Mais desrespeito são flagrados na 4ª noite da “Operação Emergência” em Porto Velho

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança, diz que maior o problema continua sendo nos finais de semana.

A Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), sob a coordenação do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), iniciou na noite desta terça-feira (23) a 4ª a “Operação Emergência” que tem como objetivo verificar o cumprimento do que determina o decreto, que institui o Sistema de Distanciamento Social Controlado para fins de prevenção e de enfrentamento à pandemia do coronavírus. A ação contínua, começa a surtir efeitos positivos durante a semana, com baixo índice de reincidência.

De acordo com o coronel BM Gilvander Gregório de Lima, diz que grande parte dos comerciantes estão começando a tomar consciência da importância de atender as normas estabelecidas em decreto.

“O nosso maior problema continua sendo nos finais de semana e locais destinados a prática de esportes como o Skate Park e Espaço Alternativo, onde a reincidência é altíssima”, esclareceu o comandante do Corpo de Bombeiros, diz coronel Gregório de Lima.

Os estabelecimentos têm cumprido o ato normativo observando o horário de fechamento diariamente às 21 horas. Para isso, os fiscais constataram que esses estabelecimentos fecham as portas às 20h30 para que o atendimento ao público seja encerrado no horário determinado pelo decreto. Em alguns a entrada é limitada a uma pessoa por família no intuito de evitar aglomeração.

Em relação aos bares, os proprietários insistem em tentar burlar a lei. As equipes de fiscalização encontraram a maioria dos estabelecimentos fechados nesta etapa da “Operação Emergência”. Dos 69 locais visitados, 55 estavam totalmente fechados, o que corresponde a quase 92%.

Pub subterrâneo, flagrado no mês passado com festa particular, agora aguarda o fim da pandemia para inaugurar

Em uma das ações equipes flagraram no mês passado, um bar subterrâneo localizado no bairro Flodoaldo Pontes Pinto, onde mesmo estando em obras, um grupo de pessoas estavam em uma festa particular. O proprietário, ainda afirmou para a equipe de fiscalização que aguarda o fim da pandemia para inaugurar o local.

“Temos a consciência de que é um ambiente fechado e qualquer aglomeração aqui, durante a pandemia, pode colocar em risco a saúde dos clientes”, enfatizou o empresário.

A gente sabe que ainda existem locais que tentam enganar a fiscalização, fechando as portas pouco antes das equipes chegarem. Mas nesses casos temos atuado com equipes de inteligência do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, atendendo denúncias feitas pela população, para conseguir fechar esses locais que desrespeitam a lei. No início de março 30% das denúncias eram falsas, mas agora esse índice caiu bastante devido a eficiência da fiscalização”, ressaltou o comandante do Corpo de Bombeiros.

Fonte: Sedesc

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Faça seu Comentário