Câncer matou 18 vezes mais do que Covid em 2020

Câncer matou 18 vezes mais do que Covid em 2020

O Brasil é um dos países que mais sofre com a precariedade no tratamento de pacientes com câncer

No último fim de semana, duas personalidades públicas morreram devido ao câncer: a atriz Eva Wilma e o prefeito de São Paulo, Bruno Covas. No Brasil, a doença mata uma pessoa a cada duas horas e meia. Em 2020, foram 7,6 milhões brasileiros mortos pela doença. Do total, metade está na faixa etária dos 25 e 50 anos. Enquanto a Covid-19 matou 439 mil brasileiros desde o início da pandemia, o câncer matou quase 18 vezes mais em apenas um ano.

Um bom apoio clínico no tratamento do câncer requer uma competente equipe multiprofissional, que cerca os pacientes de cuidados levando em conta critérios objetivos de qualidade. O Brasil é um dos países que mais sofre com a precariedade no tratamento de pacientes com câncer.

Para combater a doença no país, existe a Frente Parlamentar Mista da Luta Contra o Câncer, criada no Congresso Nacional e que conta com uma deputada de Rondônia. A deputada federal Silvia Cristina luta pelas causas de pacientes com câncer desde quando era professora em Ji-Paraná. Ela mesma foi uma vítima de câncer, porém, conseguiu a cura, após anos de luta e tratamento.

Após ser acometida por câncer de mama, Silvia passou a trabalhar na prevenção e tratamento da doença na região central e no estado de Rondônia. A deputada também atuou como coordenadora voluntária do Hospital de Câncer de Barretos (HCB) por 12 anos.

Silvia tem na bandeira da saúde pública e do câncer seus ideais políticos na representação do povo de Rondônia na Câmara dos Deputados.

“O objetivo é buscar de forma suprapartidária, discutir, avaliar e propor medidas que proporcionem um efetivo combate a esse mal que assola o nosso país, integrando o Poder Legislativo aos demais poderes, reunindo entidades representativas e principalmente setores de pesquisa e desenvolvimento científico que permitam a busca de tratamentos e cura para essa grave doença”, informou a deputada.

Centro de Prevenção de Câncer de Rondônia

O Centro de Prevenção de Câncer de Rondônia, que tem sede em Ji-Paraná, é fruto de uma emenda parlamentar de R$ 10 milhões disponibilizada pela deputada federal que, sabendo da dificuldade que o rondoniense tem para conseguir diagnosticar a doença e fazer seus exames preventivos, lutou para que a construção se tornasse realidade.

“Será uma obra revolucionária, sendo o primeiro centro de prevenção de Rondônia que terá todos os tipos de exames à disposição dos pacientes”, disse.

Já na capital, Porto Velho, foi disponibilizada uma verba de mais de R$ 16 milhões para a construção do Centro de Reabilitação, que será uma das obras mais importantes do estado de Rondônia. A obra está sendo construída pela mantenedora, a Fundação Pio XII, e terá sede nas dependências do Hospital de Amor de Porto Velho.

A unidade na capital não irá atender apenas pacientes com câncer, mas todos os pacientes com necessidades especiais físicas, entre estas, pessoas que foram acometidas por acidentes e tiveram seus membros amputados ou que tiveram lesão medular, pacientes cognitivos com autismo, síndrome de Down e dificuldades auditivas e visuais. (A.I.)

Faça seu Comentário