Coronavac: Falta do imunizante compromete cronograma de vacinação em RO

Coronavac: Falta do imunizante compromete cronograma de vacinação em RO

Ao menos 13 municípios suspendem aplicação da 2ª dose da vacina no estado.

Treze municípios de Rondônia suspenderam a aplicação da 2ª dose da vacina CoronaVac. O motivo, em todos os municípios, é a falta do imunizante.

entre eles, está a capital Porto Velho;

e os municípios do interior do estado:

  • Ariquemes,
  • Candeias do Jamari,
  • Jaru,
  • Vilhena,
  • Alvorada do Oeste,
  • Cacoal,
  • Rolim de Moura,
  • Espigão do Oeste,
  • Colorado do Oeste,
  • Cerejeiras,
  • Cabixi,
  • Pimenta Beuno.

Nos municípios de Colorado do Oeste, Cerejeiras e Cabixi, a informação foi confirmada pela III Delegacia Regional de Saúde, responsável por fazer o armazenamento, contagem e distribuição das doses na região.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), cerca de 6 mil pessoas aguardam a segunda dose da CoronaVac em Porto Velho. A prefeitura também informou que não há previsão e chegada de novos doses, mas, diz que aguarda “o envio pelo Ministério da Saúde que informou que as doses podem chegar a qualquer momento”.

Aplicação em atraso compromete cronograma de vacinação

A Prefeitura de Porto Velho justificou que não guardou vacinas para aplicação da segunda dose, pois seguiu a recomendação do Ministério da Saúde. Entretanto na segunda-feira (26) o ministro, Marcelo Queiroga, voltou atrás e agora recomenda estocar vacina para garantir a segunda dose da CoronaVac.

“Com essa determinação, Porto Velho não armazenou as vacinas recebidas nos 8°, 9° e 10° lotes, totalizando cerca de 17 mil doses.”, comunicou a prefeitura.

Em Ariquemes, a Secretaria Municipal de Saúde diz que já entrou em contato com o Ministério da Saúde, que por sua vez garantiu o envio de mais doses da vacina CoronaVac no início da próxima semana.

A prefeitura de Vilhena disse que a previsão atualizada do Instituto Butantan é que novas doses da Coronavac fiquem prontas no laboratório somente na quinta-feira (6). Mas, como a logística de transporte é longa, as doses só devem chegar em Vilhena na próxima semana.

Em Rolim de Moura, a secretária Municipal de Saúde, Simone Paes e a enfermeira, Janaína Teodósio Travassos Loose, explicaram que o município não guardou vacinas para aplicação da segunda dose, pois seguiu a recomendação do Ministério da Saúde. Agora, a orientação é tomar a segunda dose assim que uma nova remessa chegar.

De acordo com os dados da divisão de epidemiologia, faltam 1.444 doses, para que seja aplicada a 2.º dose em idosos de 65 a 69 anos da Coronavac no município.

Durante live nas redes sociais, o prefeito de Cacoal disse que não tem doses da CoronaVac e por isso, a segunda dose da vacina não está sendo aplicada.

O Ministério da Saúde indicou que uma nova remessa de vacinas podem chegar aos municípios somente daqui a 10 dias. A data de anúncio foi no dia 27 abril e dessa forma, as doses devem chegar em Rondônia na próxima sexta-feira (7).

O intervalo para a aplicação da segunda dose da CoronaVac é de 14 a 28 dias. Segundo o Ministério da Saúde, a suspensão não invalida o efeito da vacina, e a orientação é tomar a segunda dose assim que uma nova remessa chegar.

Em nota técnica divulgada na terça-feira (27), o Ministério da Saúde orientou a população a tomar a segunda dose da vacina contra a Covid-19 mesmo que a aplicação ocorra depois do prazo recomendado pelos laboratórios.

Segundo o documento, é “improvável que intervalos aumentados entre as doses das vacinas ocasionem a redução na eficácia do esquema vacinal”.

No entanto, a pasta ressalta que os atrasos devem ser evitados, já que “não se pode assegurar a devida proteção do indivíduo até a administração da segunda dose”.

Fonte: G1/RO

Faça seu Comentário