Prefeita de Guajará diz que queda de energia em rede de frio das vacinas contra covid não foram perdidas

Prefeita de Guajará diz que queda de energia em rede de frio das vacinas contra covid não foram perdidas

Local de armazenamento das vacinas ficou por cerca de cinco horas sem energia. A perícia foi acionada e os fatos foram registrados e a ocorrência encaminhada à Delegacia Regional.

Rede de frios do Nuvepa em Guajará-Mirim, RO — Foto: Reprodução/Rede Amazônica
Rede de frios do Nuvepa em Guajará-Mirim, RO

O prédio do Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (Nuvepa) em Guajará-Mirim (RO) ficou sem energia elétrica e 4.653 doses de vacinas contra a Covid-19, que estavam guardadas na rede de frios, ficaram armazenadas fora da temperatura ideal.

Conforme o boletim de ocorrência, as câmaras marcavam 22°C, sendo que as vacinas da Oxford/AstraZeneca e Coronavac/Butantan precisam ser armazenadas de 2ºC a 8°C. Por cerca de cinco horas, o local ficou sem energia.

Ao todo, o local abriga, além de soros e insulinas, 4.200 doses de CoronaVac e AstraZeneca, e mais 453 doses que seriam destinadas a Casa do Índio (Casai).

A enfermeira chefe e responsável pelas vacinas do município, Afria Patrícia, relatou aos policiais militares que recebeu a ligação do vigilante do prédio por volta das 15h30, informando que não tinha energia no local e que nas câmaras frias apitava um alarme sonoro.

Quando chegou no local, a enfermeira chefe contatou um eletricista. Quando o profissional verificou a instalação elétrica, percebeu que alguém tinha puxado a fiação principal do prédio o que acarretou no desligamento do disjuntor principal do prédio. Quando o eletricista ligou a chave principal, a energia voltou.

A perícia foi acionada e os fatos foram registrados e a ocorrência encaminhada à Delegacia Regional.

Raissa Bento (MDB), prefeita de Guajará-Mirim, disse durante vídeo divulgado nas redes sociais, que o fato da falta de energia elétrica está sendo investigado e que a prefeitura, em conjunto com a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), decidiu suspender a vacinação no município.

“Realmente aconteceu o fato referente a energia da Nuvepa, onde fica a rede de frios. Esse caso tá sendo apurado e tudo indica que foi um ato criminoso e já está sendo apurado porque envolve outras situações envolvendo servidor que faltou serviço. Nós queremos tranquilizar a população, porque a prefeitura em conjunto com a Agevisa decidiu suspender a vacinação por precaução e isso não quer dizer, de forma alguma, que nós perdemos as vacinas”, disse.

Além disso, a prefeita também explicou que aguarda um parecer técnico da Fiocruz e do Instituto Butantan.

“Nós já entramos em contato com a Fiocruz e com o Instituto Butantan justamente pra gente receber um parecer técnico, mas isso de forma alguma quer dizer que a gente perdeu as vacinas”, explicou.

Fonte: G1/RO

Faça seu Comentário