Coronel da PM do Pará oferece favores para líder de facção do Rio para não sofrer atentados na corporação (veja o vídeo)

O Pará vive uma guerra entre criminosos e policiais que trabalham nas cadeias estaduais

O tenente-coronel da Polícia Militar do Pará e comandante do Comando de Operações Penitenciárias (Cope), Vicente Neto, pediu a “Léo 41”, um líder de facção criminosa do Rio de Janeiro, para que se encerrem uma série de atentados contra policiais no estado.

Por telefone, Vicente Neto falou com o líder da facção de dentro de uma cela do Centro de Recuperação Penitenciária, onde estavam integrantes da quadrilha.

O Pará vive uma guerra entre criminosos e policiais que trabalham nas cadeias estaduais. Os agentes são chamados de ‘policiais penais’, uma categoria que passou a existir no estado em 2019. Em apenas quatro meses, a classe sofreu, pelo menos, sete atentados e o assassinato de cinco policiais penais.

Em áudio, Vicente Neto negocia com o criminoso:

“A gente está providenciando os colchões e a questão do banho de sol, porque isso é garantia que a gente vai conversar com o diretor”, diz o policial no telefonema.

Apesar de ter conseguido um “favor” da PM, “Léo 41” ainda reclama que os presos costumam ser agredidos dentro do sistema prisional paraense e o tenente-coronel se explica ao bandido, dizendo que um diretor já foi exonerado e faz promessa ao chefe da quadrilha.

“Papo de homem aqui. Se chegar no nosso conhecimento, de imediato, vamos tomar as medidas cabíveis para com o servidor. Não tem espancamento. Eu não preciso estar entrando na cela, torturando”, justifica.

Fonte: JCO

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Faça seu Comentário