A Luz de Deus e as Trevas

A Luz de Deus e as Trevas

Em meio a pandemia, a Luz de Deus é a esperança que nos resta.

Há quem diga que, para entender o bem é preciso aprofundar-se na compreensão do mal. Ou seja, para conhecer Deus e saber como encontra-lo é preciso conhecer e respeitar satanás, pois é conhecendo Lúcifer e seus atributos que realmente conseguiremos conhecer a existência de Deus e o significado do bem em sua plenitude – pois um é o oposto do outro.

Está cada vez mais difícil para o cidadão brasileiro acordar sem uma notícia de que um Ministro da suprema corte decidiu mais uma vez agredir o bom senso com decisões absurdas. Desta vez, foi a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, ela deu 10 dias para Bolsonaro explicar porque está incomodado com “calúnias” de jornalistas.

É isso mesmo que você leu! A bizarrice desta vez ficou por conta da Ministra Rosa Weber (indicada por Dilma). Pouco mais de uma semana após revogar os decretos do presidente da república que facilitava um pouco mais a vida do cidadão que gostaria de possuir legalmente uma arma de fogo, a Ministra resolveu sapatear de vez em cima do presidente e questionar porquê o presidente estar incomodado com as calúnias e ataques constantes dos profissionais da grande mídia “jornalistas”.

E, ainda vem uma tal de ABI (Associação Brasileira de Imprensa) e diz que Bolsonaro está passando dos limites ao pedir reparações legais aos jornalistas militantes da esquerda que o caluniam e difamam dia e noite. Eles dizem que a “Liberdade de Expressão” está em risco.

Certamente, nesse ponto, ABI tem razão: num país que se diz democrático, a “Liberdade de Expressão” certamente, está em risco pela maléfica ação de pessoas que se julgam donos da verdade e lamentavelmente o grande culpado é a própria classe jornalística por falta de compromisso com a verdade, atributo fundamental dos profissionais da área, principalmente aqueles que não tem responsabilidades em divulgar os fatos pautado por interesses individuais.

Jornalismo não pode e não deve ser usado para outro fim que não seja a do interesse público. Sempre que uma denúncia é publicada, alguém ganha e alguém perde. Um político cai e outro sobe. Um grupo é prejudicado e outro é beneficiado. São consequências naturais da divulgação dos fatos. Em nosso trabalho cotidiano, essas circunstâncias são tão naturais que nos isentamos de discuti-las. Mas, certamente, existem pessoas não diretamente envolvidas em nosso trabalho capazes de não entender completamente a natureza do bom jornalismo.

A Corte Suprema deste país tem se olhado no espelho benevolente da mídia militante e certamente, gosta do que assiste e ouve sem questionar, além de tomar decisões maléficas baseada naquilo que vem sendo erroneamente divulgado. Entretanto, precisamos reagir contra tudo e toda possibilidade de extinção de uma espécie tão importante como essa.

O Código de ética é um acordo que estabelece os direitos e deveres de uma categoria profissional. Sendo assim, de acordo com o artigo 9º do Código de Ética do Jornalista, é dever do profissional:

“Combater o autoritarismo, se opor ao arbítrio e à opressão, bem como defender os princípios expressos na Declaração Universal dos Direitos do Homem a liberdade de expressão.

Noticiar e denunciar todas as formas de corrupção, em especial quando exercida com o objetivo de controlar a informação; respeitar o direito à privacidade do cidadão; prestigiar as entidades representativas e democráticas do nosso país.

Além disso, o código também deixa claro que o compromisso fundamental do jornalista é com a verdade dos fatos e não deve ser pautado por interesses individuais. Portanto, o papel do jornalista é levar informação apurada de interesse público para a população”.

Infelizmente, o mal que impera no palácio da injustiça tende ingressar no perigoso caminho da autodestruição. Temos que desperta para a necessidade de reagirmos contra esse “mal” que tenta destruir a paz universal. Vejo que, a única forma de desviarmos desse caminho destrutivo em que grande parte da humanidade está trilhando é a conscientização – saber verdadeiramente a quem estamos seguindo – qual Deus está nos guiando.  

Grande parte sociedade, tem dificuldades em acreditar na hipótese da existência de Deus e muitos até se perguntam: onde ele está? Você pode achar que Deus não existe, mas ele existe e está sempre presente. Assim como satanás. Ele também existe e está presente, agindo e manipulando as pessoas com sua maldade, através do pensamento e ações. Apesar disso, mesmo não acreditando na sua personificação, as pessoas tem medo dele, no entanto, como diz um tio meu, dormem, almoça e janta com ele.

Assim como Deus nosso pai. Vale ressaltar que, o mal, entendido como a manifestação humana da ignorância, existe desde os primórdios da nossa existência. Usa máscaras e formas das mais variadas, utiliza-se de situações que impressionam e chocam pela repercussão de seus atos. No entanto, o mal não é um símbolo e sim uma energia que usas seus diversos graus atingindo as pessoas. Contudo, vale lembrar que, o mal por se só, se destrói

Nesse sentido, cabe perguntar aos cidadãos de bem deste país: porque os ministros do STF tentam cotidianamente destruí a reputação da mais alta corte deste país? Não entendo porque 11 pessoas não eleitos democraticamente pelo povo invocam para si o direito de revogar a vontade de milhões de brasileiros. Alguém pode me responder?

Vivemos uma perseguição política já mais vista na história desse país, onde já se viu, manter pessoas presas ou com tornozeleira eletrônica pelo simples fato de criticar os ministros do “Supremo”. Aquela velha história: para os poderosos que se julgam os deuses poderosos do Brasil, o que importa não é o que você diz, mas sim de que lado você está.

Em meio às trevas, a Luz de Deus é a esperança que nos resta. “Que Deus nos abençoe e nos guarneça de todo mal”…

Por Edilson Neves*

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Faça seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: