Renan não esconde mais sua ‘adesão’ ao lulopetismo

Renan não esconde mais sua ‘adesão’ ao lulopetismo

Em 2022, não teremos dois extremos, mas um só, Bolsonaro”, disse Calheiros

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros, já não tenta sequer disfarçar sua campanha a favor de Lula e contra Bolsonaro. Sua posição como relator já vinha sendo questionada devido aos inúmeros processos por corrupção de que é alvo no Supremo Tribunal Federal, e pelo fato de ser opositor declarado do presidente Jair Bolsonaro.

Porém, agora Renan também não esconde mais o papel que assumiu, como líder “lulista” no Senado.

Nos últimos dias, Renan tem feito declarações em favor do ex-presidiário Lula, além de intensificar suas críticas ao presidente Bolsonaro.

“Em 2022, não teremos dois extremos, mas um só, Bolsonaro”, disse Calheiros.

Ao comentar o encontro entre os ex-presidente Lula e Fernando Henrique Cardoso, ocorrido na última sexta-feira (21), Renan fez questão de apoiar a iniciativa:

“Eles nunca foram inimigos. Fui ministro da Justiça do Fernando Henrique Cardoso e certa vez eu recebi no ministério o Lula para tratar de um sequestro de um empresário de São Paulo na véspera de uma eleição presidencial. Ou seja, em todos os momentos, mesmo divergindo, eles sempre conversaram. E essa conversa é muito boa. Porque ela demonstra que, nesse processo político de 2022, nós não teremos dois extremos, nós teremos um extremo só, o do presidente Bolsonaro. Os outros atores deverão conversar, o que é muito bom para a democracia.”, disse Renan.

Parece óbvia a parcialidade do relator da CPI…

Por Gonçalo Mendes Neto/Jornalista

Faça seu Comentário