EUA e OTAN estão ‘bombeando’ o Exército da Ucrânia, diz MRE da Rússia

EUA e OTAN estão ‘bombeando’ o Exército da Ucrânia, diz MRE da Rússia

“São estes exercícios, que já terminaram, que Kiev, com o apoio dos países ocidentais, tentou fazer passar como um aumento da tensão”

Os países ocidentais estão ajudando a aumentar as capacidades militares da Ucrânia ao mesmo tempo que denunciam os exercícios militares anuais da Rússia dentro de suas fronteiras, segundo Sergei Lavrov.

Os EUA e seus aliados da OTAN estão fortalecendo o Exército ucraniano com apoio militar, financeiro e material, declarou na segunda-feira (24) Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia.

“Gostaria de chamar a atenção para o fato de que os EUA e seus aliados da OTAN estão aumentando a atividade militar no território da Ucrânia e no mar Negro. Estão ‘bombeando’ o Exército ucraniano com armas, fornecendo-lhe apoio financeiro e material e treinando as Forças Armadas da Ucrânia em métodos de guerra da OTAN”, disse o diplomata russo em entrevista ao jornal Argumenty i Fakty.

De acordo com ele, a Ucrânia planeja realizar só em 2021 sete exercícios militares conjuntos com países da OTAN em seu território, particularmente o Defender Europe 2021, o maior da Aliança Atlântica.

“A Rússia é obrigada a levar tudo isso em conta em seu planejamento militar”, comentou o ministro, observando que a militarização da Ucrânia não contribui para a solução do conflito em Donbass, onde militares ucranianos combatem forças das autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk.

Lavrov também sublinhou que os exercícios planejados das Forças Armadas da Rússia são realizados todos os anos em território russo e sempre a uma distância considerável de Donbass.

© REUTERS / Ministério das Relações Exteriores da Rússia / Handout

“São estes exercícios, que já terminaram, que Kiev, com o apoio dos países ocidentais, tentou fazer passar como um aumento da tensão”, disse o alto responsável russo.

O conflito em Donbass é discutido, inclusive, durante as reuniões em Minsk, Belarus, do grupo de contato, que desde setembro de 2014 já adotou três documentos que regulamentam os passos para terminar o conflito. No entanto, mesmo após os acordos de cessar-fogo, as hostilidades têm continuado.

Fonte: Sputnik

Faça seu Comentário