“Não temos medo de CPI”, diz Bolsonaro

“Não temos medo de CPI”, diz Bolsonaro

Mas espero que essa ação não prejudique o nosso trabalho, alertou

No primeiro evento com empresários, do programa “Diálogos pelo Brasil”, criado por Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), nesta terça-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro, por videoconferência, comentou sobre o plano nacional de imunização e a agenda de reformas.

Entre os presentes, estavam dez ministros do Governo Bolsonaro, como Paulo Guedes, da Economia, e mais 40 empresários, entre eles, Abílio Diniz (Península), André Bier Gerdau Johannpeter (Gerdau), André Esteves (BTG Pactual), Luiz Carlos Trabuco (Bradesco) e Wesley Batista Filho (JBS).

Um dos pontos discutidos foi a vacinação contra a Covid-19, pandemia que já assola a economia mundial há mais de um ano. Os empresários acreditam que a estabilidade econômica e os novos investimentos no setor só podem ser colocados em prática com a imunização da população. Além disso, as reformas estruturais, com destaque para a reforma administrativa que a CCJ pretende colocar em pauta, também foram debatidas no encontro.

“O que precisamos é de um ambiente seguro para isso (para a economia girar), razão pela qual apoiamos as reformas estruturais. A Reforma Administrativa é a que está mais adiantada e merece o esforço de todos para a sua aprovação”, disse Skaf.

Bolsonaro concordou com os empresários e reafirmou que a vacinação é “fundamental” para que o país volte a crescer com mais velocidade. Desde o início da pandemia do coronavírus no país, em março de 2020, o presidente “levanta” a bandeira de que saúde e economia “caminham” lado a lado.

“O Brasil não parou. Fizemos muita coisa no ano passado, desde a gestão Pazuello, e as vacinas são uma realidade hoje. Não temos medo de CPI, mas espero que essa ação não prejudique o nosso trabalho”, explicou.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também esteve presente e garantiu aos empresários que prevê “um horizonte melhor” de vacinação, entre maio e junho. Mas, alertou que é preciso evitar aglomerações no transporte público, uma das principais vias de contágio da doença, na atualidade.

Até o momento, 12,83% da população brasileira já foi vacinada com a primeira dose do imunizante contra a Covid-19. Já a segunda dose, foi aplicada em 5,06%.

Fonte: JCO

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Faça seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: