Deputado quer o impeachment do governador do Rio por “crime de responsabilidade” em operação

Deputado quer o impeachment do governador do Rio por “crime de responsabilidade” em operação

O parlamentar acusa o gestor estadual por crime de responsabilidade

O deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) anunciou que vai pedir, nesta segunda-feira (10), o impeachment do governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC). O parlamentar acusa o gestor estadual por crime de responsabilidade, por Castro, supostamente, ter descumprido decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, que proibiu incursões policiais nas favelas cariocas sem autorização da Corte. Operação da polícia na favela do Jacarezinho, na quinta-feira (6), resultou na morte de 27 bandidos, afirma a polícia.

O parlamentar alega que o crime do governador foi agravado porque ele permitiu que a presença dos policiais na comunidade se estendesse por quase 10 horas ininterruptas.

“Não se pode perder de vista que, além de um policial morto, foram contabilizadas outras 24 mortes; sendo que, dos mandados de prisão, tratados como justificativa da operação, apenas três foram cumpridos e outros três procurados foram mortos. Ou seja: foram mais de oito mortes para cada mandado de prisão cumprido, números que atestam a responsabilidade de quem manteve a operação em curso por quase 10 (dez) horas ininterruptas”, diz trecho do documento, baseado no Artigo 4º da Constituição Federal, que será protocolada na Assembleia Legislativa, hoje.

Além do impeachment, Miranda quer que o governador tenha os seus direitos políticos suspensos por cinco anos.

Apesar de divergências políticas durante o enfrentamento da pandemia da Covid-19, o posicionamento de Cláudio Castro foi apoiado e defendido pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes (Democratas) que, em entrevista à CNN, reclamou da decisão de Edson Fachin, restringindo a entrada de policiais nas comunidades.

“Faço, aqui, um apelo ao Supremo Tribunal Federal, ao Poder Judiciário… Se há alguma intervenção a ser feita, não é ‘tirando o bode da sala’. Se alguém cometeu algum equívoco, que se apure e que se puna as forças policiais…. ‘Aqui, não entra mais Estado’. Que é isso??? Que decisão é essa? Desculpa. Não faz sentido!!”, afirmou, fazendo coro ao governador.

Mesmo diante de fatos tão lógicos, Miranda planeja protocolar o pedido hoje.

Fonte: UOL

Faça seu Comentário