Renan Calheiros cai na própria armadilha

Renan Calheiros cai na própria armadilha

O governador terá que explicar a molecagem com dinheiro público, disse o Atleta

Este senhor não cansa de passar vergonha!

Renan Calheiros cobrou o governador do Rio de Janeiro, sobre algo que parece ser sua própria especialidade, o que chamou de “molecagem com dinheiro público”.

Indignado com a “motociata” realizada pelo presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro, neste domingo (23), o senador, relator da malfadada CPI da Pandemia, escreveu um tuíte cobrando explicações ao governador fluminense, Cláudio Castro, dando mesmo a entender que deve solicitar a convocação dele ao colegiado.

“A prioridade é barrar a pandemia, mas Bolsonaro rema para trás. A procissão no Rio em louvor ao vírus é declaração de guerra ao SUS. O governador terá que explicar a molecagem com dinheiro público. Pazuello pisoteia disciplina e hierarquia e ri a céu aberto. A CPI terá muito assunto.”, escreveu o parlamentar alagoano.

Imagem em destaque

Pois é, Renan parece estar chegando onde todos querem, afinal: O momento em que as portas da CPI se abrem à convocação de governadores, prefeitos e demais agentes públicos, para que se expliquem sobre, olha só, “a molecagem com o dinheiro público”… … verbas federais bilionárias destinadas à pandemia, e que ninguém sabe onde foram parar.

E já que está mesmo autorizado, Renan Calheiros poderia chamar, após Cláudio Castro, o governador de Alagoas, Renan Filho. E fica ainda uma dica para quando a CPI, enfim, terminar.

Que o próprio Renan Calheiros tome a frente, abra mão do foro privilegiado e se explique sobre os 17 inquéritos que responde no Supremo Tribunal Federal.

Ao que parece, o que não falta ali, é molecagem!

Foto de Uélson Kalinovski

Por Uélson Kalinovski*

  • Uélson é Jornalista desde 1996, com especialização em Ciência Política e mais de uma década de experiência na cobertura dos temas nacionais, em Brasília.
    Executivo da produtora UK Studios, em Jundiaí/SP.
    ukalinovski@gmail.com / Uelson Kalinovski (Facebook e YouTube) / @uelsonkalinovsk (Twitter)

Faça seu Comentário