Carreata pede “paz no campo” contra invasões na região da BR-429

Carreata pede “paz no campo” contra invasões na região da BR-429

A carreata começou às 8h e foi encerrada às 13h30 e percorreu de São Domingos a São Miguel do Guaporé

Foi realizada, nesta sexta-feira (21), na BR-429, uma carreata visando chamar atenção das autoridades estaduais e federais para resolver a situação das invasões às propriedades rurais na região, que são promovidas por autodenominados “movimentos sociais” que, nas ações, utilizam práticas que, segundo os moradores da região, podem ser consideradas terroristas, pois invadem, destroem, matam animais e até agridem os moradores.

“Estamos vivendo inseguros, pois nossas propriedades, assim como todas as demais que já foram invadidas na região, são superprodutivas e, se acontece uma invasão, esses grupos nos trará um enorme prejuízo”, disse Misael Alves de Souza, representantes do Sindicato dos produtores Rurais de Costa Marques.

Trajeto

Edson Afonso, pecuarista e integrante dos três sindicatos de produtores rurais

A “Carreata pela Paz no Campo” foi iniciada em São Domingos, distrito de Costa Marques, passou pelos municípios de São Francisco e Seringueiras e foi encerrada em São Miguel do Guaporé.

“O agronegócio é responsável por mais de 50% do nosso PIB estadual e boa parte disso advém de nossas produções aqui da região do Vale do Guaporé. Se não temos paz e segurança, isso nos desestimula. Nosso estado precisa nos proteger dessas ações criminosas que ocorrem aqui na região”, enfatizou Edson Afonso, pecuarista e integrante dos três sindicatos de produtores rurais que existem ao longo da BR-429.

A careta contou com a participação de pecuaristas, pequenos e grandes agricultores, famílias, empresários e autoridades políticas.

“Para além desse problema, nossa carreata também visou dar ênfase à luta de muitos de nós que ainda não contamos com a titularização de nossas propriedades, o que nos impede de avançar economicamente, inclusive de ter acesso ao crédito para poder fazer mais e mais investimentos, e produzir mais e gerar mais renda e riqueza tanto à região quanto ao estado como todo”, pontuou Edson Afonso.

Comissão de Segurança já discute o tema

Ismael Crispin, deputado estadual e presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa

Ismael Crispin, deputado estadual e presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, disse que o tema já vinha sendo debatido na Comissão e que agora o assunto ganha mais peso ainda com a carreata.

“O que vamos buscar é um meio de garantir que a invasão não aconteça porque, a partir do momento em que ela acontece, o clima de tensão se estabelece. Nossos produtores não podem mais viver essa situação aqui na região e no estado como um todo, e vamos lutar com mais afinco para isso. O estado precisa de mais policiais, de mais recursos no orçamento, de mais equipamentos para que essa salvaguarda ocorra de forma eficiente. Essa é uma situação que, em não havendo efetiva ação proativa doe estado, pode descambar para algo pior, e é o que não queremos”, pontuou o deputado.

Trajeto final

Antes de fazer o encerramento da carreata no pátio do posto de combustíveis que fica na saída de São Miguel para Seringueiras, os manifestantes deram uma volta pelo centro da cidade e passaram em frente ao 11° Quartel da Polícia Militar e, na sequência, em frente à Delegacia de Polícia Civil. A carreata começou às 8h e foi encerrada às 13h30.

Por Fernando Pereira

Faça seu Comentário