que pode acontecer agora é que as autoridades (Moro e os procuradores), sejam tratados como criminosos, inclusive tendo que pagar indenizações milionárias aos condenados. Ou seja, estamos caminhando para a máxima: no brasil, o crime compensa, mais que tudo!

AIRES MOTA É O PRESIDENTE REGIONAL DO PARTIDO VERDE

Erra-se. Todos erram. Por aqui, essa máxima não é diferente. Por um engano, a coluna divulgou que o deputado Luizinho Goebel é o presidente regional do Partido Verde, o PV. Maior liderança política do partido, Luizinho realmente comandou a sigla durante longo tempo. Assumiu recentemente a liderança do governo na Assembleia repetindo, aliás, a função que chegou a exercer durante o governo Confúcio Moura. Mas o verdadeiro presidente do PV é Aires Mota, que comanda a sigla em Rondônia desde março de 2018, ou seja, há três anos. Ele também é membro do Diretório e da Executiva nacional do partido. Concluindo o curso de Direito, Aires trabalha na Assembleia Legislativa, sendo ainda coordenador das atividades do Partido Verde para toda a região norte. Afora isso, o presidente regional também é o coordenador da Fundação Verde Herbert Daniel no Estado. Embora menos conhecido, porque não está na linha de frente como candidato, em campanhas políticas, Aires é um dos nomes mais quentes do PV rondoniense, que, aliás, prepara uma aliança com o governador Marcos Rocha para 2022.

PERGUNTINHA

Você acha que o ex- presidente Lula sairá mesmo ileso de todas as acusações e que o ex juiz Sérgio Moro é quem vai acabar sendo tratado como criminoso?

Por Sergio Pires

Faça seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: